Dourados – MS terça, 20 de outubro de 2020
Dourados
32º max
20º min
Influx
Economia

Produtores de cana terão R$ 1 milhão

31 Mai 2011 - 22h40
Gilson Bittencourt, secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda - Crédito: Foto : Elzas Fiúza – AbrGilson Bittencourt, secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda - Crédito: Foto : Elzas Fiúza – Abr
Brasília - Os secretários de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, José Carlos Vaz, e o adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Gilson Bittencourt, detalharam ontem as principais novidades para o setor, que entram em vigor no dia 1º de julho, quando tem início a safra 2011/2012, beneficiando especificamente os setores sucroalcooleiro, de produção de suco de laranja e pecuário.

Tentando diminuir o problema da escassez de etanol, o governo vai incentivar o plantio, ampliação ou renovação das lavouras de cana. Para isso, o novo Plano Agrícola e Pecuário terá ampliado, de R$ 200 mil para R$ 1 milhão o limite de crédito para esse fim. Bittencourt informou que os recursos para a renovação da lavoura serão limitados a 20% da área já em produção. Como a linha terá validade para as próximas quatro safras, o produtor poderá renovar até 80% do canavial nesse período, com taxa de juros de 6,75% ao ano e cinco anos para pagar, incluindo 18 meses de carência.

Bittencourt disse que a linha é focada em produtores independentes, devendo atender principalmente os médios, e não para usinas, que produzem cerca de 70% da cana brasileira.

Com o objetivo de estimular a compra de reprodutores e matrizes bovinas ou bubalinas, o governo está criando uma linha de crédito de até R$ 750 mil por pecuarista. E, finalmente, fechando os três setores destacados pelo ministro da Agricultura, Wagner Rossi, será aberta linha especial de crédito para a laranja, com limite de R$ 30 milhões por agroindústria.

Além disso, para simplificar as operações e dar incentivos próximos a diversos produtos, foi fixado em R$ 650 mil o limite de crédito único para todas as culturas e atividades. Para algumas, o limite ia decrescendo, chegando a ser de R$ 200 mil. “Fazia com que o crédito se concentrasse mais em soja e milho, e o controle era quase impossível de ser feito”, disse Bittencourt.

A intenção do governo é “dar uma certa igualdade entre aqueles produtos que tinham certa prioridade no passado, por serem commodities [produtos básicos com cotação internacional] de exportação, e os produtos voltados mais diretamente ao consumo interno”, afirmou Rossi na semana passada, sem detalhar os valores.


######(Agência Brasil – ABr).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Inadimplência em cursos de graduação cresce no 1º semestre no país
Brasil

Inadimplência em cursos de graduação cresce no 1º semestre no país

19/10/2020 16:12
Inadimplência em cursos de graduação cresce no 1º semestre no país
Maior exportador de celulose do país, MS vê setor florestal impulsionar economia verde no Estado
Economia

Maior exportador de celulose do país, MS vê setor florestal impulsionar economia verde no Estado

18/10/2020 11:03
Maior exportador de celulose do país, MS vê setor florestal impulsionar economia verde no Estado
Governo zera imposto de importação da soja e do milho
Economia

Governo zera imposto de importação da soja e do milho

18/10/2020 10:03
Governo zera imposto de importação da soja e do milho
Sebrae: negócios que inovaram na pandemia tiveram perdas menores
economia

Sebrae: negócios que inovaram na pandemia tiveram perdas menores

17/10/2020 14:30
Sebrae: negócios que inovaram na pandemia tiveram perdas menores
Agência da Caixa abre para saques do auxílio e FGTS
Dourados

Agência da Caixa abre para saques do auxílio e FGTS

17/10/2020 08:39
Agência da Caixa abre para saques do auxílio e FGTS
Últimas Notícias