Dourados – MS segunda, 10 de agosto de 2020
Dourados
32º max
18º min
Segurança e Saúde JBS
Meio ambiente

Maior viveiro da América Latina recebe quase 300 aves resgatadas

Ambiente tem cerca de 5 mil metros quadrados de Mata Atlântica

31 Mar 2020 - 16h20Por Agência Brasil
Maior viveiro da América Latina recebe quase 300 aves resgatadas - Crédito: Divulgação do Viveiro Cecropia Crédito: Divulgação do Viveiro Cecropia

A soltura de 276 aves marcou, nesta terça-feira (31), a inauguração do maior viveiro da América Latina para ambientação de animais vítimas de tráfico e maus-tratos. O ambiente tem cerca de 5 mil metros quadrados de Mata Atlântica recuperada e estruturada, dentro do Parque das Aves, em Foz do Iguaçu, no Paraná.

A diretora técnica do local, Paloma Basso, explica que o lugar foi concebido para receber animais que não têm condições de ser reinseridos em ambiente natural sem supervisão. Muitos sofreram mutilações que os tornariam presas fáceis. “É o caso de várias aves da espécie Periquitão Maracanã que recebemos aqui. Eles tiveram os membros inferiores amputados por pedaços de linha com cerol, utilizados pela ave adulta na construção dos ninhos”, explica.

Ao todo, 12 espécies diferentes da família dos papagaios ocuparam o novo viveiro. Segundo Paloma, apesar de serem a maioria periquitos, as espécies variam em tamanho, mas convivem pacificamente, sem possibilidade de agressão. “Eles agora poderão explorar o recinto naturalmente e desenvolver a habilidade de voo. É um fragmento da Mata Atlântica que está disponível exclusivamente para eles”, diz.

O novo viveiro foi batizado de Cecropia, que é o nome científico da embaúba, uma espécie de árvore que teve um papel fundamental na regeneração da área, antes da mata secundária. O objetivo é tornar o ambiente o mais equilibrado possível, inclusive, com a inserção futura de outras espécies de animais.

Nesse primeiro momento, as aves serão monitoradas pela equipe técnica do parque durante o período de adaptação ao novo ambiente. “São animais que após o resgate já passaram por várias etapas, desde a quarentena, até o momento em que foram classificados em grupos para interação, em ambientes menores, dentro do próprio viveiro. Agora as grades desses ambientes foram abertas para que eles fiquem à vontade para explorar todo o espaço”, explica Paloma.

A última etapa do projeto será a abertura do viveiro para visitação, na qual as pessoas poderão vivenciar a proximidade com essas aves. Mas isso acontecerá somente depois que o Parque for reaberto à visitação, interrompida por causa da pandemia do novo coronavírus . “Nós decidimos seguir com o planejamento, já que essa etapa envolveu uma parte pequena da equipe, que pôde trabalhar com toda a segurança sanitária exigida”, conclui.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Bombeiros controlam fogo que destruiu 2 mil hectares
MS

Bombeiros controlam fogo que destruiu 2 mil hectares

09/08/2020 11:08
Bombeiros controlam fogo que destruiu 2 mil hectares
Domingo dedicado aos pais terá predomínio de sol
MS

Domingo dedicado aos pais terá predomínio de sol

09/08/2020 07:01
Domingo dedicado aos pais terá predomínio de sol
Relatório da Operação Pantanal mostra aumento dos focos de incêndio em MS
Pantanal

Relatório da Operação Pantanal mostra aumento dos focos de incêndio em MS

08/08/2020 14:04
Relatório da Operação Pantanal mostra aumento dos focos de incêndio em MS
Clima permanece seco e temperatura na casa dos 37°C
MEIO AMBIENTE

Clima permanece seco e temperatura na casa dos 37°C

08/08/2020 07:05
Clima permanece seco e temperatura na casa dos 37°C
Pesquisa investiga o potencial do mastruz como fitomedicamento para uso contra a Covid-19
Covid-19

Pesquisa investiga o potencial do mastruz como fitomedicamento para uso contra a Covid-19

06/08/2020 15:33
Pesquisa investiga o potencial do mastruz como fitomedicamento para uso contra a Covid-19
Últimas Notícias