Dourados – MS sábado, 18 de maio de 2024
27º
Direitos humanos

Audiência debate divulgação da cartilha sobre a Lei Menino Bernardo

Norma homenageia criança morta por violência doméstica e busca punir quem usa castigo físico para educar crianças

22 Jun 2022 - 09h15Por Agência Câmara de Notícias
Lei busca engajar profissionais e a população em geral na concretização da lei no dia a dia   - Crédito: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas Lei busca engajar profissionais e a população em geral na concretização da lei no dia a dia - Crédito: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados realiza audiência pública nesta quinta-feira (23) sobre a divulgação da Cartilha da Lei Menino Bernardo, que estabelece o direito de crianças e adolescentes serem educados sem o uso de castigos físicos ou tratamento cruel por aqueles responsáveis em educá-los ou protegê-los.

Antes conhecida como Lei da Palmada, a norma teve origem no Projeto de Lei 7672/10, do Executivo, e seu novo nome homenageia o garoto gaúcho Bernardo Boldrini, de 11 anos, vítima de violência doméstica, na cidade de Frederico Westphalen (RS).

Segundo a lei, os pais ou responsáveis que usarem castigo físico ou tratamento cruel e degradante contra criança ou adolescente ficam sujeitos a advertência, encaminhamento para programa oficial ou comunitário de proteção à família, tratamento psicológico e cursos de orientação, além de outras sanções.

Essas medidas serão aplicadas pelo conselho tutelar da região onde reside a criança.

A deputada Erika Kokay (PT-DF), que pediu a realização do debate, afirma que a lei representa um "avanço civilizatório" para o Brasil, por estabelecer normas para a educação de crianças e adolescentes, sem o uso da violência.

A parlamentar explica que, no intuito de contribuir para o processo de mudança de cultura no País, a Rede Não Bata Eduque lançou a Cartilha Lei Menino Bernard para mostrar como a norma pode ser aplicada na prática.

O debate desta quinta, continua Erika Kokay, busca divulgar a cartilha, consolidar a cultura da educação sem violência, com respeito ao desenvolvimento das crianças e adolescentes brasileiros, e discutir novas formas de ampliar a divulgação da lei.

Debatedores
Foram convidados para discutir o assunto, entre outros:
- o representante do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), Diego Bezerra Alves;
- o presidente do Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), Darcy Frigo;
- o representante da Associação dos Conselhos Tutelares do Rio de Janeiro, Marcelo Nascimento; e
- a coordenadora das ações de Participação Infanto-Juvenil da Rede Não Bata, Eduque, Ana Paula Rodrigues.

A audiência será realizada no plenário 9, a partir das 14 horas, e poderá ser acompanhada ao vivo pelo portal e-Democracia.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

 53ª edição do Fonaje encerra com a leitura da Carta de Campo Grande
Judiciário

53ª edição do Fonaje encerra com a leitura da Carta de Campo Grande

18/05/2024 13:00
 53ª edição do Fonaje encerra com a leitura da Carta de Campo Grande
18 de maio: Dia Nacional da Luta Antimanicomial
Direitos humanos

18 de maio: Dia Nacional da Luta Antimanicomial

18/05/2024 11:00
18 de maio: Dia Nacional da Luta Antimanicomial
Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 30 milhões
Loteria

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 30 milhões

18/05/2024 10:30
Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 30 milhões
Mais uma vez MS fica entre os TOP 10 em avistamento de espécies de aves no Global Big Day de maio
Turismo

Mais uma vez MS fica entre os TOP 10 em avistamento de espécies de aves no Global Big Day de maio

18/05/2024 10:00
Mais uma vez MS fica entre os TOP 10 em avistamento de espécies de aves no Global Big Day de maio
Equipe da UFMS participa de segunda etapa de testes das urnas eletrônicas
Brasília

Equipe da UFMS participa de segunda etapa de testes das urnas eletrônicas

18/05/2024 07:45
Equipe da UFMS participa de segunda etapa de testes das urnas eletrônicas
Últimas Notícias