Dourados – MS terça, 25 de junho de 2024
23º
Meu Detran
Enchentes

RS: cerca de 3 mil estabelecimentos de saúde podem ter sido impactados

Dados estão em mapeamento feito pelo Observatório do Clima da Fiocruz

18 Mai 2024 - 19h15Por Mariana Tokarnia, Agência Brasil - Rio de Janeiro
RS: cerca de 3 mil estabelecimentos de saúde podem ter sido impactados
 - Crédito: Nísia Trindade Lima/X Crédito: Nísia Trindade Lima/X

Cerca de 3 mil estabelecimentos de saúde podem ter sido impactados de alguma forma pelo desastre climático no Rio Grande do Sul. Tratam-se de consultórios, clínicas, centros de saúde especializados, farmácias. Também sofreram impacto territórios já vulneráveis no estado, mais de 40 comunidades quilombolas, 240 favelas e cinco aldeias indígenas. Os dados fazem parte de mapeamento feito pelo Observatório de Clima e Saúde, do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O mapeamento foi feito com base no cruzamento de diversos bancos de dados. Os pesquisadores analisaram as manchas de inundação obtidas por imagens de radar e de satélite e verificaram os estabelecimentos e territórios localizados nessas áreas, usando dados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde, do Instituto Brasileiro de Gerografia e Estatítica (IBGE), da Fundação Palmares e Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai), entre outros. 

As informações estimam os serviços e territórios do estado que foram impactados. Os dados e mapas interativos estão disponíveis para consulta na página do Observatório. As informações estão disponíveis por município. Os pesquisadores divulgaram também nota técnica analisando a situação. 

De acordo com a pesquisadora do Observatório de Clima e Saúde Renata Gracie, o objetivo principal do trabalho é subsidiar ações do poder público e da sociedade civil, tanto neste momento quanto em momentos futuros, na reconstrução e recuperação das áreas atingidas.  A pesquisadora ressalta que será necessário um cuidado cada vez maior com a saúde das pessoas, que poderão apresentar doenças de pele, viroses e outras enfermidades relacionadas ao contato com a água suja e com microrganismos. Para que o estado possa atender as pessoas é importante saber os equipamentos de saúde que estão disponíveis e os que foram atingidos. 

"A gente vai ter uma questão complexa por conta das doenças. Muitas unidades de saúde foram inundadas, e as pessoas não vão conseguir ter acesso a elas. Então, esse sistema serve para os gestores municipais e estaduais olharem o tamanho do que foi impactado, fazer um diagnóstico de situação", explica. 

Além disso, Gracie diz que os mapas podem auxiliar a própria população, para identificar os serviços que ainda estão disponíveis nas proximidades de onde se encontram.  

A ideia é fazer essa divulgação para todo o público, os gestores, a sociedade civil. A sociedade  tendo acesso, tem condições de fazer indicações do que é necessário para o seu território. Muitas vezes, as pessoas que não estão conseguindo mobilidade por causa da situação caótica que grande parte das cidades está vivendo neste momento não sabem o que está funcionando e o que não está. Então, a ideia é tentar dar as informações para as populações que também que estão ali vivendo esse cotidiano", explica.

Áreas vulneráveis 

A nota técnica indica uma população que sofreu impactos por esses eventos, estimada em 2,5 milhões de pessoas. O levantamento destaca a necessidade de atenção a áreas que já estavam em situação de vulnerabilidade antes mesmo do desastre e que podem precisar de mais atenção. Há 167 áreas identificadas como favelas e cinco aldeias indígenas que estão, segundo os dados, em contato direto com as áreas de inundação, além daquelas localizadas nas proximidades imediatas dessas áreas críticas, aumentando o risco de impactos severos no período pós-desastre.

A nota destaca também as comunidades quilombolas, que são reconhecidas por seus valores históricos e culturais, também em risco. São sete áreas quilombolas situadas diretamente na mancha de inundação, além de outras que também podem ter sofrido impacto. "A vulnerabilidade dessas comunidades é agravada por fatores socioeconômicos e a falta de infraestrutura adequada, que são desafios comuns em regiões historicamente marginalizadas", diz a nota.

"Essa situação evidencia a necessidade de uma estratégia de saúde pública robusta, que deverá abordar tanto as demandas imediatas durante um desastre quanto o fortalecimento da resiliência das infraestruturas de saúde para futuros eventos. Investimentos em melhorias físicas, treinamento de pessoal para respostas rápidas e sistemas de comunicação eficientes serão vitais para assegurar a integridade da saúde pública".

Gracie explica que os dados são estimativas com base em imagens de satélites. "A situação está acontecendo agora, a gente está identificando, é uma estimativa". Ainda serão necessárias análises mais precisas, mas o mapeamento pode ajudar a direcionar a atuação do poder público, da sociedade e de pesquisadores.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ONU celebra Dia Internacional das Mulheres na Diplomacia
Assuntos da ONU

ONU celebra Dia Internacional das Mulheres na Diplomacia

24/06/2024 19:45
ONU celebra Dia Internacional das Mulheres na Diplomacia
Samarco é alvo de ação que pede R$ 3,6 milhões por danos às mulheres
Justiça

Samarco é alvo de ação que pede R$ 3,6 milhões por danos às mulheres

24/06/2024 19:15
Samarco é alvo de ação que pede R$ 3,6 milhões por danos às mulheres
INSS confirma exposição de dados de até 40 milhões de segurados
Aposentados e pensionistas

INSS confirma exposição de dados de até 40 milhões de segurados

24/06/2024 18:15
INSS confirma exposição de dados de até 40 milhões de segurados
Crianças migrantes criam espaços públicos inclusivos no Brasil
Migrantes e refugiados

Crianças migrantes criam espaços públicos inclusivos no Brasil

23/06/2024 19:30
Crianças migrantes criam espaços públicos inclusivos no Brasil
Justiça Eleitoral conclui Teste em Campo da Urna Eletrônica em Curitiba (PR)
TSE

Justiça Eleitoral conclui Teste em Campo da Urna Eletrônica em Curitiba (PR)

23/06/2024 16:30
Justiça Eleitoral conclui Teste em Campo da Urna Eletrônica em Curitiba (PR)
Últimas Notícias