Dourados – MS sexta, 27 de novembro de 2020
Dourados
35º max
24º min
Imaculada-Desk
Imaculada-Mobile
Mundo

Ataque a mesquita mata três guardas e fere autoridades

03 Jun 2011 - 16h35
Soldados fazem segurança de protesto antigoverno nesta sexta-feira - Crédito: Foto: APSoldados fazem segurança de protesto antigoverno nesta sexta-feira - Crédito: Foto: AP
O ataque à mesquita do palácio presidencial do Iêmen, ocorrido durante as preces desta sexta-feira (3) em Sanaa, matou três guardas presidenciais, informou a agência de notícias oficial do país em crise.

Inicialmente, a agência afirmou que um imã (sacerdote muçulmano que lidera as orações) também havia morrido, mas depois retificou a informação.

A agência disse que o presidente Ali Abdullah Saleh, cujo regime é alvo de violentos protestos oposicionistas, está \"vivo e em boa forma\".

Boatos sobre seu estado de saúde correram ao longo do dia. A TV oposicionista Suhail chegou a dizer que Saleh foi morto no ataque.

Ele teria sido ferido atrás da cabeça, disse uma fonte do Congresso Popular Geral (CPG), partido governista. Outra fonte do partido disse à Reuters que ele recebia tratamento em um hospital militar.

Saleh deveria fazer um pronunciamento à nação em breve, segundo Abdu al-Janadi, ministro da Informação.

Pelo menos duas bombas atingiram o local, durante as tradicionais orações de sexta-feira.

O premiê, Ali Mohammed Mujawar, o vice-premiê e o presidente do Parlamento teriam se machucado, havia dito mais cedo um porta-voz do governo.

De acordo com a TV Al Arabiya, o presidente do Parlamento ficou em estado grave.

Uma fonte ligada à presidência informou à France Presse que o ministro da Defesa, general Rashad al-Alimi, foi gravemente ferido e hospitalizado.

Crise pólítica

O Iêmen enfrenta uma grave crise política, no contexto das revoltas que abalam o mundo arabe desde o início do ano, com o contestado presidente Saleh, no poder há três décadas, recusando-se a renunciar, apesar de pressões da oposição e da comunidade internacional.

Os protestos já duram mais de quatro meses e tornaram-se mais violentos nos últimos dias.

Combatentes tribais liderados pelo xeque Sadek al-Ahmar aderiram à oposição e enfrentam, desde 23 de maio, forças leais ao governo na capital, deixando o país à beira de uma guerra civil.

Mais de 150 pessoas morreram nos últimos dez dias, segundo relatos de oposicionistas e grupos de direitos humanos.

Após o ataque, forças leais a Saleh atacaram casas dos líderes tribais, e os confrontos se generalizaram na capital.

A Al Arabiya disse que o governo culpou o grupo tribal pelo ataque, mas eles negaram.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Morre o ídolo argentino Diego Maradona aos 60 anos
futebol

Morre o ídolo argentino Diego Maradona aos 60 anos

25/11/2020 13:01
Morre o ídolo argentino Diego Maradona aos 60 anos
Joe Biden garante votos para ser eleito presidente dos Estados Unidos
Mundo

Joe Biden garante votos para ser eleito presidente dos Estados Unidos

07/11/2020 16:04
Joe Biden garante votos para ser eleito presidente dos Estados Unidos
PF pede bloqueio de R$ 130 milhões em criptoativos depositados nos EUA
Mundo

PF pede bloqueio de R$ 130 milhões em criptoativos depositados nos EUA

06/11/2020 09:37
PF pede bloqueio de R$ 130 milhões em criptoativos depositados nos EUA
Halloween: a curiosa origem do Dia das Bruxas
Dia das Bruxas

Halloween: a curiosa origem do Dia das Bruxas

31/10/2020 14:05
Halloween: a curiosa origem do Dia das Bruxas
Mundo

Brasil e outros 31 países assinam declaração sobre saúde da mulher

23/10/2020 15:09
Últimas Notícias