Dourados – MS segunda, 20 de maio de 2024
13º
Clima

Período de estiagem começa no Pantanal com chuvas abaixo da média

Alerta é para possibilidade de seca severa nos próximos meses

14 Mai 2024 - 12h00Por Agência Brasil - Rio de Janeiro
Período de estiagem começa no Pantanal com chuvas abaixo da média - Crédito: Bruno Rezende/Governo MS Crédito: Bruno Rezende/Governo MS

O período de estiagem começou no Pantanal e o cenário é de alerta para a possibilidade de uma seca severa nos próximos meses na Bacia do Rio Paraguai. Segundo o monitoramento do Serviço Geológico do Brasil (SGB), no município de Ladário (MS), onde está localizada uma estação de referência e com a série histórica mais longa, o nível do rio está na marca de 1,44 metro, segundo dados de segunda-feira (13).

A cota está abaixo da média histórica e pode atingir níveis críticos entre setembro e outubro, quando as chuvas, normalmente, retornam na região, que abrange Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Essa estação chuvosa – de outubro de 2023 a abril de 2024 – foi caracterizada por um déficit no volume de chuvas, que prejudicou a recuperação da bacia. Neste mês, era esperado em torno de 57 milímetros (mm) para a região e foi registrado volume inferior a 3 mm. Diante desse cenário, as projeções mostram que Ladário pode atingir, no pico da estiagem, uma cota que varie entre o que ocorreu em 2020, quando foi registrado -32 cm, e o cenário mais grave observado em 2021, época em que o rio chegou a -61 cm.

“As projeções indicam que a mínima anual pode ocorrer em outubro, com cota negativa. Se chover dentro da média, teremos cenário semelhante ao ano de 2020. Caso as chuvas fiquem abaixo da normalidade, o cenário será mais grave e similar aos anos em que enfrentamos as piores secas da história do Pantanal: 1964, 1971 e 2021”, afirmou o pesquisador em geociências do SGB Marcus Suassuna.

A situação tem impactos significativos no ecossistema, nas comunidades ribeirinhas, nos estados e em todo o Brasil, com repercussão também em outros países vizinhos, em especial na Bolívia e no Paraguai, que são dependentes da hidrovia Paraná-Paraguai para o comércio exterior.

Além disso, a seca severa provoca dificuldades no abastecimento de água, limitações na navegação, ampliação dos riscos de incêndios florestais e um potencial aumento do tráfego em rodovias, que danifica as estradas e eleva os riscos de mortandade de animais silvestres por atropelamento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Governo de MS e Consulado Geral dos EUA se unem para proteção do Pantanal
Meio ambiente

Governo de MS e Consulado Geral dos EUA se unem para proteção do Pantanal

19/05/2024 06:15
Governo de MS e Consulado Geral dos EUA se unem para proteção do Pantanal
Estudo revela efetividade das ações de conservação ambiental
Meio ambiente

Estudo revela efetividade das ações de conservação ambiental

18/05/2024 16:30
Estudo revela efetividade das ações de conservação ambiental
Seminário vai discutir ação climática e turismo sustentável em Mato Grosso do Sul
Meio ambiente

Seminário vai discutir ação climática e turismo sustentável em Mato Grosso do Sul

18/05/2024 06:15
Seminário vai discutir ação climática e turismo sustentável em Mato Grosso do Sul
Descarte correto de lâmpadas fluorescentes: compromisso com um agora mais sustentável
Meio ambiente

Descarte correto de lâmpadas fluorescentes: compromisso com um agora mais sustentável

16/05/2024 13:00
Descarte correto de lâmpadas fluorescentes: compromisso com um agora mais sustentável
MS participa do maior evento de observação de aves da América Latina
Avistar Brasil

MS participa do maior evento de observação de aves da América Latina

16/05/2024 12:45
MS participa do maior evento de observação de aves da América Latina
Últimas Notícias