Dourados – MS sábado, 22 de junho de 2024
20º
Meu Detran
Gás de Cozinha

Projetos pretendem impedir aumento do preço do gás de cozinha durante combate à Covid-19

O crescimento no consumo de gás durante a quarentena resultou em aumento de preços

13 Abr 2020 - 17h18Por Agência Câmara de Notícias
Projetos pretendem impedir aumento do preço do gás de cozinha durante combate à Covid-19 - Crédito: Pedro Ventura/Agência Brasília Crédito: Pedro Ventura/Agência Brasília

Projetos em análise na Câmara dos Deputados pretendem regular o preço do gás de cozinha durante o enfrentamento da pandemia de Covid-19 no País. O objetivo, segundo os autores, é corrigir distorções no preço do botijão de gás de 13 quilos, voltado ao consumo residencial, enquanto durar o período de quarentena, que tem levado as pessoas a cozinhar mais em casa.

O Projeto de Lei 1578/20, do deputado Julio Cesar Ribeiro (Republicanos-DF), estabelece que o valor de compra do botijão de gás de cozinha não deve ultrapassar 4% do salário mínimo (atuais R$ 1.045,00) - em valores de hoje, R$ 41,80. “Com a alta procura por gás de cozinha, os valores tendem a sofrer aumento, o que neste momento é completamente inviável, já que muitas pessoas foram demitidas ou tiveram os salários reduzidos”, argumenta Ribeiro.

Medidas de isolamento social adotadas em diversos estados como estratégia para conter o avanço do Sars-CoV-2, vírus causador da Covid-19, vêm fazendo com que as pessoas fiquem em casa por mais tempo, o que tem aumentado a demanda por gás de cozinha para o preparo de alimentos.

A deputada Rejane Dias (PT-PI) sugere desonerar a comercialização do produto reduzindo a zero a contribuição para o Pis/Pasep e a Cofins incidentes sobre o  Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), que é usado nos botijões de uso doméstico.

"Pretendemos tornar mais acessível, com a redução dos preços de comercialização, esse importante insumo utilizado em todos os lares brasileiros, sobretudo no período de quarentena”, diz a autora do Projeto de Lei 1378/20.

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, em março deste ano, houve aumento de 23% na demanda por GLP . Por conta disso, segundo notícias veiculadas pela imprensa, em algumas localidades o botijão de 13 quilos já chega a custar quase R$ 100. No Distrito Federal, por exemplo, a variação de preços chegou a 71%.

Para conter a escalada nos preços, os deputados Aline Gurgel (Republicanos-AP) e Ossesio Silva (Republicanos-PE) apresentaram projetos idênticos para fixar em R$ 49 o preço do botijão enquanto durar o estado de calamidade – até 31 de dezembro deste ano. "Estipulamos um valor único, de forma a favorecer os excluídos, de baixa renda ou em situação de extrema pobreza”, afirma a deputada, que é autora do Projeto de Lei 1250/20. Autor do Projeto de Lei 1616/20, Silva diz que o objetivo é garantir o direito à alimentação durante a pandemia.

Por fim, o deputado Danilo Cabral (PSB-PE), autor do Projeto de Lei 1753/20, propõe que o valor de venda do botijão nas refinarias seja o mesmo praticado no dia 20 de março deste ano – data em que foi reconhecido, pelo Congresso Nacional, o estado de calamidade pública no Brasil.

"Sendo o gás de cozinha um insumo fundamental para a vida das famílias, não pode, em um momento de crise, ficar sujeito às oscilações de mercado ou submetido aos interesses financeiros de empresas”, diz o deputado.

O aumento no preço dos botijões ocorre mesmo após a Petrobras ter reduzido pela terceira vez no ano, em 31 de março, o preço do produto nas refinarias, acumulando um corte de 21%. As reduções seguem o movimento de retração dos preços internacionais do petróleo.

O valor do botijão de 13 quilos nas refinarias passou a ser de R$ 21,85. Antes das reduções, o preço do GLP, tanto residencial como industrial, estava 45% acima da cotação internacional, que varia entre R$ 10,60 e R$ 16,56.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Deixe seu Comentário

Leia Também

Fachin vota para reconhecer que escolas devem combater discriminações
Justiça

Fachin vota para reconhecer que escolas devem combater discriminações

21/06/2024 22:15
Fachin vota para reconhecer que escolas devem combater discriminações
STF retoma julgamento sobre atendimento de pessoas trans no SUS
Justiça

STF retoma julgamento sobre atendimento de pessoas trans no SUS

21/06/2024 21:30
STF retoma julgamento sobre atendimento de pessoas trans no SUS
Dona Celeste, mãe de Pelé, morre aos 101 anos de idade
Santos

Dona Celeste, mãe de Pelé, morre aos 101 anos de idade

21/06/2024 20:30
Dona Celeste, mãe de Pelé, morre aos 101 anos de idade
Celular Seguro recebe 57,8 mil alertas de bloqueio em 6 meses
Aplicativo

Celular Seguro recebe 57,8 mil alertas de bloqueio em 6 meses

21/06/2024 20:00
Celular Seguro recebe 57,8 mil alertas de bloqueio em 6 meses
8/1: Moraes vota para condenar réu que destruiu relógio a 17 anos
Justiça

8/1: Moraes vota para condenar réu que destruiu relógio a 17 anos

21/06/2024 19:15
8/1: Moraes vota para condenar réu que destruiu relógio a 17 anos
Últimas Notícias