Dourados – MS quarta, 28 de fevereiro de 2024
25º
IPVA parcela 2
Migrantes e refugiados

Agências da ONU precisam de US$ 1,59 bilhão para apoiar venezuelanos em 2024

Auxílio da OIM e Acnur é destinado a 3 milhões de pessoas e comunidades de acolhimento; cerca de 4 milhões de venezuelanos enfrentam necessidades de proteção e integração

07 Dez 2023 - 22h45Por ONU News
Funcionário da OIM registra migrantes venezuelanos em um centro de acomodação temporária em Pacaraima, no norte do Brasil - Crédito:  IOM/Gema CortésFuncionário da OIM registra migrantes venezuelanos em um centro de acomodação temporária em Pacaraima, no norte do Brasil - Crédito: IOM/Gema Cortés

A Organização Internacional para as Migrações, OIM, a agência das Nações Unidas para Refugiados, Acnur e parceiros buscam US$ 1,59 bilhão para ajudar 3 milhões de refugiados, migrantes da Venezuela e comunidades anfitriãs em 2024.

Em resposta aos contínuos fluxos de saída da Venezuela, governos e comunidades da América Latina e no Caribe continuam a fornecer oportunidades para os venezuelanos por meio de iniciativas de regularização migratória, acesso a procedimentos de asilo, programas de inserção laboral e oportunidades de reunificação familiar. 

Uma família refugiada venezuelana que vive em Guayaquil, EquadorUma família refugiada venezuelana que vive em Guayaquil, Equador - Foto: Acnur/Santiago Arcos Veintimi

 

Investimento 

Mais de 60% das pessoas que deixaram a Venezuela regularizaram seu status. 

Em 2023, o plano de resposta forneceu assistência humanitária e proteção e implementou programas de integração socioeconômica para mais de 2 milhões de refugiados, migrantes e membros das comunidades anfitriãs afetadas.

A iniciativa complementa os esforços dos países anfitriões ou trabalhando sob mecanismos intergovernamentais regionais. Isso foi possível graças a parcerias com bancos de desenvolvimento, instituições financeiras e organizações internacionais.

No entanto, 4 milhões de refugiados e migrantes da Venezuela na região ainda têm necessidades humanitárias, de proteção e integração urgentes, de acordo com a Análise de Necessidades Regionais de Refugiados e Migrantes para 2023. 

A avaliação também revelou que um em cada três venezuelanos na região não tem um status regular ou a documentação necessária para acessar empregos decentes, serviços de saúde, moradia ou educação.

Asilo, regularização e integração

Os fundos devem apoiar o acesso a procedimentos de asilo, atividades de regularização migratória e integração socioeconômica, para que refugiados, migrantes e comunidades anfitriãs possam alcançar estabilidade e um futuro melhor.

O representante conjunto especial do Acnur e da OIM para Refugiados e Migrantes Venezuelanos, Eduardo Stein, afirma que os países da região fizeram um excelente trabalho ao receber refugiados e migrantes

Ele encoraja os países a continuarem implementando e melhorando o acesso a procedimentos de asilo, regularização migratória e iniciativas de documentação, mas alerta que suas capacidades estão chegando ao limite.

Eduardo Stein afirma que é necessário um esforço financeiro significativo, previsível e de longo prazo para garantir o acesso dos venezuelanos a serviços, emprego formal, saúde e educação, para integrar efetivamente e contribuir para os países que os acolhem.

Uma jovem mãe de Serra Leoa e seu bebê chegam a um abrigo para migrantes em La Peñita, Darien, PanamáUma jovem mãe de Serra Leoa e seu bebê chegam a um abrigo para migrantes em La Peñita, Darien, Panamá - Foto: Unicef/William Urdaneta/año

 

Riscos

O Acnur lembra das milhares de pessoas que se dirigiram para a América Central e do Norte, cruzando a selva de Darién, no Panamá, frequentemente expostas a perigos graves. 

Esses riscos são especialmente sérios para mulheres e famílias com crianças pequenas. Também foram observados movimentos de retorno, incluindo remoções e deportações de venezuelanos para seu país de origem.

Um ano após o lançamento deste plano de resposta bianual, apenas 20% dos fundos necessários foram recebidos, limitando severamente a assistência. As agências da ONU pediram que em meio a várias crises, a comunidade internacional não deve esquecer a situação de milhões de refugiados e migrantes na América Latina e no Caribe.

Há mais de 7,7 milhões de venezuelanos fora de seu país. Mais de 6,5 milhões residem na região.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Europa aposta em novo plano para descarbonizar a mobilidade
Clima e Meio Ambiente

Europa aposta em novo plano para descarbonizar a mobilidade

27/02/2024 22:45
Europa aposta em novo plano para descarbonizar a mobilidade
Unea-6 e multilateralismo: Diversas vozes para consenso ambiental
Clima e Meio Ambiente

Unea-6 e multilateralismo: Diversas vozes para consenso ambiental

27/02/2024 21:45
Unea-6 e multilateralismo: Diversas vozes para consenso ambiental
Unea-6 segue em Nairóbi com anúncio de prêmios a iniciativas para salvar o planeta
Clima e Meio Ambiente

Unea-6 segue em Nairóbi com anúncio de prêmios a iniciativas para salvar o planeta

27/02/2024 20:45
Unea-6 segue em Nairóbi com anúncio de prêmios a iniciativas para salvar o planeta
Restrições de acesso à ajuda humanitária em Gaza geram preocupação da ONU
Ajuda humanitária

Restrições de acesso à ajuda humanitária em Gaza geram preocupação da ONU

27/02/2024 19:45
Restrições de acesso à ajuda humanitária em Gaza geram preocupação da ONU
O que é a Assembleia da ONU do Meio Ambiente e porque ela importa
Clima e Meio Ambiente

O que é a Assembleia da ONU do Meio Ambiente e porque ela importa

26/02/2024 21:45
O que é a Assembleia da ONU do Meio Ambiente e porque ela importa
Últimas Notícias