Dourados – MS sexta, 25 de setembro de 2020
Dourados
35º max
19º min
ECONOMIA

Inflação projetada pelo mercado financeiro sobe para 7,19%

13 Jun 2016 - 08h39
Banco Central do Brasil. - Crédito: Foto: DivulgaçãoBanco Central do Brasil. - Crédito: Foto: Divulgação


# Título

####Subtítulo


A projeção de instituições financeiras para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), este ano, subiu pela quarta vez seguida, ao passar de 7,12% para 7,19%. Para 2017, a estimativa é mantida em 5,50% há quatro semanas. As projeções fazem parte de pesquisa feita todas as semanas pelo Banco Central (BC) e divulgada às segundas-feiras.

As estimativas estão acima do centro da meta de inflação de 4,5%. O limite superior da meta de inflação é 6,5%, este ano e 6% em 2017. É função do Banco Central fazer com que a inflação fique dentro da meta. Um dos instrumentos usados para influenciar a atividade econômica e, consequentemente, a inflação, é a taxa básica de juros, a Selic.

Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Já quando o Copom reduz os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, mas a medida alivia o controle sobre a inflação.

Juros

O BC tem que encontrar equilíbrio ao tomar decisões sobre a taxa básica de juros, de modo a fazer com que a inflação fique dentro da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional. Na semana passada, o Copom decidiu manter a taxa Selic em 14,25% ao ano por considerar que a inflação acumulada em 12 meses é alta e as expectativas para o índice de preços estão distante da meta. Por isso, o comitê disse que não havia espaço para redução da taxa básica.

A mediana (desconsidera os extremos nas projeções) das expectativas das instituições financeiras para a Selic, passou de 12,88% para 13% ao ano, ao final de 2016, e segue em 11,25% ao ano, no fim de 2017.

A estimativa de instituições financeiras para a queda do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, foi alterada de 3,71% para 3,60%. Para 2017, a estimativa de crescimento passou de 0,85% para 1%.

A projeção para a cotação do dólar ao final de 2016 caiu de R$ 3,68 para R$ 3,65. Para 2017, a estimativa passou de R$ 3,85 para R$ 3,81.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Super 7 é o novo modelo de apostas das Loterias da Caixa
Fezinha

Super 7 é o novo modelo de apostas das Loterias da Caixa

24/09/2020 13:01
Super 7 é o novo modelo de apostas das Loterias da Caixa
Ninguém acerta as seis dezenas e Mega-Sena vai a R$ 50 milhões
Loteria

Ninguém acerta as seis dezenas e Mega-Sena vai a R$ 50 milhões

24/09/2020 07:54
Ninguém acerta as seis dezenas e Mega-Sena vai a R$ 50 milhões
Exportação dos cafés diferenciados brasileiros corresponde a 17% do total vendido ao exterior pelo setor em oito meses
Economia

Exportação dos cafés diferenciados brasileiros corresponde a 17% do total vendido ao exterior pelo setor em oito meses

22/09/2020 17:33
Exportação dos cafés diferenciados brasileiros corresponde a 17% do total vendido ao exterior pelo setor em oito meses
Comércio aposta em Dia das Crianças para melhores resultados nas vendas
Economia

Comércio aposta em Dia das Crianças para melhores resultados nas vendas

22/09/2020 16:57
Comércio aposta em Dia das Crianças para melhores resultados nas vendas
Comerciantes paraguaios protestam pela abertura da fronteira com o Brasil
Fronteira

Comerciantes paraguaios protestam pela abertura da fronteira com o Brasil

22/09/2020 13:52
Comerciantes paraguaios protestam pela abertura da fronteira com o Brasil
Últimas Notícias