Dourados – MS terça, 20 de fevereiro de 2024
24º
Cassems
Trabalho

Brasil gera mais de 190 mil postos com carteira assinada em outubro

País tem saldo positivo de 1.784.695 novas vagas em 2023

28 Nov 2023 - 17h45Por Pedro Peduzzi, Agência Brasil - Brasília
Brasil gera mais de 190 mil postos com carteira assinada em outubro - Crédito: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil Crédito: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

Em outubro, o Brasil gerou 190.366 postos de trabalho com carteira assinada. Com isso, acumula, ao longo do ano, um saldo positivo de 1.784.695 novas vagas em todas as unidades da Federação em quatro dos cinco grupamentos econômicos que constituem o levantamento. A exceção foi a Agricultura, que teve saldo negativo.

Os números constam do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta terça-feira (28) pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Setores

O saldo positivo de outubro resulta das 1.941.281 admissões e dos 1.750.915 desligamentos registrados no mês. Segundo o MTE, a maioria dos empregos formais foram criados nos setores de Serviços (109.939) e de Comércio (49.647).

Com o resultado acumulado do ano, o estoque total recuperado para o Caged ficou em 44.229.120 postos de trabalho formais. “O maior crescimento do emprego formal em outubro ocorreu no setor de Serviços, com um saldo de 109.939 postos, com destaque para Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, que teve saldo positivo de 65.128 empregos”, informou por meio de nota o ministério.

Ainda segundo a pasta, a segunda maior geração foi observada no setor de Comércio, com 49.647 postos de trabalho gerados no mês, “principalmente no comércio varejista de mercadorias, com predominância de supermercados (saldo positivo de 6.307 postos) e hipermercados (1.925), além dos artigos de vestuário (5.026)”, complementa o estudo.

O terceiro maior crescimento registrado foi na Indústria: saldo positivo de 20.954 novos postos com carteira assinada. O maior destaque ficou com o setor de fabricação de açúcar em bruto (1,5 mil) e fabricação de móveis, com saldo de 1.330. Já a Construção Civil teve saldo positivo de 11.480 empregos.

Saldo negativo

O único setor que registrou saldo negativo foi o da Agropecuária, com 1.656 empregos perdidos no mês. "É um saldo pequeno, mas negativo, resultado da coleta de produtos como o café, entre outros", avaliou o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, em entrevista à imprensa.

Segundo o MTE, esse resultado decorre da desmobilização do café (-2.850), do cultivo de alho (-1.677), cultivo de batata-inglesa (-1.233) e de cebola (-1.138) que superaram o aumento nas atividades de produção de sementes (4.088).

São Paulo foi o estado que obteve o maior saldo de empregos formais. A maior parte dos 69.442 mil novos postos está concentrada no setor de serviços, que obteve saldo positivo de 44.112 novos postos. No Rio de Janeiro, foram gerados 18.803 novas vagas, enquanto no Paraná, o saldo positivo ficou em 14.945 postos.

Acumulado de 2023

São Paulo é também o estado com maior número de novos postos de trabalho no acumulado do ano, com um total 502.193 novas contratações. Na sequência vem Minas Gerais, com 187.485 novos postos e Rio de Janeiro (141.981 vagas formais).

“O maior crescimento do emprego formal no acumulado do ano ocorreu no setor de Serviços, que gerou 976.511 postos de trabalho até outubro (54,4% do saldo), com destaque para as atividades de Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (355.869), e para as atividades de administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (312.552)”, detalhou o levantamento.

Na Construção Civil foram gerados 253.876 postos, com destaque para as obras de infraestrutura (86.099). A indústria apresenta, ao longo do ano, um saldo positivo de 251.11 novos postos, com destaque para a fabricação de produtos alimentícios (81.523).

O comércio gerou 193.526 novas vagas formais, com destaque para o setor de supermercados (17.491), minimercados (12.207) e produtos farmacêuticos (12.684); e a Agropecuária gerou 109.698 postos, tendo como destaques os cultivos de soja (15.870), cana-de-açúcar (15.475) e laranja (7.949).

Tendo como recorte os grupos populacionais, o Caged verificou em outubro saldo positivo tanto para mulheres (90.696 vagas geradas). como para os homens (99.671). Do total de vagas geradas no mês, 110.240 foram para pessoas declaradas como pardas; 64.660 brancas; 22.300 declaradas pretas ; 15.395 amarelas e 652 são declaradas indígenas. Foram também criados 1.699 novos postos de trabalhos para pessoas com deficiência.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mapa abre mais dois novos mercados na Austrália e Costa Rica
Comércio Exterior

Mapa abre mais dois novos mercados na Austrália e Costa Rica

20/02/2024 15:00
Mapa abre mais dois novos mercados na Austrália e Costa Rica
Receita alerta microempreendedor sobre erro na declaração anual
Economia

Receita alerta microempreendedor sobre erro na declaração anual

20/02/2024 12:45
Receita alerta microempreendedor sobre erro na declaração anual
Projeto institui homenagem às mulheres empreendedoras integrantes da BPW em MS
ALEMS

Projeto institui homenagem às mulheres empreendedoras integrantes da BPW em MS

20/02/2024 07:15
Projeto institui homenagem às mulheres empreendedoras integrantes da BPW em MS
Emprego no setor privado atinge maior patamar da série histórica em MS
Economia

Emprego no setor privado atinge maior patamar da série histórica em MS

19/02/2024 22:15
Emprego no setor privado atinge maior patamar da série histórica em MS
Mais de 85% dos ex-alunos de cursos técnicos do Senai estão empregados em Mato Grosso do Sul
Economia

Mais de 85% dos ex-alunos de cursos técnicos do Senai estão empregados em Mato Grosso do Sul

19/02/2024 21:30
Mais de 85% dos ex-alunos de cursos técnicos do Senai estão empregados em Mato Grosso do Sul
Últimas Notícias