Dourados – MS sexta, 24 de setembro de 2021
Dourados
36º max
19º min
Institucional - Setembro
Campo Grande

Vice-governadora solicita apoio da ONU para solucionar conflitos

15 Mar 2016 - 06h00
Vice-governadora e secretária, Rose Modesto, ao descrever situação atual indígena e de conflitos de terras à relatora especial da ONU. - Crédito: Foto: LecaVice-governadora e secretária, Rose Modesto, ao descrever situação atual indígena e de conflitos de terras à relatora especial da ONU. - Crédito: Foto: Leca
A vice-governadora e secretária de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), Rose Modesto, solicitou à Organização das Nações Unidas (ONU) atuação para convencer o Governo Federal a solucionar a situação de conflito entre indígenas e fazendeiros. O pedido foi feito na sexta-feira à noite (11), durante visita de comissão composta pela filipina Victória Tauli-Corpuz, relatora especial da entidade internacional e ex-presidente do Fórum Permanente de Questões Indígenas da ONU entre 2005 e 2010. Na reunião, ainda participaram a subsecretária da Sedhast para Políticas Indígenas, Silvana Albquerque, e representantes da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul).


A representante internacional chegou ao Brasil na semana passada, já esteve em Brasília (DF) e passou por Dourados, onde visitou autoridades municipais e comunidades indígenas urbanas. Nesta semana cumprirá agenda novamente na capital federal. A meta é apresentar relatório oficial com suas conclusões e recomendações ao governo brasileiro e ao Conselho de Direitos Humanos, em setembro de 2016.


"Pedi à representante que leve nossas considerações sobre a questão indígena diretamente ao Governo Federal. Explicamos a situação atual de conflitos de terras em Mato Grosso do Sul e o empenho do Governo do Estado para resolver a situação mas, sem a ação direta de Brasília, ficamos de mãos atadas para efetivamente solucionar esses problemas", ponderou a vice-governadora.


Ao lado da subsecretária indígena, Rose Modesto traçou perfil dos povos indígenas locais e a questão agrária, além de citação sobre problemas de saúde e violência em comunidades urbanas, como as Aldeias Bororo e Jaguapiru em Dourados. "O que mais nos preocupa além da questão da terra, são os guarani-kaiowá na região sul do Estado que culturalmente não são agricultores e estão enfrentando problema de fome e doenças", citou a subsecretária.


Os representantes da Famasul relataram a situação estagnada de negociação sobre a indenização de áreas tradicionais indígenas. Para a entidade, a ausência do Governo Federal está diretamente ligada ao aumento de conflitos de terras em Mato Grosso do Sul, opinião compartilhada pela vice-governadora. "Ficamos em um impasse. No ano passado, nosso primeiro período de governo, chamamos o então ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, para vir ao Estado e assim abrirmos novamente um caminho de diálogo para solucionar os conflitos de terra mas nada caminhou. Houve promessas que não foram cumpridas. O Governo do Estado já se colocou à disposição para ajudar na questão, mas sem o Governo Federal não há meios de solucionar o problema, como a questão da indenização das áreas", descreveu.


A Comissão da ONU assumiu o compromisso de levar a reivindicação da vice-governadora à Brasília nesta semana. "Viemos ao Mato Grosso do Sul porque as notícias que temos é que a região necessita de acompanhamento em razão de situações de conflitos e também a pobreza das famílias indígenas principalmente no sul do Estado. Vamos ponderar com o Governo Federal a situação local e recomendar ações para a solução desses conflitos", sinalizou a relatora da ONU.

Ações do Governo Estadual


Também foi entregue à ONU relatório de ações do Governo do Estado para políticas indígenas. "Esta é a primeira vez que o Estado tem uma subsecretaria só para tratar do assunto e isso é um avanço muito grande. Estamos atuando em várias frentes: na educação com Vale Universidade Indígena; na construção de um plano de políticas permanentes para nosso povo independente de governo e ainda atuando diretamente com as comunidades rurais em parceria com a Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) com a distribuição de sementes para 12 mil famílias, além de combustível e tratores cedidos pelo Governo", quantificou a subsecretária sobre algumas das ações executadas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Semed visita escolas para verificar cumprimento do protocolo de volta às aulas
Dourados

Semed visita escolas para verificar cumprimento do protocolo de volta às aulas

24/09/2021 13:00
Semed visita escolas para verificar cumprimento do protocolo de volta às aulas
Enem

Terminam hoje inscrições para pessoas privadas de liberdade

24/09/2021 11:00
Fiquei muito comovido', diz policial que desatolou boi em propriedade onde 337 animais estava sem alimento
Cidades

Fiquei muito comovido', diz policial que desatolou boi em propriedade onde 337 animais estava sem alimento

24/09/2021 10:30
Fiquei muito comovido', diz policial que desatolou boi em propriedade onde 337 animais estava sem alimento
Lei cria programa de fomento à alfabetização nas redes públicas de ensino
Cidades

Lei cria programa de fomento à alfabetização nas redes públicas de ensino

24/09/2021 09:00
Lei cria programa de fomento à alfabetização nas redes públicas de ensino
Final de semana reserva pancadas de chuva, mas calor não vai dar trégua
Clima

Final de semana reserva pancadas de chuva, mas calor não vai dar trégua

24/09/2021 07:00
Final de semana reserva pancadas de chuva, mas calor não vai dar trégua
Últimas Notícias