Dourados – MS segunda, 20 de setembro de 2021
Dourados
40º max
24º min
Pesquisa

Ausência do pai leva maioria dos jovens presos ao mundo do crime, diz pesquisa

Pesquisa realizada em Dourados está sendo reproduzida em todo o Brasil. Delegado alerta para distanciamento dos pais e filhos durante a pandemia

30 Jul 2021 - 15h30Por Valéria Araújo
Ausência do pai leva maioria dos jovens presos ao mundo do crime, diz pesquisa -

A ausência do pai foi determinante para levar 92% dos presos da Penitenciária Estadual de Dourados (PED) ao mundo do crime. A constatação é do delegado de Polícia Federal Dênis Colares e  tem como base uma pesquisa que ele mesmo realizou e que leva em conta as respostas dos detentos.  O mesmo estudo está sendo realizado em todo o Brasil durante a pandemia. “Já estamos enviando formulários para todos os presídios femininos e masculinos do País, mas posso adiantar que com base nas recentes respostas que já obtivemos, a maioria dos presos tiveram ausência dos pais na infância e adolescencia”, destaca. 

Colares faz  um alerta em relação a guarda compartilhada. “Entendemos que houve um distanciamento natural durante a pandemia de um dos pais, muitos por estarem em suas obrigações com a sociedade estando na linha de frente. No entanto não podemos baixar a guarda. A presença materna e paterna é determinante na vida dos filhos”, destaca. 

Em Dourados o  levantamento foi feito com 222 internos com o apoio do setor de psicologia do presídio. Segundo o delegado, a maioria dos entrevistados acredita que só ingressaram no mundo do crime devido a ausência do pai. Esta falta que começou na infância e se arrastou ao longo da juventude ainda é sentida nos dias atuais. Segundo os entrevistados, apenas 6% dos pais (o homem) visita os filhos na cadeia.
O delegado também ressalta que recente pesquisa do Centro Socioeducativo de Minas Gerais comprova os números. Segundo o levantamento, 69% dos jovens nas Uneis foram abandonados ou não tiveram a atenção do pai.

A triste realidade é vivida no mundo todo. Para se ter uma ideia, o Conselho dos Direitos das Crianças nos Estados Unidos, publicou pesquisa recente encomendada pelo Departamento de Serviços Humanos e Sociais do Governo daquele país e apontou que meninos e meninas sem um pai presente em suas vidas têm 63% mais possibilidade de fugirem de casa e 37% mais chances de utilizarem drogas. A pesquisa constatou ainda que, sem um pai presente, a criança tem duas vezes mais possibilidades de acabar na cadeia e quatro vezes mais chances de necessitar de cuidados profissionais para problemas de comportamento.

De acordo com o delegado Dênis Colares, a ausência do pai na vida do filho é muito grave e muitas vezes os efeitos são irreversíveis. "A maioria dos presos de alta periculosidade como os estupradores (60%) que eu entrevistei não tiveram a presença do pai em suas vidas. Não tiveram a atenção que mereciam e foram para o caminho da delinquência. Costumo citar uma frase que vi no filme "O Gladiador" que diz "os seus erros como filho, são meus erros como pai" e isto é uma verdade comprovada em Dourados. Por isso, estou chamando a atenção desses pais para que mudem seus comportamentos enquanto há tempo. Muitos passam várias horas na frente da TV assistindo partidas de futebol e não destinam nada de tempo para o filho, que cresce com a dificuldade de reconhecer os limites e de aprender regras de convivência social.

O pai deve acompanhar as rotinas do filho, estar junto de suas atividades, impor limites e estar atento às amizades. Isto não está acontecendo. O que estamos vendo são pais que terceirizam para a escola a educação dos filhos. Prestem atenção! Hoje as crianças clamam por atenção e por limites e muitos pais não enxergam isso. Se o filho não encontra o exemplo dentro de casa ele vai procurar fora", alerta.

Alienação parental
Membro da Comissão de Infância do Instituto Brasileiro de Direito de Família, o delegado Dênis Colares também é combativo a alienação parental e alerta que ela também é responsável pelo afastamento de pais e filhos.  Segundo ele trata-se de um fenômeno danoso à saúde das crianças e adolescentes, e por esta razão, deve ser combatido e prevenido por meio da conscientização de todos os envolvidos. O delegado destaca a criança alienada pode vir a sentir constantes ataques de raiva, ódio, medo ou indiferença ao genitor alienado e à sua família, recusando-se a dar atenção, visitar ou comunicar-se como este genitor.

Conforme o art. 2º da Lei nº 12.318/2010, “Considera-se ato de alienação parental a interferência na formação psicológica da criança ou adolescente, promovida ou induzida por um dos genitores, pelos avós ou pelos que tenham a criança ou adolescente sob a autoridade, guarda ou vigilância, para que repudie genitor ou que cause prejuízo ao estabelecimento ou à manutenção de vínculos com este”, e seus incisos apresentam alguns exemplos de condutas que podem caracterizar o ato, como realizar campanha de desqualificação da conduta do genitor no exercício da paternidade ou maternidade, impedir o pai/mãe não-guardião(ã) de obter informações médicas ou escolares dos filhos, criar obstáculos à convivência da criança com o pai/mãe não-guardião(ã) e familiares deste(a), apresentar falsa denúncia contra genitor, contra familiares deste ou contra avós, para obstar ou dificultar sua convivência com a criança ou adolescente, ou mudar o domicílio para local distante, sem justificativa, visando dificultar a convivência da criança ou adolescente com o outro genitor, com familiares deste ou com avós.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Dourados tem o 1º crematório para animais do Mato Grosso do Sul
Pets

Dourados tem o 1º crematório para animais do Mato Grosso do Sul

19/09/2021 14:00
Dourados tem o 1º crematório para animais do Mato Grosso do Sul
Caminhoneira recomeçou a vida na estrada: “Me devolveu alegria de viver”
Superação

Caminhoneira recomeçou a vida na estrada: “Me devolveu alegria de viver”

19/09/2021 13:00
Caminhoneira recomeçou a vida na estrada: “Me devolveu alegria de viver”
Consumo de álcool cresceu vertiginosamente na pandemia
Comportamento

Consumo de álcool cresceu vertiginosamente na pandemia

19/09/2021 12:00
Consumo de álcool cresceu vertiginosamente na pandemia
Projeto do IMAD cria centro para desenvolvimento socioambiental
Bororó

Projeto do IMAD cria centro para desenvolvimento socioambiental

19/09/2021 11:00
Projeto do IMAD cria centro para desenvolvimento socioambiental
Indígenas que passaram pela AJI retribuem com trabalho na Reserva
Organização

Indígenas que passaram pela AJI retribuem com trabalho na Reserva

19/09/2021 10:00
Indígenas que passaram pela AJI retribuem com trabalho na Reserva
Últimas Notícias