Dourados – MS quinta, 13 de maio de 2021
Dourados
26º max
14º min
Cidades

OIE homologa MS como livre de aftosa

26 Mai 2011 - 22h22
Deputado Marçal Filho no momento em que entregava documentos a Bernard Vallat, da OIE - Crédito: Foto: DivulgaçãoDeputado Marçal Filho no momento em que entregava documentos a Bernard Vallat, da OIE - Crédito: Foto: Divulgação
PARIS – O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), Bernard Vallat, anunciou ontem ao deputado federal Marçal Filho (PMDB) que o Mato Grosso do Sul está oficialmente livre de febre aftosa com vacinação.

Marçal participa da delegação brasileira enviada à França para participar 79ª Sessão Geral da Assembleia Mundial de Delegados da Organização de Saúde Animal. Além de Marçal e dos representantes do Governo Brasileiro no evento, a delegação contou com apenas mais um parlamentar, o deputado Cleber Verde do PRB do Maranhão. A Assembléia teve participação de mais de 160 países, entre os presentes estiveram Ministros de Estado de várias nações de todo o mundo, além do presidente do Paraguai, Fernando Lugo.



“Minha presença na Assembleia Geral foi importante para que o anúncio feito pela própria Organização Mundial de Saúde Animal, em outubro do ano passado, fosse confirmado oficialmente com a publicação da Resolução número 14, nesta sexta-feira”, argumenta Marçal Filho.

Apesar do reconhecimento de área livre de febre aftosa com vacinação ter ocorrido no ano passado, as portas dos mercados internos para a carne sul-mato-grossense só começarão a se abrir com a tomada de medidas determinadas pela OIE como é o caso, agora, da homologação. “Junto com o Mato Grosso do Sul, também foram oficializados como área livre de aftosa com vacinação os Estados da Bahia e do Tocantins”, informou o Deputado.

“Foi uma importante conquista para o nosso Estado. Agora o desafio é o reconhecimento de área livre sem vacinação.”, explica.

Coube ao deputado, como único representante de Mato Grosso do Sul na 79ª Sessão Geral da Assembleia Mundial de Delegados da Organização de Saúde Animal, entregar ao diretor-geral da OIE, Bernard Vallat, os documentos oficiais e um relatório de quase 50 páginas, todo ilustrado com mapas e gráficos, que o governo do Estado elaborou requerendo que o MS fosse considerado livre de febre aftosa com vacinação. “Defendi na OIE a tese que o governo de Mato Grosso do Sul adotou todas as medidas necessárias durante a Zona de Alta Vigilância (ZAV) e que o setor produtivo rural também está investindo em sanidade animal para manter a aftosa longe do nosso Estado”, ressaltou Marçal.

O parlamentar destacou o trabalho realizado pelos técnicos de Mato Grosso do Sul, sob o comando da secretária de Estado da Agricultura, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, para mapear todo histórico da febre aftosa, apontar os trabalhos realizados para conter o vírus e relatar os investimentos que o governo fez em políticas de sanidade animal em todas as regiões. “São inegáveis os esforços do governo do Estado, com apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para livrar o Estado do vírus da febre aftosa. Portanto, nada mais justo que a OIE coroe esses esforços com o reconhecimento de área livre com vacinação”, ressaltou.

EVENTO - A organização é o órgão regulador da produção animal e responsável por estabelecer regras comerciais quanto à importação e exportação de produção animal entre países do mundo todo. O órgão é mantido indepentende com subsídios dos países integrantes, o Brasil este ano vai viabilizar à OIE R$ 2 milhões sendo a metade provinda de recursos do governo e a outra de organizações privadas.

O principal ponto da assembleia deste ano foi o anúncio, pela primeira vez na história mundial, da erradicação de uma doença animal: a peste bovina. No mundo as únicas duas doenças consideradas erradicadas a esse nível foram a varíola e agora a peste bovina. “O Brasil esteve na vanguarda do combate á essa molestia animal. A peste bovina no nosso País está declarada erradicada desde 1921” apontou Marçal Filho.

Marçal garantiu ainda junto à Organização Mundial de Saúde Animal, a inclusão do Congresso Mundial da Carne, que será sediado por Campo Grande, na programação oficial de eventos da organização. No evento o Parlamentar sul-mato-grossense entregou a Bernard Vallat o convite oficial para o evento que acontece no início de junho próximo. “O presidente Vallat garantiu a participação da OIE no nosso evento” comemorou o Deputado.

Em conversa com Marçal Filho, o diretor-geral da OIE, Bernard Vallat, explicou que para o Brasil conquistar status de livre de aftosa sem vacinação vai depender diretamente do controle da doença em países vizinhos, sobretudo a Bolívia e a Venezuela. “O diretor-geral explicou que com apoio do governo brasileiro, o Paraguai já avançou no combate à aftosa e que, a exemplo do que fizeram os Estados Unidos, o Brasil agora precisa ampliar a cooperação com os países vizinhos que têm sanidade animal fragilizada, para ficar livre da febre aftosa sem a necessidade da vacina”, salienta Marçal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Clima

Vento sul contribui para mais um dia de temperaturas amenas em Mato Grosso do Sul

13/05/2021 07:00
Em novo decreto, cinema poderá voltar em Dourados
Dourados

Em novo decreto, cinema poderá voltar em Dourados

12/05/2021 09:00
Em novo decreto, cinema poderá voltar em Dourados
Educação

UEMS abre inscrições para mestrado em Educação Científica e Matemática

12/05/2021 08:00
Clima

Frente fria avança pelo Sul do Brasil e traz novo alívio para o calor sul-mato-grossense

12/05/2021 07:00
Cidades

Abertas as inscrições para a 2ª edição do programa Juventude Empreendedora

11/05/2021 17:00
Últimas Notícias