Dourados – MS sábado, 11 de julho de 2020
Dourados
31º max
14º min
Economia

Inadimplência com rotativo do cartão de crédito atingiu 38,9% em setembro

03 Nov 2015 - 09h40
Rotativo é a operação em que o cliente financia o saldo devedor após pagar somente uma parte da fatura. - Crédito: Foto: DivulgaçãoRotativo é a operação em que o cliente financia o saldo devedor após pagar somente uma parte da fatura. - Crédito: Foto: Divulgação
A inadimplência do rotativo do cartão de crédito é a mais alta entre as modalidades de empréstimos para pessoas físicas. De acordo com dados do Banco Central (BC), a taxa de inadimplência, considerados atrasos acima de 90 dias, chegou a 38,9%, em setembro, a mais alta desde janeiro de 2012 (38,3%) e a maior para o mês já registrada na série histórica, iniciada em março de 2011.

A inadimplência do cartão supera a do cheque especial (15,3%), a do crédito renegociado (16,4%) e a taxa total para pessoas físicas (5,7%).

Os bancos cobram juros mais caro pelo uso do rotativo do cartão de crédito. Em setembro, a taxa de juros chegou a 414,3% ao ano, muito superior à média dos empréstimos para pessoas físicas (62,3% ao ano).
O rotativo do cartão de crédito é a operação em que o cliente financia o saldo devedor remanescente após pagar somente uma parte da fatura. Também são consideradas como rotativo as operações de saque na função crédito.

O pagamento mínimo é de 15% do total da fatura. Ao deixar de pagar o valor total, o cliente automaticamente contrata uma operação de crédito, com incidência de juros sobre o saldo não liquidado.
Por meio da calculadora do cidadão, disponibilizada pelo BC na internet, é possível verificar quanto custa e quanto tempo leva para quitar a dívida. A ferramenta também compara os custos de outras modalidades de empréstimos.

Por exemplo, ao fazer o pagamento de R$ 150 mensais de uma dívida de R$ 1 mil, com taxa de 414,3% ao ano, o consumidor levará 13,9 parcelas para quitar a fatura. O custo total ficará em R$ 2.089,21, sendo R$ 1.089,21 de juros.

Já o empréstimo consignado de R$ 1 mil, com pagamento de R$ 150 por mês, a dívida chega a R$ 1.062,79, sendo R$ 62,79 de juros. Para quitar a dívida, serão 7,1 parcelas e taxa de juros de 27,56% ao ano. No caso do crédito pessoal, a dívida chegaria a R$ 1.255,49, com taxa de 118,26% ao ano, em 8,4 parcelas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Setor nacional da cachaça prevê retração acima de 21% em 2020
Brasil

Setor nacional da cachaça prevê retração acima de 21% em 2020

10/07/2020 14:04
Setor nacional da cachaça prevê retração acima de 21% em 2020
Dia 15 será paga primeira parcela do 13º salário dos funcionários públicos municipais de Dourados
Dourados

Dia 15 será paga primeira parcela do 13º salário dos funcionários públicos municipais de Dourados

10/07/2020 12:11
Dia 15 será paga primeira parcela do 13º salário dos funcionários públicos municipais de Dourados
Nascidos em maio podem sacar primeira parcela de auxílio emergencial
Economia

Nascidos em maio podem sacar primeira parcela de auxílio emergencial

10/07/2020 08:35
Nascidos em maio podem sacar primeira parcela de auxílio emergencial
Governo economiza quase R$ 200 milhões com trabalho remoto
Economia

Governo economiza quase R$ 200 milhões com trabalho remoto

09/07/2020 11:30
Governo economiza quase R$ 200 milhões com trabalho remoto
Donos de academias, bares e conveniências protestam contra novo decreto
DOURADOS

Donos de academias, bares e conveniências protestam contra novo decreto

09/07/2020 09:57
Donos de academias, bares e conveniências protestam contra novo decreto
Últimas Notícias