Dourados – MS sexta, 24 de maio de 2024
19º
Festival América do Sul

Michel Teló leva 10 mil pessoas à praça e interpreta os maiores sucesso do sertanejo raiz

Teló recebeu convidados que conhecera pouco antes, como a violeira corumbaense Ivi Rondon

27 Mai 2022 - 17h15Por Subsecretaria de Comunicação (Subcom)
Teló deu show no Palco Integração do Festival América do Sul Pantanal - Crédito: BrunoTeló deu show no Palco Integração do Festival América do Sul Pantanal - Crédito: Bruno

O show de Michel Teló na noite de quinta-feira, no Palco Integração do Festival América do Sul Pantanal, foi digno de uma abertura em alto astral do evento promovido pelo Governo do Estado em Corumbá. O cantor fez uma releitura de seu grande sucesso – a coletânea Bem Sertanejo – em duas horas de total entrega com o público, numa viagem pela história da música raiz sertaneja, reproduzindo a trilha sonora da vida de todos que gostam do gênero.

“Sou cria de Mato Grosso do Sul, gosto de música raiz, fui criado no bailão e gosto de sanfona e viola”, foi logo dizendo o paranaense de Medianeira (PR), onde nasceu em 1981, emendando nas cordas o clássico “Menino da Portela” para fazer o público presente na Praça Generoso Ponce cantar em uníssono. Foi uma empatia de saída que durou todo o show, emocionando também Teló. “Minha nossa, vocês são incríveis”, repetia a cada manifestação dos fãs.

A reação de pelo menos 10 mil pessoas na praça era proporcional a alegria do cantor, que confessou estar motivado para subir ao palco e abrir um festival que considera emblemático para a música, independente de ritmos e fronteiras. “É um evento muito especial para a nossa cultura, sinto-me honrado e feliz de ser convidado e compartilhar esse momento”, disse, em entrevista nos camarins. “Me considero sul-mato-grossense, sou defensor do sertanejo raiz.”

Chalana, 70 anos

O show seria marcado por surpresas no palco, onde Teló recebeu convidados que conhecera pouco antes, como a violeira corumbaense Ivi Rondon, de apenas 17 anos. Nos camarins, onde se encontrou com o governador Reinaldo Azambuja e sua esposa Fátima, entre outros convidados, o cantor estava ligado no que rolava no palco antecedendo a sua entrada. “Quero salva de palmas para essa Orquestra de Câmara do Pantanal, foi emocionante”, pediu.

A orquestra a que se referia era um grupo de jovens do Moinho Cultural Sul-Americano, que já se apresentara até em Dubai, regida pelo maestro Eduardo Martinelli. Depois de “Menino da Porteira” e “Ai se eu te Pego”, o cantor voltou a sacudir o povão com “Chico Mineiro” e “Moreninha Linda”, homenageando Tonico e Tinoco, lembrando dos tempos do Grupo Tradição e dos shows no Barracão de Zinco e Muro Quebrado, em Corumbá.

“Foram músicas que marcaram o início de minha carreira solo”, comentou, para novamente mexer a plateia com a dançante “Fugidinha”. Para não negar seu lado “sul-mato-grossense” incluiu no repertório o hino “Chalana”, composta por Mário Zan na beira do Rio Paraguai. “Foi uma das primeiras guarânias e está completando 70 anos”, lembrou. “Essa música foi inspirada aqui, o que demonstra o quão esse Pantanal é especial, me orgulho de viver aqui”, confessa.

Em tom nostálgico, cantarolou “Índia” e “Meu Primeiro Amor” e voltou às origens, no Tradição, interpretando sucessos como “Barquinho”. “Oh, tempo bom...”, suspira. Intercalando entre sanfona e violão, elevou a temperatura do coração dos corumbaenses com um pot-pourri que incluiu “Adeus Paulistinha”, “60 Dias Apaixonado”, “Saudade de Minha Terra” e “Casal Modão”. Na sequência, “Pela Longa Estrada da Vida”, de Milionário e Zé Rico.

Convidados no palco

O show atingia seu ápice, o público duetava e Teló marejava os olhos, incontido, acompanhado por quatro excelentes músicos no baixo, violão, sanfona e bateria. Vieram outros clássicos, como “Fio de Cabelo” e “Telefone Mudo”, e o esquecimento momentâneo da letra de Trem do Pantanal. “Faz tempo que não toco”, desculpou-se. Ao chamar no palco a violeira Ivi Rondon, Teló pegou a sanfona de jeito e duelou com a viola em “Galopeira”.

“É muito importante o apoio e incentivo ao artista da terra”, comentou. Extasiada, Ivi agradeceu a oportunidade e recebeu o aplauso e carinho do público. Cantora desde os 7 anos de idade, ela conseguiu um encontro com Teló nos camarins e cantou para ele “Mercedita”, que a credenciou a ser convidada a fazer uma apresentação especial no palco. “Foi muita emoção, me impressionou muito a humildade e o talento dele”, contou a violeira.

A última etapa do show seguiu o repertório de “Bem Sertanejo”, com os sucessos “Boate da Zona Azul”, “Evidências” e “O Mar Parou”. Novos convidados sobem ao palco, desta vez a dupla Henrique e Natan. O primeiro (Henrique Golin) é amigo da família de Teló e se apresenta em bares e festas em Campo Grande; o segundo, é primo do artista. Antes de se despedir, o cantor pede salva de palmas ao governador Reinando Azambuja pela realização do Fasp 2022.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Proposta reconhece línguas indígenas como patrimônio cultural imaterial
ALEMS

Proposta reconhece línguas indígenas como patrimônio cultural imaterial

23/05/2024 21:15
Proposta reconhece línguas indígenas como patrimônio cultural imaterial
Nova imortal, Sylvia Cesco destaca saberes femininos em sua posse na ASL
Cultura

Nova imortal, Sylvia Cesco destaca saberes femininos em sua posse na ASL

23/05/2024 17:30
Nova imortal, Sylvia Cesco destaca saberes femininos em sua posse na ASL
Artesãs da Reserva Indígena de Dourados se capacitam em Economia Criativa através do Instagram
Cultura

Artesãs da Reserva Indígena de Dourados se capacitam em Economia Criativa através do Instagram

23/05/2024 15:00
Artesãs da Reserva Indígena de Dourados se capacitam em Economia Criativa através do Instagram
2° Edição de baile de forró acontece em Dourados
Cultura

2° Edição de baile de forró acontece em Dourados

23/05/2024 13:30
2° Edição de baile de forró acontece em Dourados
Sertanejo de Elvis e Adriano anima Som do Sesc nesta quinta-feira
Música

Sertanejo de Elvis e Adriano anima Som do Sesc nesta quinta-feira

23/05/2024 07:30
Sertanejo de Elvis e Adriano anima Som do Sesc nesta quinta-feira
Últimas Notícias