Dourados – MS segunda, 03 de agosto de 2020
Dourados
31º max
15º min
Campanha Parcelamento Conta
Mato Grosso do Sul

Longen defende junto a ministro a manutenção dos incentivos fiscais

24 Mai 2016 - 10h15
Longen defende junto a ministro a manutenção dos incentivos fiscais -
Em reunião com o novo ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, nesta segunda-feira (23), em Brasília (DF), o presidente da Fiems, Sérgio Longen, acompanhado pelo secretário estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, defendeu a manutenção dos incentivos fiscais para Mato Grosso do Sul e aos demais Estados das regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil.

"Nós precisamos olhar o Brasil em uma condição regional e com muito critério, até porque, as vocações dos Estados brasileiros são bastante diferenciadas, pois, na Região Norte é uma realidade, no Nordeste já é outra totalmente distinta e, no Centro-Oeste, nem se compara. Então, entendemos que em todas essas regiões as realidades econômicas devem ser avaliadas e os incentivos fiscais são essenciais para que os Estados possam captar investimentos", destacou Sérgio Longen.

Ele acrescenta que, hoje, esse é o modelo que os governos estaduais dispõem para a atração de empresas. "Até entendemos que seja possível discutir uma nova fórmula de se fomentar e desenvolver o Brasil de uma maneira mais homogênea, mas é muito difícil que simplesmente o Governo Federal suspenda os benefícios para atender ajustes econômicos, pois isso traria prejuízos às empresas já instaladas nos Estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste", reforçou.

O presidente da Fiems garantiu que o ministro Marcos Pereira foi muito receptivo ao pleito do Estado e se comprometeu em fazer uma visita a Mato Grosso do Sul. "Ele já tem conhecimento de que a indústria do Estado recebe hoje os maiores investimentos da iniciativa privada do País e avalia também como positivas as ações tomadas em Mato Grosso do Sul direcionadas ao apoio do setor empresarial", destacou.

Longen completa que o Brasil precisa de credibilidade e de ações concretas, sendo que o ministro está disposto a sentar à mesa para discutir os grandes projetos e também os gargalos sul-mato-grossenses. "Quer seja a implantação da Rota Bioceânica, quer seja a situação do gás natural importando da Bolívia, que já nos preocupa, ou a retomada da obra de construção da UFN3 (Unidade de Fertilizantes Nitrogenados), da Petrobras, em Três Lagoas (MS). Nessa questão, ele já de pronto se dispôs a abraçar a causa, ou seja, de início nós já saímos dessa reunião com uma grande expectativa de ações concretas para a continuidade do nosso desenvolvimento", finalizou.

Ministro

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços demonstrou interesse em conhecer os empreendimentos e informou que as pequenas e médias empresas do Estado estão dando uma resposta positiva ao Programa Brasil Mais Produtivo, lançado em abril deste ano. "Em pouco mais de um mês, o Mato Grosso do Sul já tem 22 empresas inscritas no Programa, o que representa 30% da meta anual", informou.

O Brasil Mais Produtivo pretende reduzir em 20% o desperdício dos empreendimentos de pequeno e médio portes nos setores de alimentos e bebidas, metalmecânico, moveleiro e de vestuário e calçados. O Programa é uma realização do Ministério, Senai, Apex Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) e ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), com a parceria do Sebrae e do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Na avaliação do secretário estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, o ministro deixou muito claro a importância da regionalização da competitividade industrial. "Ele tem uma preocupação em relação à competitividade das regiões e a abordagem que o Governo do Estado em conjunto com a Fiems fez foi exatamente essa. A importância da manutenção dos incentivos fiscais foi demonstrada ao ministro para que os Estados sejam competitivos em relação aos grandes centros do País, como São Paulo e Minas Gerais", garantiu.

Jaime Verruck acrescenta ainda que repassou a Marcos Pereira alguns outros pontos de interesse do Estado. "O primeiro é o compromisso do Governo do Estado junto ao Ministério para lançar o Plano Nacional de Cultura Exportadora na sua versão Mato Grosso do Sul. O ministro comprometeu-se em ir ao Estado lançar esse Plano Nacional. Também destaquei a importância estratégica da retomada da construção da fábrica da Petrobras, tanto para a Região Centro-Oeste, como para o Brasil", afirmou.

O secretário ainda apresentou ao ministro a importância da integração regional de Mato Grosso do Sul com os países, principalmente, do Mercosul e Paraguai. "Nós destacamos que o Estado está passando por um desenvolvimento industrial e tem uma relação forte com o Mercosul, o que realmente vai gerar o desenvolvimento no nosso Estado e isso seria importante para o País. O Ministério precisa ter essa percepção regional de entender que nós precisamos vender o Brasil para o mundo, mas o Brasil para o mundo é vendido por meio das empresas aqui instaladas. Essa foi a mensagem que passamos ao ministro, que é bastante forte e ele acha que esse é o momento", analisou.


Deixe seu Comentário

Leia Também

Dourados inicia semana com 111 oportunidades de emprego
EMPREGO

Dourados inicia semana com 111 oportunidades de emprego

há 40 minutos atrás
Dourados inicia semana com 111 oportunidades de emprego
Receita paga hoje R$ 5,7 bilhões em restituição de Imposto de Renda
IR

Receita paga hoje R$ 5,7 bilhões em restituição de Imposto de Renda

31/07/2020 14:03
Receita paga hoje R$ 5,7 bilhões em restituição de Imposto de Renda
Brasil

ANP aprova distribuição de royalties para educação e saúde

30/07/2020 17:35
Gás de cozinha tem preço médio de R$ 75,35 em Dourados
Dourados

Gás de cozinha tem preço médio de R$ 75,35 em Dourados

30/07/2020 16:33
Gás de cozinha tem preço médio de R$ 75,35 em Dourados
IBGE: 62,4% das empresas foram afetadas negativamente pela pandemia
Brasil

IBGE: 62,4% das empresas foram afetadas negativamente pela pandemia

30/07/2020 15:03
IBGE: 62,4% das empresas foram afetadas negativamente pela pandemia
Últimas Notícias