Dourados – MS sábado, 23 de outubro de 2021
Dourados
28º max
20º min
Ranking Valor Econômico
Aquidauana

Mulher furta computadores e câmeras de universidade, vende objetos e usa dinheiro para colocar silicone

Furto ocorreu em polo de Ead, de universidade em Aquidauana

27 Set 2021 - 16h15Por G1
Mulher furta computadores e câmeras de universidade, vende objetos e usa dinheiro para colocar silicone - Crédito: Polícia Civil/Divulgação Crédito: Polícia Civil/Divulgação

Uma mulher de 24 anos é suspeita de furtar equipamentos da universidade em que trabalhava, em Aquidauana, no oeste de Mato Grosso do Sul, vender os objetos e usar o dinheiro arrecadado para colocar silicone nos seis e ainda fazer uma abdominoplastia.

Segundo a polícia, a suspeita era funcionaria de um polo universitário de ensino à distância (EaD) de uma instituição privada no município. O furto somente foi descoberto na quarta-feira passada (22), quando um aluno foi até o local para obter uma assinatura e iniciar um dos cursos, mas encontrou a unidade fechada e sem nenhum equipamento.

O aluno acionou então a central da universidade em Barra do Garça, no Mato Grosso. A instituição enviou uma outra funcionária ao local e descobriu que o polo estava fechado e todos os equipamentos eletrônicos, de computadores a câmeras de segurança, além mesas, um bebedouro, um ventilador, um balcão, um aparelho de telefone e até mesmo banners haviam desaparecido.

A universidade entrou em contato com a suspeita, que insistiu que o polo estava em "pleno funcionamento", o que foi novamente desmentido pela outra funcionária, que havia estado no local. A Polícia Civil foi acionada e um boletim de ocorrência foi registrado.

Contradições no depoimento

Apontada como suspeita, a funcionária que trabalhava no polo foi localizada pelo Serviço de Investigações Gerais (SIG) da primeira delegacia de Polícia Civil de Aquidauana. No primeiro depoimento ela negou o crime. Disse que o vínculo de trabalho com a universidade era informal e que havia se desligado da instituição.

Após a dispensa, há dois meses, falou que passou por cirurgias e não retornou ao polo, porém, teria ficado com a chave do local. Ainda no depoimento, a suspeita comentou que teria sido convidada a voltar a prestar serviço para a universidade.

Questionada sobre a mobília e aparelhos eletrônicos existentes no local, ela teria dito que não tinha conhecimento do destino dos objetos, já que teria feito as cirurgias e que o polo, provavelmente, mudaria de endereço.

Dois dias depois, na sexta-feira (24), a polícia a intimou novamente e a suspeita apresentou outra versão. Disse que havia sido orientada pela coordenadora do polo a vender a mobília e os equipamentos. No entanto, disse que teria repassado o dinheiro à universidade.

Quando os policiais disseram que as pessoas que compraram os itens seriam intimados a depor ela mudou novamente a versão.

A suspeita disse que a coordenadora do polo falou que o dinheiro dos objetos seriam o "acerto" pelo tempo de trabalho dela. A polícia descobriu, entretanto, que a suspeita tinha recebido duas transferências bancárias como pagamento pelo serviço prestado e não havia nenhuma pendência de pagamento.

Confissão

Após ser questionada pelas várias versões contraditórias, a mulher confessou o crime. Disse que teve uma emergência financeira, furtou e vendeu os objetos. O dinheiro, conforme ela, teria sido usado para o pagamento de despesas pessoais e de um de seus filhos, que tem problemas de saúde.

A polícia descobriu, entretanto, que somente uma parte da confissão da suspeita era verdadeira. Que do dinheiro obtido com a venda dos equipamentos e do mobiliário, cerca de R$ 30 mil, foram utilizados para que ela colocasse próteses de silicone nos seis e fazer uma abdominoplastia.

Além da suspeita, a polícia identificou as pessoas que compraram os produtos furtados. Todas foram intimadas para prestar depoimento sobre o caso.

Como não houve flagrante, após ser indiciada por furto qualificado, com pena de 2 a 8 anos de prisão, em caso de condenação, a suspeita foi liberada.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Após cinco anos em queda, número de empresas no Brasil cresceu em 2019
Cidades

Após cinco anos em queda, número de empresas no Brasil cresceu em 2019

22/10/2021 17:00
Após cinco anos em queda, número de empresas no Brasil cresceu em 2019
Presidente da 4ª Subseção da OAB encerra gestão com mais de 70% de aprovação
Dourados

Presidente da 4ª Subseção da OAB encerra gestão com mais de 70% de aprovação

22/10/2021 13:00
Presidente da 4ª Subseção da OAB encerra gestão com mais de 70% de aprovação
Para segurança e retomada da economia, MS já disponibilizou 1,4 milhão de vacinas para trabalhadores
Saúde

Para segurança e retomada da economia, MS já disponibilizou 1,4 milhão de vacinas para trabalhadores

22/10/2021 12:00
Para segurança e retomada da economia, MS já disponibilizou 1,4 milhão de vacinas para trabalhadores
Professores de Dourados são homenageados na Assembleia Legislativa
Homenagem

Professores de Dourados são homenageados na Assembleia Legislativa

22/10/2021 10:00
Professores de Dourados são homenageados na Assembleia Legislativa
MS é um dos quatro estados do país que não registra mortes por Covid-19 nos últimos dias
Cidades

MS é um dos quatro estados do país que não registra mortes por Covid-19 nos últimos dias

22/10/2021 08:00
MS é um dos quatro estados do país que não registra mortes por Covid-19 nos últimos dias
Últimas Notícias