Dourados – MS segunda, 22 de julho de 2024
22º
Justiça

STF torna irmãos Brazão réus pelo assassinato de Marielle

Não há prazo para julgamento da ação penal

18 Jun 2024 - 19h15Por André Richter, Agência Brasil - Brasília
STF torna irmãos Brazão réus pelo assassinato de Marielle - Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil

Por unanimidade, os ministros da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram nesta terça-feira (18) tornar réus cinco acusados de envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em 2018.

O colegiado computou cinco votos para tornar réus por homicídio e organização criminosa o conselheiro do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro (TCE-RJ) Domingos Brazão, o irmão dele, Chiquinho Brazão, deputado federal (Sem partido-RJ), o ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro Rivaldo Barbosa e o major da Policia Militar Ronald Paulo de Alves Pereira. Todos estão presos.

Robson Calixto Fonseca, conhecido como Peixe, vai responder somente por organização criminosa. Ex-assessor de Domingos Brazão no TCE,  ele é acusado de ter fornecido a arma usada no crime.

Votaram nesse sentido os ministros Flávio Dino, Cristiano Zanin, Luiz Fux, Cármen Lúcia, além do relator, Alexandre de Moraes.

Ação penal

Com a decisão, os acusados passam a responder a uma ação penal no STF.  Após a oitiva de testemunhas de acusação e defesa, os réus poderão ser condenados ou absolvidos. Não há prazo para o julgamento.

O placar do julgamento foi obtido a partir do voto de Alexandre de Moraes. O ministro entendeu que há "fortes indícios corroborando" os depoimentos de delação de Ronnie Lessa contra os acusados.

Moraes também disse que a denúncia está fundamentada em documentos, depoimentos e outras provas, além da delação.  "Há prova de materialidade, além de diversos indícios que vêm lastreando a colaboração premiada", afirmou.

Durante o julgamento, a Procuradoria-Geral da República (PGR) reforçou a denúncia contra os acusados.

O subprocurador Luiz Augusto Santos Lima acusou os irmãos Brazão de integrarem uma organização criminosa e de possuírem ligação com a milícia que atua em Rio das Pedras, no Rio de Janeiro, além do envolvimento com grilagem de terras em terrenos na zona oeste da capital.

Para o representante da PGR, os Brazão decidiram determinar a execução da vereadora após encontrar resistência dela e do PSol para aprovar projetos de lei na Câmara de Vereadores em prol da regularização das terras de interesse do grupo.

A procuradoria também acrescentou que Rivaldo Barbosa foi acionado pelos irmãos para auxiliar no assassinato e que Major Ronald realizou o monitoramento dos passos da vereadora antes do crime.

A defesa dos réus também se pronunciou e rejeitou as acusações.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cerca de 90 palestras e 35 painéis farão parte da programação do Núcleo do Conhecimento
Salão do Turismo

Cerca de 90 palestras e 35 painéis farão parte da programação do Núcleo do Conhecimento

21/07/2024 16:30
Cerca de 90 palestras e 35 painéis farão parte da programação do Núcleo do Conhecimento
Enterro e velório do ator Thommy Schiavo serão neste domingo
São Paulo

Enterro e velório do ator Thommy Schiavo serão neste domingo

21/07/2024 09:00
Enterro e velório do ator Thommy Schiavo serão neste domingo
Temporada de observação de baleias começou e já encanta turistas pelo Brasil
Sustentabilidade

Temporada de observação de baleias começou e já encanta turistas pelo Brasil

20/07/2024 20:30
Temporada de observação de baleias começou e já encanta turistas pelo Brasil
Padre Cícero: entre a santidade e a política aos 90 anos de morte
Memória

Padre Cícero: entre a santidade e a política aos 90 anos de morte

20/07/2024 14:30
Padre Cícero: entre a santidade e a política aos 90 anos de morte
Apagão cibernético afetou site e sistemas judiciais do Supremo
Brasília

Apagão cibernético afetou site e sistemas judiciais do Supremo

19/07/2024 20:15
Apagão cibernético afetou site e sistemas judiciais do Supremo
Últimas Notícias