Dourados – MS quarta, 18 de setembro de 2019
Economia

Petrobras reduz preço de gasolina e diesel em R$ 0,13 nas refinarias

01 Jun 2019 - 11h32Por Redação
Novo valor vale a partir da meia-noite deste sábado (1°) - Crédito: Tomaz Silva/Agência BrasilNovo valor vale a partir da meia-noite deste sábado (1°) - Crédito: Tomaz Silva/Agência Brasil

A Petrobras anunciou, na noite desta sexta-feira (31), redução nos preços da gasolina e do diesel nas refinarias. A gasolina teve uma redução de R$ 0,1399 por litro e o diesel, de R$ 0,1383 no valor médio às distribuidoras no país. O novo valor vale a partir da meia-noite deste sábado (1º).

No início da noite, o presidente Jair Bolsonaro postou sobre o anúncio da estatal em sua conta do Twitter. "A Petrobrás informa a redução de 6,0% no preço do DIESEL e 7,2% no preço da GASOLINA. Boa noite a todos!"

O preço final ao consumidor, contudo, vai variar de acordo com o local de venda do combustível, pois sobre o valor entregue pelas refinarias incidem impostos municipais e estaduais, além do custo operacional e da mão de obra e da margem de lucro das empresas.

Entre as refinarias com o menor preço da gasolina estão as de São Luis (MA), que vende o litro a R$ 1,78; Itacoatiara (AM), R$ 1,82, e Manaus (AM), a R$ 1,85. Entre as que praticam os valores mais altos estão as de Brasília, R$ 2,08, e Uberaba (MG), R$ 2,07.

No diesel S500, o mais comum nas estradas, os menores preços são praticados pelas refinarias de Itacoatiara (AM), R$ 2,17; Manaus (AM), R$ 2,20, e Maceió, R$ 2,21. Os maiores preços do diesel S500 estão nas refinarias de Uberaba (MG), R$ 2,40, Brasília, R$ 2,41, e Uberlândia (MG), R$ 2,41.

Na refinaria Duque de Caxias, que abastece o estado do Rio, maior produtor de petróleo do país, o litro da gasolina será vendido a R$ 1,97 e o diesel S500, a R$ 2,31. Na refinaria de Paulínia (SP), o litro da gasolina custará R$ 1,99 e o diesel, R$ 2,31.

Política de preços

Segundo a Petrobras, a política de preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo.

“A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. Além disso, o preço considera uma margem que cobre os riscos (como volatilidade do câmbio e dos preços)”, explicou a estatal.

A Petrobras destacou também que a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras são diferentes dos produtos no posto de combustíveis: “São os combustíveis tipo A, ou seja, gasolina antes da sua combinação com o etanol e diesel também sem adição de biodiesel. Os produtos vendidos nas bombas ao consumidor final são formados a partir do tipo A misturados a biocombustíveis. Os preços que divulgamos aqui se referem aos produtos tipo A”.

Fonte: Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

Taxa básica de juros será definida nesta semana
Economia

Taxa básica de juros será definida nesta semana

16/09/2019 13:00
Taxa básica de juros será definida nesta semana
Receita libera pagamento do 4º lote de restituição do IR 2019
Economia

Receita libera pagamento do 4º lote de restituição do IR 2019

16/09/2019 08:00
Receita libera pagamento do 4º lote de restituição do IR 2019
Caixa registra 12 milhões de transações após liberação do FGTS
Economia

Caixa registra 12 milhões de transações após liberação do FGTS

16/09/2019 07:02
Caixa registra 12 milhões de transações após liberação do FGTS
Endividamento e inadimplência do consumidor têm alta em agosto
Economia

Endividamento e inadimplência do consumidor têm alta em agosto

14/09/2019 07:19
Endividamento e inadimplência do consumidor têm alta em agosto
Economia

Atividade econômica tem queda de 0,16% em julho

13/09/2019 14:16
Últimas Notícias