Dourados – MS sábado, 17 de novembro de 2018
Anuncie aqui
Anuncie aqui
Economia

Governo discute amortecimento nos preços de combustíveis

04 Jun 2018 - 09h40
O Ministério de Minas e Energia (MME) estuda a criação de uma política de amortecimento de preços dos combustíveis que chegue ao bolso do consumidor. Nesta segunda-feira (4), técnicos do MME e do Ministério da Fazenda, que integram o grupo de trabalho criado para discutir o assunto, têm reunião marcada. Estão incluídos na discussão os combustíveis derivados do petróleo, como a gasolina.

O acordo firmado com os caminhoneiros para o fim do movimento de paralisação define a redução de R$ 0,46 no preço do diesel nas bombas. Agora, a intenção é incluir na discussão também os demais combustíveis, criando um mecanismo que proteja o consumidor final da volatilidade dos preços.

Segundo o MME, o grupo de trabalho vai convidar especialistas no assunto para ajudar a construir uma solução que permita, por um lado, a continuidade da prática de preços livres ao produtor e importador e, por outro, o amortecimento dos preços ao consumidor. A primeira reunião do grupo ocorreu na última sexta-feira (1º), com participação de técnicos da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

"[Essa política de proteção] terá que preservar a atual prática de preços de mercado para o produtor e importador, o que é tido pela atual administração como um ponto fundamental para a atração de investimentos para o setor. Vai trazer previsibilidade e segurança ao consumidor e ao investidor", diz a pasta em nota.

Flutuações

As flutuações, no entanto, impactam o consumidor. Ontem (2) a Petrobras aumentou em 2,25% o preço da gasolina em suas refinarias. Com isso, o litro do combustível ficou 4 centavos mais caro, ao passar de R$ 1,9671 para R$ 2,0113, de acordo com a estatal.

Em um mês, o combustível acumula alta de preço de 11,29%, ou seja, de 20 centavos por litro, já que, em 1º de maio, o combustível era negociado nas refinarias a R$ 1,8072. O preço do diesel, que recuou 30 centavos desde o dia 23 de maio, no ápice da greve dos caminhoneiros, será mantido em R$ 2,0316 por 60 dias.

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos (Dieese) diz, em nota técnica, que a política de preços resultou, entre o final de abril e maio, em 16 reajustes do preço da gasolina e do diesel nas refinarias. Para o consumidor final, os preços médios nas bombas de combustíveis subiram, considerando os impostos federais e estaduais, de R$ 3,40 para R$ 5, no caso do litro de gasolina (crescimento de 47%), e de R$ 2,89 para R$ 4,00, para o litro do óleo diesel (alta de 38,4%).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento
Após 1 anos sumido

Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento

17/11/2018 13:13
Submarino argentino é encontrado um ano e um dia após desaparecimento
CIA conclui que príncipe herdeiro saudita mandou matar jornalista, diz jornal
Mundo

CIA conclui que príncipe herdeiro saudita mandou matar jornalista, diz jornal

17/11/2018 09:29
CIA conclui que príncipe herdeiro saudita mandou matar jornalista, diz jornal
Comunidade científica põe fim ao padrão físico do quilograma
Ciência

Comunidade científica põe fim ao padrão físico do quilograma

16/11/2018 16:30
Comunidade científica põe fim ao padrão físico do quilograma
Brasileiro é condenado a prisão perpétua por matar tios e primos na Espanha
Mundo

Brasileiro é condenado a prisão perpétua por matar tios e primos na Espanha

16/11/2018 07:41
Brasileiro é condenado a prisão perpétua por matar tios e primos na Espanha
Número de desaparecidos em pior incêndio da história da Califórnia supera 600
Incêndio na California

Número de desaparecidos em pior incêndio da história da Califórnia supera 600

16/11/2018 07:31
Número de desaparecidos em pior incêndio da história da Califórnia supera 600
Últimas Notícias