Dourados – MS sexta, 24 de maio de 2024
18º
Inflação

Veja quais foram os vilões e os mocinhos da inflação em maio

Passagens aéreas e produtos farmacêuticos tiveram os maiores aumentos no mês, enquanto a nova queda da energia elétrica puxou a desaceleração no índice

09 Jun 2022 - 17h15Por CNN
Passageiros no terminal 2 do Aeroporto Internacional de Guarulhos - Crédito: Rovena Rosa/Agência BrasilPassageiros no terminal 2 do Aeroporto Internacional de Guarulhos - Crédito: Rovena Rosa/Agência Brasil

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) desacelerou a 0,47% maio, após ter avançado 1,06% em abril. O indicador saiu abaixo das expectativas do mercado, mas os especialistas ponderam que a inflação continua alta.

O grupo vestuário teve a maior variação, com alta de 2,11% e 0,09 ponto percentual de contribuição. Já a maior contribuição veio dos transportes, que desaceleraram de 1,91% de abril para 1,34% em maio, e contribuíram 0,30 p.p. para o índice.

Saúde e cuidados pessoais foi o segundo grupo de maior impacto para o indicador, apresentando 0,12 ponto percentual no índice final, uma variação de 1,01%.

Outro grupo que teve contribuição significativa foi a de alimentação e bebidas, que desacelerou consideravelmente em maio, a 0,48% ante alta de 2,06% em abril, mas ainda representou 0,10 ponto percentual na inflação do mês.

A desaceleração desse grupo veio de alimentação no domicílio, que passou de 2,59% em abril para 0,43% em maio. Entre as quedas mais expressivas desse segmento, o IBGE destaca tomate (-23,72%), cenoura (-24,07%) e batata-inglesa (-3,94%). O gerente da pesquisa cita o fator sazonal como importante influência nesse das quedas.

A única queda entre os grupos veio de habitação, que registrou impacto negativo de 0,26% ponto percentual.

Roupas e calçados mais caros

A alta do grupo vestuário se deu pelo aumento nos preços das roupas masculinas (2,65%), roupas femininas (2,18%) e das roupas infantis (2,14%) — todos com altas acima de 2%.

Os calçados e acessórios também tiveram alta expressiva em maio, segundo o IBGE, com variação de 2,06%. A única exceção do grupo foram as joias e bijuterias, cujos preços recuaram 0,34%.

Passagens aéreas puxam combustíveis

As passagens aéreas foram o grande destaque da inflação do grupo de transportes, com alta de 18,33%. Elas constituíram no maior impacto individual sobre o IPCA de maio, de 0,08 ponto percentual, junto com os produtos farmacêuticos, pertencentes ao grupo de saúde e cuidados pessoais.

A inflação nas passagens aéreas já havia sido sentida fortemente em abril, quando elas registraram alta de 9,48%, segundo dados do IBGE.

Gasolina e etanol arrefecem

Apesar de os preços dos combustíveis ainda estarem muito acima do registrado há um ano, a categoria desacelerou a 1% em maio, ante 3,20% no mês anterior.

A gasolina passou de 2,48% em abril para 0,92% em maio, enquanto o etanol foi de uma alta de 8,44% para uma queda de 0,43%.

O IBGE ainda destaca as variações nos preços das passagens dos subitens ônibus urbano (0,06%) e táxi (0,72%). A primeira é consequência do reajuste de 12,5% no preço das passagens em Aracaju (5,75%), vigente desde 15 de maio.

A segunda decorre dos reajustes de 41,51% nas tarifas em São Paulo (1,99%), em vigor desde 2 de abril, e de 14,10% em Fortaleza (5,20%), aplicado a partir de 12 de abril.

Houve ainda reajustes nos ônibus intermunicipais (1,19%) em três áreas: Belo Horizonte (6,88%): reajustes de até 17% nas passagens, desde 16 de maio; Aracaju (6,25%), com reajustes de até 12,5% nas passagens, desde 15 de maio; e Porto Alegre (5,39%), que teve reajuste de 7,33% nas passagens, desde 14 de abril.

Energia elétrica em queda

A principal responsável pela queda no grupo habitação foi a energia elétrica. Este é o segundo mês consecutivo que o item apresentou recuo, desta vez de 7,95%. Com o fim da bandeira de escassez hídrica em 16 de maio, os consumidores deixaram de pagar R$ 14,20 a cada 100 kWh consumidos.

As variações de energia elétrica nas áreas foram desde queda de 13,49% em Brasília (onde houve redução de PIS/COFINS) até alta de 6,97% em Fortaleza, por conta do reajuste de 24,23% nas tarifas residenciais, a partir de 22 de abril.

Outras capitais brasileiras também registraram ajustes tarifários nas contas de energia elétrica. São elas: Recife: (3,27%), com reajuste de 18,77%, em vigor desde 29 de abril; Salvador (2,56%): reajuste de 20,97%, vigente desde 22 de abril; Aracaju (0,79%): reajuste de 16,81%, a partir de 22 de abril; e Campo Grande (-1,63%): reajuste de 17,14%, a partir de 16 de abril.

Outros destaques

O recuo nos preços do botijão de gás de 1,02%, após alta em abril de 3,32%, foi um importante destaque do mês. Já a taxa de água e esgoto teve alta de 2,73%. Este último reflete os reajustes de 12,89% em São Paulo (8,29%), vigente desde 10 de maio, e de 4,99% em Curitiba (1,97%), desde 17 de maio.

No grupo saúde e cuidados pessoais, que variou 1,01%, o resultado foi influenciado pela alta dos produtos farmacêuticos de 2,51% – maior impacto individual positivo no índice de maio (0,08 p.p.) junto com as passagens aéreas.

Já os planos de saúde seguem em queda, após apresentar variação negativa de -0,69% em maio. No entanto, o reajuste de 15,5% aprovado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) no dia 26 de maio será incorporado a partir do IPCA-15 de junho, seguindo a metodologia empregada nos anos anteriores.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mais de 30 milhões de contribuintes já entregaram declaração do IR
Economia

Mais de 30 milhões de contribuintes já entregaram declaração do IR

23/05/2024 23:00
Mais de 30 milhões de contribuintes já entregaram declaração do IR
1º PAA Indígena de MS é lançado na Aldeia Jaguapiru
Dourados

1º PAA Indígena de MS é lançado na Aldeia Jaguapiru

23/05/2024 19:00
1º PAA Indígena de MS é lançado na Aldeia Jaguapiru
Trabalhador de aplicativo: sem proteção social, mas contra a regulação
Economia

Trabalhador de aplicativo: sem proteção social, mas contra a regulação

23/05/2024 12:15
Trabalhador de aplicativo: sem proteção social, mas contra a regulação
Começa nesta quinta-feira consulta ao lote de restituição do IRPF
Economia

Começa nesta quinta-feira consulta ao lote de restituição do IRPF

23/05/2024 11:30
Começa nesta quinta-feira consulta ao lote de restituição do IRPF
Lula sanciona lei que desonera atividades do setor de eventos
Economia

Lula sanciona lei que desonera atividades do setor de eventos

22/05/2024 20:30
Lula sanciona lei que desonera atividades do setor de eventos
Últimas Notícias