Dourados – MS terça, 28 de maio de 2024
Economia

Dólar fecha em pequena alta após troca no comando da Petrobras

Ações da petroleira caem mais de 6% e derrubam bolsa de valores

15 Mai 2024 - 19h18Por Wellton Máximo*, Agência Brasil - Brasília
Dólar fecha em pequena alta após troca no comando da Petrobras
 - Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil

No dia seguinte à demissão de Jean Paul Prates da presidência da Petrobras, o mercado financeiro teve um dia de volatilidade. O dólar abriu em alta, mas terminou o dia perto da estabilidade com notícias positivas dos Estados Unidos. A bolsa de valores encerrou em queda, por causa do peso dos papéis da petroleira no mercado de ações.

O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (15) vendido a R$ 5,137, com alta de apenas 0,12%. A cotação abriu em R$ 5,17, mas recuou após a divulgação de que a inflação na economia norte-americana recuou em abril. Na mínima do dia, por volta das 12h30, chegou a cair para R$ 5,12.

A moeda norte-americana acumula queda de 1,08% em maio. Em 2024, a divisa sobe 5,85%.

O mercado de ações teve um dia mais tenso. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 128.058 pontos, com queda de 0,38%. Apesar do cenário positivo nas bolsas internacionais, a bolsa brasileira fechou em baixa puxada pelas ações da Petrobras, os papéis mais negociados.

As ações ordinárias (com direito a voto em assembleia de acionistas) da Petrobras fecharam aos R$ 40,02, com recuo de 6,78%. Os papéis preferenciais (com prioridade na distribuição de dividendos) encerraram aos R$ 38,40, com queda de 6,04%.

Por 20 minutos, das 12h30 às 12h50, a negociação das ações da estatal chegou a ser suspensa, por causa da divulgação do fato relevante pela companhia com a destituição de Prates e do diretor financeiro, Sergio Caetano Leite. Na mínima do dia, as ações ordinárias da Petrobras chegaram a cair 9,55%, e as preferenciais recuaram 8,2%.

O cenário internacional amenizou as turbulências provocadas pela sucessão na Petrobras. A inflação ao consumidor nos Estados Unidos ficou em 0,3% em abril, com desaceleração em relação aos 0,4% registrado em fevereiro e março. O dado reduz as pressões para que o Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) adie para o próximo ano o início do corte dos juros na maior economia do planeta.

*Com informações da Reuters

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mais de 10 milhões de pessoas ainda não entregaram declaração do IR
Economia

Mais de 10 milhões de pessoas ainda não entregaram declaração do IR

27/05/2024 22:30
Mais de 10 milhões de pessoas ainda não entregaram declaração do IR
Teto de juros do consignado do INSS cairá para 1,66% ao mês
Economia

Teto de juros do consignado do INSS cairá para 1,66% ao mês

27/05/2024 20:30
Teto de juros do consignado do INSS cairá para 1,66% ao mês
Mercado eleva previsão da inflação de 3,8% para 3,86% em 2024
Economia

Mercado eleva previsão da inflação de 3,8% para 3,86% em 2024

27/05/2024 18:30
Mercado eleva previsão da inflação de 3,8% para 3,86% em 2024
Anunciada na 1ª edição do MS Day, construção de fábrica avança e gera 2,3 mil empregos
Sidrolândia

Anunciada na 1ª edição do MS Day, construção de fábrica avança e gera 2,3 mil empregos

27/05/2024 13:00
Anunciada na 1ª edição do MS Day, construção de fábrica avança e gera 2,3 mil empregos
Caixa paga Bolsa Família a beneficiários com NIS de final 7
Economia

Caixa paga Bolsa Família a beneficiários com NIS de final 7

27/05/2024 11:30
Caixa paga Bolsa Família a beneficiários com NIS de final 7
Últimas Notícias