Dourados – MS quarta, 03 de março de 2021
Dourados
32º max
22º min
Influx
WHATSAPP

Desembargador nega recurso do WhatsApp e mantém bloqueio

03 Mai 2016 - 07h26
Justiça entendeu que a empresa 'preferiu a inércia' diante do 'problema antigo'. - Crédito: Foto: DivulgaçãoJustiça entendeu que a empresa 'preferiu a inércia' diante do 'problema antigo'. - Crédito: Foto: Divulgação
O desembargador Cezário Siqueira Neto negou a liminar do mandado de segurança impetrado pelo WhatsApp Inc e manteve o bloqueio do aplicativo de mensagem instantânea para clientes de TIM, Oi, Vivo, Claro e Nextel pelo período de 72 horas, iniciado às 14h da segunda-feira (2). A decisão do recurso foi publicada às 0h30 desta terça-feira (3) durante o Plantão do Judiciário do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) e confirmada pela assessoria de comunicação do órgão nesta manhã.

Na decisão, o desembargador plantonista negou a liminar porque entendeu que existem possibilidades técnicas para o cumprimento da ordem judicial da quebra de sigilo das mensagens do WhatsApp.

"Há de ressaltar que o aplicativo, mesmo diante de um problema de tal magnitude, que já se arrasta desde o ano de 2015, e que podia impactar sobre milhões de usuários como ele mesmo afirma, nunca se sensibilizou em enviar especialistas para discutir com o magistrado e com as autoridades policiais interessadas sobre a viabilidade ou não da execução da medida. Preferiu a inércia, quiçá para causar o caos, e, com isso, pressionar o Judiciário a concordar com a sua vontade em não se submeter à legislação brasileira", argumentou Cezário Siqueira Neto ao site do G1.

A multa para as empresas em caso de descumprimento do bloqueio é de R$ 500 mil. A decisão é do juiz Marcel Maia Montalvão, da Vara Criminal de Lagarto, em Sergipe. O magistrado atendeu a um pedido de medida cautelar da Polícia Federal, que foi endossado por parecer do Ministério Público.

O WhatsApp lamentou, em comunicado, a decisão e disse não ter a informação exigida pelo juiz.

Após a repercussão da decisão, o site do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) apresentou instabilidade na tarde de segunda-feira (2). O problema continua nas primeiras horas da manhã desta terça-feira (3).

O Anonymous Brasil informou, através da página do grupo no Facebook, que bloqueou o site do TJSE como forma de protesto pela decisão de tirar do ar o aplicativo WhatsApp por 72 horas. A assessoria de comunicação do TJSE não confirmou que ele foi hackeado. Depois que o órgão percebeu a possibilidade de um ataque, decidiu bloquear a internet para proteger a rede de dados.

Compartilhamento de informação

O bloqueio foi pedido porque o Facebook, dono do WhatsApp, não cumpriu uma decisão judicial anterior de compartilhar informações que subsidiariam uma investigação criminal. A recusa já havia resultado na prisão do presidente do Facebook para América Latina em março.

Segundo o juiz, a medida cautelar é baseada no Marco Civil da Internet.

Os artigos citados pelo magistrado dizem que uma empresa estrangeira responde pelo pagamento de multa por uma "filial, sucursal, escritório ou estabelecimento situado no país" e que as empresas que fornecem aplicações devem prestar "informações que permitam a verificação quanto ao cumprimento da legislação brasileira referente à coleta, à guarda, ao armazenamento ou ao tratamento de dados, bem como quanto ao respeito à privacidade e ao sigilo de comunicações."

Não é a primeira vez que um tribunal decide pela suspensão do acesso ao serviço de bate-papo no Brasil.
O bloqueio anterior ocorreu em dezembro de 2015, quando a Justiça de São Paulo ordenou que as empresas impedissem a conexão por 48 horas em represália ao WhatsApp ter se recusado a colaborar com uma investigação criminal. O aplicativo ficou inacessível por 12 horas e voltou a funcionar por decisão do Tribunal de Justiça de SP.

Veja abaixo o comunicado do WhatsApp:

"Depois de cooperar com toda a extensão da nossa capacidade com os tribunais brasileiros, estamos desapontados que um juiz de Sergipe decidiu mais uma vez ordenar o bloqueio de WhatsApp no Brasil. Esta decisão pune mais de 100 milhões de brasileiros que dependem do nosso serviço para se comunicar, administrar os seus negócios e muito mais, para nos forçar a entregar informações que afirmamos repetidamente que nós não temos."

Deixe seu Comentário

Leia Também

Ex-manicure de Naviraí é top model destaque em desfile de Milão
Modelo

Ex-manicure de Naviraí é top model destaque em desfile de Milão

há 1 dia atrás
Ex-manicure de Naviraí é top model destaque em desfile de Milão
Galo mata o próprio dono durante luta ilegal na Índia
Inusitado

Galo mata o próprio dono durante luta ilegal na Índia

01/03/2021 15:02
Galo mata o próprio dono durante luta ilegal na Índia
Robô Perseverance pousa hoje em Marte, na busca por sinais de vida
Internacional

Robô Perseverance pousa hoje em Marte, na busca por sinais de vida

18/02/2021 07:34
Robô Perseverance pousa hoje em Marte, na busca por sinais de vida
Tempestade de neve atinge os EUA; milhões estão sem eletricidade
Internacional

Tempestade de neve atinge os EUA; milhões estão sem eletricidade

17/02/2021 08:42
Tempestade de neve atinge os EUA; milhões estão sem eletricidade
Israel testa remédio barato que salvou dezenas de pacientes graves com covid-19
Cotidiano

Israel testa remédio barato que salvou dezenas de pacientes graves com covid-19

09/02/2021 09:15
Israel testa remédio barato que salvou dezenas de pacientes graves com covid-19
Últimas Notícias