Dourados – MS quinta, 27 de fevereiro de 2020
Dourados
33º max
18º min
Mundo

Al Gore relaciona enchentes no Rio de Janeiro ao aquecimento global

18 Jan 2011 - 22h10
Tim Berners-Lee fala enquanto Al Gore observa. - Crédito: Foto: Germano Assad / G1Tim Berners-Lee fala enquanto Al Gore observa. - Crédito: Foto: Germano Assad / G1
O ex-vice presidente dos EUA e ecoativista Al Gore relacionou nesta terça-feira (18) as enchentes do Rio de Janeiro com o aquecimento global. A declaração foi feita durante participação na Campus Party, nesta terça-feira (18) em São Paulo.

Citando também tragédias que atingiram Paquistão, Austrália, Colômbia e até sua cidade natal de Nashville, nos EUA, o político relacionou os fenômenos com o aquecimento global – tema do seu documentário “Uma verdade inconveniente”, que lhe rendeu um Oscar e o título de personalidade do ano da revista Time em 2007.



Grande parte do público da Campus Party lotava o espaço destinado ao Palco Principal muito antes de Gore e Tim Berners-Lee, criador da World Wide Web, aparecerem. Com apenas um pequeno atraso, os dois deram curtas palestras e iniciaram um bate-papo com assuntos sugeridos por tweets de campuseiros.

O tópico principal foi a liberdade na internet.

Berners-Lee fez um rápido resumo da história da internet e pediu que internautas lutassem por uma internet livre. “Há megacorporações e grandes países que gostariam de controlar a internet demais, mas precisamos que a rede continue aberta”, disse.

Berners-Lee afirmou que a principal virtude da rede é que duas pessoas podem iniciar uma conexão “sem pedir permissão a ninguém” e que essa neutralidade da rede é uma premissa que deve ser mantida. Para o criador da web, plataformas abertas como o protocolo HTTP e o HTML garantem que mesmo aqueles que não têm condições de adquirir um laptop podem utilizar aplicações em qualquer dispositivo portátil, como telefones celulares e netbooks, que são mais baratos.

O ex-vice-presidente e laureado com o Nobel da Paz aproveitou para cutucar regimes totalitários, quando indagado sobre controle de informação. “A informação é poder. Governos livres não temem que a população tenha acesso à informação, mas governos totalitários sim”.

E citou a complicada situação da Tunísia, como exemplo do poder da rede em congregar, e até mesmo de criar uma revolução.

Mas ele foi bem mais cauteloso ao falar do site de vazamento Wikileaks, dizendo que há um embate entre aqueles que querem reter a informação e aqueles que querem divulgá-la, e que isso deve ser regido pela lei.

(G1.com)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Douradense relata experiência de viver na Itália em meio ao coronavírus
Mundo

Douradense relata experiência de viver na Itália em meio ao coronavírus

26/02/2020 15:45
Douradense relata experiência de viver na Itália em meio ao coronavírus
Alerta

Bebidas como tereré e chimarrão devem ser evitadas, alerta ministro Mandetta

26/02/2020 15:06
Coronavírus: Circuito mundial de natação paralímpica é cancelado na Itália
Esportes

Coronavírus: Circuito mundial de natação paralímpica é cancelado na Itália

24/02/2020 16:15
Coronavírus: Circuito mundial de natação paralímpica é cancelado na Itália
Conselho de Direitos Humanos da ONU: Brasil participa da 43ª sessão
Direitos Humanos

Conselho de Direitos Humanos da ONU: Brasil participa da 43ª sessão

24/02/2020 09:45
Conselho de Direitos Humanos da ONU: Brasil participa da 43ª sessão
Completa amanhã, 75 anos da histórica tomada de Monte Castello
2ª Guerra Mundial

Completa amanhã, 75 anos da histórica tomada de Monte Castello

20/02/2020 17:00
Completa amanhã, 75 anos da histórica tomada de Monte Castello
Últimas Notícias