Dourados – MS segunda, 24 de junho de 2024
25º
UEMS - Pantanal
Aurineide Alencar

Cordealista de Dourados vai percorrer MS para divulgar a literatura do cordel

17 Fev 2020 - 14h01Por Flávio Verão
Cordelista Aurineide (de chapéu à direita) com membros da Academia Douradense de Letras (ADL) - Cordelista Aurineide (de chapéu à direita) com membros da Academia Douradense de Letras (ADL) -

Uma Kombi e diversos livretos de cordel. Esses serão as companhias da professora aposentada e cordelista Aurineide Alencar a partir deste ano. Ela percorrerá Mato Grosso do Sul em feiras literárias e levará o marido como motorista. "Vou divulgar a literatura do cordel, que faz parte de mim e que amo tanto", resumiu ao O PROGRESSO. 

Vencedora de vários prêmios nacional e internacional e Embaixadora Universal da Cultura com aval da Unesco, Aurineide venceu um prêmio no ano passado que possibilitou a compra da Kombi, que ainda resta ser personalizada. Assim que estiver toda equipada, as viagens serão iniciadas.

Enquanto o roteiro não se inicia, a cordelista já sente o gostinho de andar no veículo que em breve se transformará num “cordelteca”. Membro da Academia Douradense de Letras (ADL), ela convidou os imortais para um passeio, seguido de uma visita em sua residência, localizada numa sitióca em Dourados. Foi uma tarde de confraternização. Claro que não faltou também recitação de cordel. 

Professora de séries iniciais, Aurineide Alencar sempre trabalhou com a literatura do cordel para estimular os alunos a desenvolver a leitura, a criatividade. Essa paixão ela carrega desde menina, iniciado aos 7 anos, soletrando com a mãe numa Carta de ABC e fazendo os primeiros números da tabuada. Da 4ª série em diante passou a estudar na cidade, onde os principais livros que lia sempre foram os livretos de cordéis, os quais fazem parte da cultura nordestina.

Como Mato Grosso do Sul não tem tradição de cordel, Aurineide quer levar esse gênero literário para os mais diferentes eventos culturais que serão realizados no Estado. "Vou chegar com minha Kombi para apresentar o Cordel. É a minha paixão e quero que todos conheçam", ressaltou. Embora esteja aposentada, convites são realizados principalmente em escolas. "Se me chamar eu vou, pois faço o que amo".

Aurineide tem cinco livros publicados: Nas veredas do cordel, Vida em versos, Mato Grosso do Sul nas asas do cordel, Pescador de cantos e Embrenhando-se em cordel. Tem ainda mais de noventa folhetos de cordéis e quinze desafios com a escritora e poetisa: Odila Schwingel Lange, a qual formam a dupla: Óxente & Tchê.

A cordelista tem participação em mais de 40 Antologias nacionais e internacionais e além de Membro efetivo da Academia Douradense de Letras, é também membro da Academia de Letras do Brasil/MS, Academia Feminina de Letras e Artes do Mato Grosso do Sul, membro e Delegada da União Brasileira de Trovadores em Dourados, membro correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni/MG, Academia Norte Rio Grandense de Literatura de Cordel.  

: A origem do nome

Literatura do Cordel
 
Literatura de Cordel é o nome dado às histórias do romanceiro popular do sertão Nordeste do Brasil (em especial Pernambuco, Paraíba e Ceará). A origem do nome "Literatura de Cordel" está em folhetos de impressão expostos à venda pendurados em varais de barbante. O nome vem de Portugal, onde esse tipo de folheto de literatura popular também era produzido. 
 
Os folhetos de cordel brasileiros (também chamados "folhetos de feira"), com textos poeticamente estruturados, têm a sextilha (conjunto de seis versos) como estrofe básica, mas há também as septilhas, oitavas e as décimas (respectivamente sete, oito e dez versos, este último também chamado "martelo"). A métrica dos versos é em geral a redondilha maior, ou seja, os versos de sete sílabas, mas sem o rigor que vigora na poesia erudita. Tem também rimas e vocabulário simples, mas nem por isso perdem - antes ganham - em valor estético. Os folhetos são ilustrados principalmente com xilogravuras.
 
A literatura de cordel é considerada um gênero literário geralmente feito em versos. Ela se afasta dos cânones na medida em que incorpora uma linguagem e temas populares.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Festa Junina reúne quase 50 mil pessoas em cinco dias e consolida sucesso
Dourados

Festa Junina reúne quase 50 mil pessoas em cinco dias e consolida sucesso

24/06/2024 17:00
Festa Junina reúne quase 50 mil pessoas em cinco dias e consolida sucesso
Espetáculo teatral "Uma Moça da Cidade" é apresentado no bairro Tijuca
Cultura

Espetáculo teatral "Uma Moça da Cidade" é apresentado no bairro Tijuca

24/06/2024 13:00
Espetáculo teatral "Uma Moça da Cidade" é apresentado no bairro Tijuca
MinC e Ancine ampliam recursos para a internacionalização do cinema brasileiro
Audiovisual

MinC e Ancine ampliam recursos para a internacionalização do cinema brasileiro

23/06/2024 14:00
MinC e Ancine ampliam recursos para a internacionalização do cinema brasileiro
Pesquisa revela consolidação da Festa do Queijo no distrito de Rochedinho
Cultura

Pesquisa revela consolidação da Festa do Queijo no distrito de Rochedinho

23/06/2024 12:30
Pesquisa revela consolidação da Festa do Queijo no distrito de Rochedinho
Ponta Porã recebe Projeto "Cine Itaipu  50 Anos em cena" neste domingo
Cultura

Ponta Porã recebe Projeto "Cine Itaipu 50 Anos em cena" neste domingo

23/06/2024 11:00
Ponta Porã recebe Projeto "Cine Itaipu  50 Anos em cena" neste domingo
Últimas Notícias