Dourados – MS sexta, 22 de janeiro de 2021
Dourados
31º max
21º min
Influx
Cidades

Ainda falta mão-de-obra para usinas

29 Mar 2011 - 06h53
Prestadoras de serviço precisam recorrer a outros Estados para preencher postos de trabalho - Crédito: Foto : Hedio Fa-zan/PROGRESSOPrestadoras de serviço precisam recorrer a outros Estados para preencher postos de trabalho - Crédito: Foto : Hedio Fa-zan/PROGRESSO
DOURADOS – As indústrias e empresas do setor sucro-alcooleiro continuam sofrendo com a carência por mão-de-obra especializada na região. Além das indústrias, que sentem ‘na pele’ a dificuldade na contratação de trabalhadores especializados, as empresas que prestam serviços nas usinas também sofrem com a carência de mão-de-obra. Com uma demanda muito maior do que o ritmo de formação de novos profissionais, empresários precisam apelar para outros Estados, como São Paulo, para garantir o preenchimento destes postos de trabalho.

Segundo números da Agência Pública de Empregos, a indústria, ao lado da construção civil, continua sendo o setor que mais gera postos de trabalho no município. César Augusto de Arruda, sócio-proprietário de uma empresa de manutenção industrial, reclama que nenhum curso universitário de Dourados é voltado para o setor sucro-alcooleiro, apesar do grande potencial da região para este mercado. “Juntas, as quatro universidades de Dourados oferecem 71 cursos de graduação, 33 de pós-graduação e cinco cursos tecnológicos.

Mas nenhum deles é voltado para as indústrias sucro-alcooleiras”, reclama, ao lembrar que esta é uma tendência mundial. “A cultura da nossa região é mais voltada para a agricultura e pecuária, mas ninguém vive sem etanol, açúcar ou energia”, emenda.

Segundo o empresário, a carência por mão-de-obra especializada é uma realidade em diversas funções – entre elas, caldeiristas, mecânicos industriais, soldadores, engenheiros mecânico e elétrico, técnicos em eletricidade, engenheiros de autoação, torneiros mecânicos e analistas de laboratório. “Em todas estas áreas, faltam profissionais qualificados”, diz ele. A saída para muitos empresários está na contratação de gente de fora, que acaba ‘faturando’ salários que podem chegar acima dos R$ 2,5 mil.
#####Formação
Em Dourados, grande parte da qualificação profissional dos futuros trabalhadores é feita pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), que forma pelo menos dois mil novos trabalhadores todos os anos. O problema, segundo o gerente do Centro de Tecnologia do Senai em Dourados, Gilberto Ovídio, é que o ritmo de capacitação ainda é muito menor do que a demanda por empregos gerada pelo setor. “Ainda há um paradigma de que o trabalho nas usinas exige um esforço braçal muito grande.


No entanto, as usinas trouxeram muita tecnologia e automação, o que garante uma certa linha de conforto a estes trabalhadores, além de remuneração adequada e condições iguais ou melhores do que qualquer outra atividade”, explica.

Segundo ele, o Senai oferece 55 cursos diferentes, com formação de pelo menos dois mil trabalhadores por ano. O problema é que o setor sucro-alcooleiro é um dos cinco maiores empregadores de Mato Grosso do Sul, que concentra a segunda maior produção de açúcar e álcool no Brasil.


O tempo de duração dos cursos de qualificação é bastante variado e oscila de dois meses a um ano. O investimento também varia bastante – de R$ 60 a R$ 240, mas alunos que já trabalham nas indústrias têm um incentivo de 30% sobre o valor da mensalidade. Após o término do curso, uma média de 90% a 95% dos alunos já saem empregados – com uma faixa salarial em torno dos R$ 2,5 mil.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Moradora de Nova Andradina pede ajuda para tratamento de saúde do filho
Solidariedade

Moradora de Nova Andradina pede ajuda para tratamento de saúde do filho

22/01/2021 09:09
Moradora de Nova Andradina pede ajuda para tratamento de saúde do filho
Aumento de nível dos rios e chuvas constantes colocam Defesa Civil em alerta
Chuvas

Aumento de nível dos rios e chuvas constantes colocam Defesa Civil em alerta

21/01/2021 11:00
Aumento de nível dos rios e chuvas constantes colocam Defesa Civil em alerta
Temperaturas sobem um pouco, mas instabilidades se mantém nesta quarta-feira
clima

Temperaturas sobem um pouco, mas instabilidades se mantém nesta quarta-feira

20/01/2021 07:12
Temperaturas sobem um pouco, mas instabilidades se mantém nesta quarta-feira
Clima chuvoso e fresco continua nesta terça-feira
tempo

Clima chuvoso e fresco continua nesta terça-feira

19/01/2021 07:14
Clima chuvoso e fresco continua nesta terça-feira
Rio Miranda em Bonito atinge nível de emergência e deixa Defesa Civil em alerta
chuvas

Rio Miranda em Bonito atinge nível de emergência e deixa Defesa Civil em alerta

18/01/2021 16:45
Rio Miranda em Bonito atinge nível de emergência e deixa Defesa Civil em alerta
Últimas Notícias