Dourados – MS quinta, 22 de abril de 2021
Dourados
33º max
17º min
Influx - Campanha 2021
Esporte

Ansiedade, maturidade e violência: Ney Franco avalia a própria casa

13 Jan 2011 - 14h05
Ney Franco rasgou elogios à maturidade do grupo sub-20 - Crédito: Foto: Victor Canedo / Globoesporte.comNey Franco rasgou elogios à maturidade do grupo sub-20 - Crédito: Foto: Victor Canedo / Globoesporte.com
Em um mês de preparação, Ney Franco teve tempo suficiente para passar aos comandados tudo o que pensa a respeito da Seleção sub-20. Seus defeitos, suas qualidades e até seus temores às vésperas do Sul-Americano da categoria, que começa para o Brasil na próxima segunda-feira, em Tacna, no Peru, contra o Paraguai.

Entre os elogios do treinador ao grupo está a maturidade. Ney Franco sabe que todos completaram a maioridade não há muito tempo, mas destacou a presença constante de quase todos nas equipes principais de seus clubes.

– São atletas que mudaram muito o perfil da sub-20. Há 10, 15 anos um jogador desses quase não era aproveitado no time dele. Precisava ter 21, 22, 23 anos. Hoje a cada temporada vão sendo lançados jogadores ainda mais jovens, na casa dos 17. E isso tem aspectos positivos: eles amadurecem mais rápido e, como agora, chegam à Seleção já com muita experiência e história para contar, o que em alguns momentos é determinante para que possa sermos campeões – disse.

A violência adversária também foi um fator preponderante para que Ney Franco demonstrasse preocupação. E é aí que entra a tradicional catimba sul-americana.

– Tenho conversado com os atletas em todos os jogos o seguinte: temos que nos preocupar em jogar bola e passar a responsabilidade para a arbitragem. Não podemos sair da característica de querer cair no jogo duro, fazer faltas, principalmente contra a Argentina, que sabe que em alguns momentos os brasileiros caem nas provocações. É passar a responsabilidade para o adversário e usar isso a nosso favor para criar jogadas próximas da área. Nossa postura deve ser essa – garantiu.

Enquanto isso, a ansiedade, motivo para apreensão e “friozinho” na barriga para os jogadores, parece não ser problema para o treinador. A camisa quase não pesa.

– Estou tranquilo. Encaro esse projeto na Seleção Brasileira como os mesmos que tive no Flamengo, Coritiba, Cruzeiro, Atlético-PR, Botafogo... A camisa é leve e o que me dá mais tranquilidade é a qualidade dos atletas. Estamos fazendo isso com muito profissionalismo, tendo a noção clara de que temos uma equipe muito boa na mão e um trabalho muito bem realizado – encerrou.

(globoesporte.com)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Futebol

Fluminense recebe River Plate no Maracanã na estreia da Libertadores

22/04/2021 14:00
Brasileiros disputam vaga nas quartas da etapa de surfe na Austrália
Esporte

Brasileiros disputam vaga nas quartas da etapa de surfe na Austrália

19/04/2021 12:00
Brasileiros disputam vaga nas quartas da etapa de surfe na Austrália
Uefa ameaça banir clubes envolvidos na criação de novo torneio europeu
Esporte

Uefa ameaça banir clubes envolvidos na criação de novo torneio europeu

19/04/2021 10:00
Uefa ameaça banir clubes envolvidos na criação de novo torneio europeu
Vasco visita Boavista de olho em vaga nas semifinais do Carioca
ESPORTE

Vasco visita Boavista de olho em vaga nas semifinais do Carioca

18/04/2021 15:10
Vasco visita Boavista de olho em vaga nas semifinais do Carioca
Tênis: Brasil decide futuro na Billie Jean King Cup contra Polônia
Esporte

Tênis: Brasil decide futuro na Billie Jean King Cup contra Polônia

16/04/2021 09:15
Tênis: Brasil decide futuro na Billie Jean King Cup contra Polônia
Últimas Notícias