Dourados – MS segunda, 27 de setembro de 2021
Dourados
37º max
20º min
Institucional - Setembro
Mundo

Anvisa proíbe produto cancerígeno usado em agrotóxicos

05 Fev 2016 - 07h00
Fungicidas à base de Prochloraz são utilizados em culturas como cebola, cenoura, cevada, cítricos, manga, tomate e trigo. - Crédito: Foto: DivulgaçãoFungicidas à base de Prochloraz são utilizados em culturas como cebola, cenoura, cevada, cítricos, manga, tomate e trigo. - Crédito: Foto: Divulgação
O uso do ingrediente ativo Procloraz em produtos agrotóxicos está proibido no Brasil. A determinação é da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), através da resolução nº 60, publicada no Diário Oficial da União de ontem (4), depois de uma reavaliação toxicológica.


Segundo a resolução, as empresas detentoras de estoques de produtos técnicos e formulados à base do ingrediente ativo Procloraz devem providenciar a sua destinação adequada mediante prévia informação ao Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), à ANVISA e ao Instituto Nacional do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), no prazo de até trinta dias.


A decisão da Anvisa, mesmo que tardia, tira de circulação um produto comumente utilizado na agricultura e que pode provocar graves conseqüência para a saúde da população.Autoridades e organizações não governamentais vinham questionando a manutenção do Procloraz na agricultura brasileira.


Os fungicidas à base de Prochloraz são utilizados em culturas como cebola, cenoura, cevada, cítricos, manga, tomate, trigo e rosa. Em algumas dessas lavouras, a aplicação é feita por via aérea.


Em maio de 2012, o Ministério Público Federal de São Paulo, pediu o cancelamento do registro de todos os fungicidas que utilizam o princípio ativo Prochloraz que, segundo especialistas, pode causar o aumento da incidência de câncer de mama, testículo e próstata, além de provocar danos ao meio ambiente.


Na época, a ação civil pública, com pedido de liminar, proposta contra a União, também pedia que o Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (Mapa) não concedesse novos registros de fungicidas à base de Prochloraz, pelo “alto grau de nocividade à saúde humana e ao meio ambiente”.


Além do Procloraz,a ação do MPF/SP, também fez referência direta a outros três agrotóxicos registrados no Mapa e que utilizam o princípio ativo cancerígeno: Jade, Mirage 450 EC, e Sportak 450 EC. “No Ministério da Agricultura consta a informação de que somente o produto Sportak 450 EC teria sido comercializado nos anos de 2007 a 2010”, informou na época, a procuradora da República Adriana da Silva Fernandes que estava responsável pela analise dos riscos do princípio ativo.


Segundo o MPF/SP, naquele período, o Ibama havia informado ao MPF que o Prochloraz “possui potencial carcinogênico, comprovado experimentalmente pelo aumento da frequência de tumores benignos e malignos em fígado de camundongos”.


Antes da ação, na época, uma perícia realizada por especialistas do MPF também constatou o potencial carcinógeno do princípio ativo e concluiu que “há elementos suficientes para os órgãos competentes avaliarem o cancelamento dos registros dos produtos técnicos e formulados à base de Prochloraz no Brasil”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testa positivo para a Covid-19
Mundo

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testa positivo para a Covid-19

22/09/2021 07:30
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testa positivo para a Covid-19
Mundo

Presidente faz discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas

21/09/2021 08:30
Tripulação da Inspiration4 retorna à Terra neste sábado
Mundo

Tripulação da Inspiration4 retorna à Terra neste sábado

18/09/2021 16:00
Tripulação da Inspiration4 retorna à Terra neste sábado
Mundo

Mulheres afegãs protestam contra uso da burca

15/09/2021 17:00
Mundo

Pentágono: novo míssil norte-coreano ameaça comunidade internacional

13/09/2021 13:00
Últimas Notícias