Dourados – MS sábado, 24 de julho de 2021
Dourados
32º max
15º min
Mundo

Documentário mostra líderes explicando aproximação com Kadhafi

01 Mar 2011 - 17h35
kadhafi ditador da líbia - Crédito: Foto: Reprodução/ Globo
Newskadhafi ditador da líbia - Crédito: Foto: Reprodução/ Globo News
A ex-secretária de Estado americana Condoleezza Rice e o ex-premiê britânico Tony Blair justificaram, depois dos atentados de 2001, a aproximação com o líder líbio, Muamar Kadhafi, e o papel de Trípoli na luta contra a al-Qaeda, segundo um documentário que será divulgado pela televisão francesa na noite desta terça-feira (1º).

Depois dos atentados de 11 de setembro de 2001, \"é claro que olhamos quem está com a al-Qaeda e quem não está. O fato de a Líbia ter denunciado a al-Qaeda era um sinal importante\", explicou Rice entrevistada nesse documentário que será divulgado pelo canal público France 5.

Em \"Kadhafi, nosso melhor inimigo\", Antoine Vitkine, conta a história do ditador líbio que passou de um pária, acusado de patrocinar o terrorismo internacional, a aliado do Ocidente.

\"Nossos serviços de inteligência estavam encantados em poder obter qualquer informação sobre a Al-Qaeda e a Líbia também era para nós um vínculo com outros países do Magreb nos quais a Al-Qaeda era muito ativa\", completou a ex-chefe da diplomacia americana durante a presidência de George W. Bush.

Quando os \"serviços secretos (líbios) ofereceram cooperar na batalha contra o terrorismo, é claro que era insólito, mas, ao mesmo tempo, sabia que o 11 de setembro tinha mudado o mundo e voltava a configurar as alianças\", explica, por sua vez, Tony Blair.


Condoleezza Rice explica até que ponto \"surpreendeu\" os americanos o momento em que Kadhafi anunciou que renunciava a seu programa de armas de destruição massa.

\"Estávamos ocupados preparando a guerra no Iraque (...). Os britânicos nos dizem que foram contatados pelo coronel Kadhafi, que quer discutir sobre o abandono de suas armas de destruição em massa. Você imagina nossa surpresa? Assim, dissemos \'muito bem, vamos em frente\'\".

\"Começamos a entender até que ponto os líbios estavam avançados particularmente no âmbito nuclear. Tinham centrífugas muito sofisticadas (...). Realmente estamos surpresos\", completou Rice.

O documentário também enfatiza a importância do petróleo na reconciliação dos países ocidentais com a Líbia contra a qual a ONU tinha imposto um embargo em 1992 depois dos atentados contra um voo da UTA (1989, 170 mortos) e contra um avião da PanAm sobre Lockerbie (1988, 270 mortos).

A produção igualmente conta com os testemunhos de Martin Indyk, ex-conselheiro do presidente americano Bill Clinton; o ex-ministro francês das Relações Exteriores, Roland Dumas, e a ex-comissária europeia das Relações Exteriores, Benita Ferrero Waldner.


(G1)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mundo

OMS afirma que China deve fornecer dados sobre origens da covid-19

15/07/2021 17:00
Mundo

Suspeitos de assassinato do presidente do Haiti são mortos a tiros

08/07/2021 11:00
Mundo

Covid-19: anticorpos podem durar até 12 meses após infecção

08/07/2021 10:00
Presidente do Haiti é assassinado em casa durante a noite, diz premiê
Mundo

Presidente do Haiti é assassinado em casa durante a noite, diz premiê

07/07/2021 07:30
Presidente do Haiti é assassinado em casa durante a noite, diz premiê
Mundo

Onda de calor recorde nos EUA e Canadá mata 45 no Estado do Oregon

01/07/2021 17:30
Últimas Notícias