Dourados – MS quarta, 21 de outubro de 2020
Dourados
34º max
21º min
Influx
Economia

UFGD viabiliza a “Troca de Ovinos”

21 Dez 2010 - 19h00
Programa “Troca de Ovinos” será coordenado pela Universidade Federal da Grande Dourados 
 - Crédito: Foto: DivulgaçãoPrograma “Troca de Ovinos” será coordenado pela Universidade Federal da Grande Dourados - Crédito: Foto: Divulgação
DOURADOS - Após quatro anos de trabalho atendendo municípios periféricos a Capital o Projeto Troca de Ovinos será desenvolvido também na região da Grande Dourados. Um termo de Cooperação assinado entre os gestores do programa e a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) possibilitou a entrega de 75 matrizes e 4 machos para a reaplicação do “Troca de Ovinos” no sul do Estado. O ato aconteceu no último dia 16 na Fazenda Escola Três Barras, na Capital.

O Termo de Comodato deverá ser executado até 2014, período este que a Universidade irá desenvolver pesquisas. Posteriormente, produtores da região da Grande Dourados devem ser selecionados e capacitados para receber as prenhezes e desenvolver a atividade.

“A criação de ovinos vem como uma alternativa para fortalecimento da cadeia produtiva com investimento reduzido, gerando renda e emprego, promovendo ao pequeno produtor mais uma fonte de renda com produção de carne de qualidade no Estado de Mato Grosso do Sul”, destaca a secretária Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias (Seprotur).

Contudo, ainda segundo ela, “a atividade tem de tudo para deixar de ser criação de fundo de quintal e se tornar uma importante atividade econômica também nas médias e grandes propriedades”.

Segundo o pró-reitor de Extensão da universidade Anhanguera-Uniderp, Prof. Ivo Bussato, “os objetivos principais desse projeto são contribuir para a diversificação e aumento da produtividade da pecuária de MS, propiciar inclusão social e econômica de pequenos produtores, incrementar o interesse pela ovinocultura no estado e auxiliar na concretização da produção de ovinos como mais uma alternativa de consumo de proteína animal”.

“Há cinco, seis anos não tínhamos o que falar em pesquisa. Hoje, é uma grata satisfação acompanhar o desenvolvimento da ovelha nativa de Mato Grosso do Sul”, ressalta o coordenador da Câmara Setorial de Ovinos e professor da UFGD, Fernando Vargas.

A criação de ovinos nativos deve ser incentivada, pois são animais bem adaptados ao meio regional, como destaca o professor Marcos Barbosa, responsável pelos projetos de pesquisa do Centro Tecnológico de Ovinocultura (CTO).

\"Com a preocupação cada vez maior de desenvolver sistemas de produção com reduzido investimento e que se ajustem aos desafios do desenvolvimento sustentável, a criação do ovinos nativos vem como uma alternativa. As raças nativas desempenham um papel importante no equilíbrio social e ecológico, e podem constituir a base de produtos locais de alta qualidade.

Porém, os ovinos nativos de Mato Grosso do Sul, devido à inserção cada vez maior de raças exóticas em cruzamentos com esta, correm o risco de desaparecer. Por isso, no CTO, procuramos conservar a raça nativa, por meio de programas de melhoramento genético sustentável, dirigidos à eficiência global da raça e ao aumento da competitividade com relação a outros genótipos\", acrescenta Marcos.

“É uma satisfação ver a união de universidades pública e privada, com o apoio do governo do Estado e de uma Fundação. O bem comum está acontecendo e a soma vem se multiplicando a ponto de hoje estarmos trabalhando em prol da caracterização de uma raça própria”, enfatizou a vice-reitora da Uniderp-Anhanguera, Heloísa Helena Gianotti.

Desenvolvido desde 2007 pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário, Produção, Indústria, Comércio e Turismo (Seprotur) e a Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), com o apoio da Câmara Setorial de Ovinocultura, em parceria com a Universidade Uniderp-Anhanguera e Fundação Manoel de Barros, a iniciativa projeta-se como uma alternativa de renda viável para os pequenos produtores, com retorno em curto prazo e investimento seguro.

O Troca de ovinos já chegou a Campo Grande, Terenos, São Gabriel do Oeste e Jaraguari. Nestes municípios cerca de 275 ovelhas já foram entregues a 19 produtores assistidos pelo programa.

#####O PROGRAMA

- O Projeto Troca de Ovinos é desenvolvido em quatro fases. Na primeira, é feita a seleção de matrizes prenhes no Centro Tecnológico de Ovinocultura (CTO), localizado na Fazenda-Escola Três Barras da Universidade Anhanguera-Uniderp.

No CTO são realizadas avaliações genéticas dos reprodutores, matrizes e animais jovens para as características produtivas e reprodutivas, visando a maior produção de carne por hectare, em determinado tempo, a menores custos.

Os animais passam por uma criteriosa escolha de acordo com o desenvolvimento muscular, bom ganho de peso, boa capacidade de acabamento e adequado tamanho adulto, reduzindo os custos de manutenção, além da mensuração da capacidade reprodutiva e precocidade sexual.

Na segunda fase acontece a seleção e o treinamento dos produtores. Para participar é necessário ser pequeno produtor rural; preferencialmente morar na propriedade rural; utilizar mão de obra familiar; ter diversificação na produção; estar regular nos órgãos de fiscalização sanitária e fiscal; preferencialmente já ter tido contato com a ovinocultura; fazer parte da área de abrangência pré-determinada pelo programa; realizar curso de capacitação; assinar contrato de comodato no ato do recebimento dos animais e fornecer todo o apoio para o desenvolvimento do rebanho sob a orientação dos técnicos.

Na terceira fase é feito o repasse dos animais e o acompanhamento técnico. Finalmente, após o período de três a quatro anos, os produtores devem devolver a mesma quantidade de animais que receberam, observando o padrão zootécnico e sanitário. Todas estas etapas deverão ser executadas também pela UFGD.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Inadimplência em cursos de graduação cresce no 1º semestre no país
Brasil

Inadimplência em cursos de graduação cresce no 1º semestre no país

19/10/2020 16:12
Inadimplência em cursos de graduação cresce no 1º semestre no país
Maior exportador de celulose do país, MS vê setor florestal impulsionar economia verde no Estado
Economia

Maior exportador de celulose do país, MS vê setor florestal impulsionar economia verde no Estado

18/10/2020 11:03
Maior exportador de celulose do país, MS vê setor florestal impulsionar economia verde no Estado
Governo zera imposto de importação da soja e do milho
Economia

Governo zera imposto de importação da soja e do milho

18/10/2020 10:03
Governo zera imposto de importação da soja e do milho
Sebrae: negócios que inovaram na pandemia tiveram perdas menores
economia

Sebrae: negócios que inovaram na pandemia tiveram perdas menores

17/10/2020 14:30
Sebrae: negócios que inovaram na pandemia tiveram perdas menores
Agência da Caixa abre para saques do auxílio e FGTS
Dourados

Agência da Caixa abre para saques do auxílio e FGTS

17/10/2020 08:39
Agência da Caixa abre para saques do auxílio e FGTS
Últimas Notícias