Dourados – MS sexta, 24 de maio de 2024
19º
Meio ambiente

Em Lisboa, Conferência dos Oceanos busca agenda “ousada e positiva”

Representantes de Portugal e Quénia, países organizadores, afirmam que é preciso conciliar agendas de iniciativas globais sobre o tema

12 Jun 2022 - 16h30Por ONU News
Diplomatas defendem que conservação e utilização sustentável dos mares requerem que um mecanismo global urgente - Crédito: Issf/ Fabien ForgetDiplomatas defendem que conservação e utilização sustentável dos mares requerem que um mecanismo global urgente - Crédito: Issf/ Fabien Forget

Em entrevista em antecipação da 2ª. Conferência dos Oceanos em Lisboa, embaixadores do  Portugal e Quénia junto à ONU sublinharam o papel dos mares e a relevância da atuação global para proteção.

A expectativa da embaixadora de Portugal, Ana Paula Zacarias, e do Quénia,  Martin Kimani, é que uma agenda global ousada e positiva selem o evento de 27 de junho a 1 de julho.

Impulsionar soluções 

Kimani ressalta a ideia de se inverter o declínio dos oceanos e alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14 da Agenda 2030.  

Em parceria com a ONU, ambos os países “preparam um cenário para a tomada de decisões” de impacto na ação sobre os mares guiada pela ciência e inovação.

Os 12 mil presentes em Lisboa incluem pelo menos 20 chefes de Estado e de governo,  jovens, empreendedores e sociedade civil.  

Os organizadores realçam o propósito de mobilizar a atuação e impulsionar soluções de base científica para “iniciar um novo capítulo da ação global pelos oceanos”.

Um dos alvos é estabelecer uma “plataforma para enfrentar de forma eficaz os desafios atuais em relação aos oceanos”.

Iniciativa costeira

A embaixadora de  Portugal mencionou a presença de figuras ligadas ao tema em nível político como “o enviado especial dos EUA para o clima John Kerry",  e cultural como o ator e ambientalista e Jason Momoa, o protagonista do Aquaman. A meta é dar força à voz dos jovens.

O homólogo queniano destacou a iniciativa costeira local Mikoko Pamoja para ilustrar a influência soluções.

O projeto que significa “manguezais juntos” compensa carbono e da origem na área de Vanga, no condado de Kwale, passou além-fronteiras.

O país rico em recifes de coral, florestas terrestres, praias arenosas e leitos de ervas marinhas as comunidades ganham com a melhoria do bem-estar.

Melhoram as oportunidades económicas, proteção social, garantia de resiliência a catástrofes naturais e impacto das alterações climáticas além da redução do risco de sobre-exploração e métodos arriscados de utilização dos recursos oceânicos.

Atividades sustentáveis

Na mira de maiores benefícios ao grupo de comunidades, Portugal espera um impulso em atividades sustentáveis no ambiente dos oceanos .

As atividades passariam de lazer,  turismo, esporte,  transporte marítimo e outras.

Ana Paula Zacarias fez alusão a diálogo interativo que na conferência abordará  temas ligados à  economia azul. Em foco estarão campos como pesca, biodiversidade, e recursos submarinos.

A conservação e utilização sustentável dos mares requerem que um mecanismo global urgente e uma estrutura de implementação com prazo determinado.

O representante Quénia defende a criação de um mecanismo apoiado por evidências científicas que leve ao equilíbrio entre conservação e exploração envolvendo prestação de contas por ações destrutivas.

Ciência do Oceano

O diplomata disse que também é preciso investimentos em pesquisa científica apoiando a segurança alimentar e nutricional global, o ordenamento do espaço marítimo e a gestão das mudanças climáticas.

Martin Kimani destaca ainda que a  2ª Conferência dos Oceanos avaliará o nível de ambição global para cumprimento de alterações transformadoras.

Ao organizar o segundo maior evento sobre os mares, a expetativa de Portugal é que outra seja organizada no contexto da Década das Nações Unidas da Ciência Oceânica.

Ana Paula Zacarias  enfatizou que nas negociações sobre a biodiversidade das alterações climáticas, tanto a conferência do clima da ONU como a Convenção da Biodiversidade terão reuniões agendadas para breve.

Ela considera necessário harmonizar esses elementos e continuar a trabalhar “não em silos, mas de forma holística, para que todas essas agendas possam funcionar ao mesmo tempo.”

 
 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Guterres diz que é imperativo priorizar paz, participação e liderança na África
ONU

Guterres diz que é imperativo priorizar paz, participação e liderança na África

23/05/2024 21:45
Guterres diz que é imperativo priorizar paz, participação e liderança na África
ONU aprova resolução para marcar genocídio de Srebrenica em 1995
Paz e segurança

ONU aprova resolução para marcar genocídio de Srebrenica em 1995

23/05/2024 20:45
ONU aprova resolução para marcar genocídio de Srebrenica em 1995
Deslocamentos em massa em Gaza agravam crise de saúde
Ajuda humanitária

Deslocamentos em massa em Gaza agravam crise de saúde

23/05/2024 19:45
Deslocamentos em massa em Gaza agravam crise de saúde
Mulheres protestam contra norma do CFM sobre assistolia fetal
Saúde

Mulheres protestam contra norma do CFM sobre assistolia fetal

23/05/2024 17:45
Mulheres protestam contra norma do CFM sobre assistolia fetal
"Sistema de saúde do Haiti está à beira do colapso"
Saúde

"Sistema de saúde do Haiti está à beira do colapso"

22/05/2024 22:45
"Sistema de saúde do Haiti está à beira do colapso"
Últimas Notícias