Dourados – MS quinta, 20 de setembro de 2018
São Bento Hectares Matérias
São Bento Hectares Mobile Matérias
Greve

Comitê da crise será mantido para monitorar fake news nas eleições

05 Jun 2018 - 07h35
O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que o comitê criado pelo governo para gerenciar a crise dos caminhoneiros será mantido para as eleições deste ano. Segundo Jungmann, a questão envolvendo a paralisação dos caminhoneiros e o desabastecimento no país caminha para os níveis de normalidade, mas o grupo passará a monitorar a disseminação de notícias falsas (fake news) na internet. A decisão de manter o comitê foi tomada nesta segunda-feira (04).

"Numa decisão tomada hoje, vamos continuar mantendo o comitê que se reuniu, não mais focado na crise, mas na conjuntura política. Porque temos um período de eleições à frente, sabemos que temos que prestar atenção nas fake news", afirmou Jungmann. Ele disse que o monitoramento padrão será feito na rede aberta, mas que, eventualmente, poderão ser feitos pedidos à Justiça para monitorar indivíduos específicos.

"A gente acompanha a rede aberta. Quando necessário, com indícios fundamentados, a gente faz uma requisição judicial para monitorar alguém específico na rede. [...] Partidos e sindicatos têm cada vez menos representatividade e, por isso, precisam ser reformulados. E mais: é preciso a gente entender que o empoderamento da rede veio para ficar", disse o ministro. Para Jungmann, plantar informações mentirosas sobre um candidato no centro do debate político é "um risco para a democracia".

Dentre os integrantes do comitê que se reuniu diariamente nas últimas duas semanas para monitorar a situação das estradas estavam os ministros do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen; da Casa Civil, Eliseu Padilha; da Secretaria de Governo, Carlos Marun; e o chefe do Estado Maior-Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho, além de Jungmann. Ele não adiantou, porém, quais nomes continuarão no comitê daqui para a frente.

A partir de provedores localizados em diferentes países, notícias falsas têm impactado os últimos debates públicos mais relevantes, como as eleições nos Estados Unidos e os plebiscitos sobre a saída do Reino Unido da União Europeia e sobre o acordo de paz entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). A menos de um ano das eleições gerais, agora é o Brasil que se vê diante do problema.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mais de 10,6 mil brasileiros vão votar em cédula de papel no exterior
CÉDULAS DE PAPEL

Mais de 10,6 mil brasileiros vão votar em cédula de papel no exterior

20/09/2018 10:30
Mais de 10,6 mil brasileiros vão votar em cédula de papel no exterior
ONU apela para que indígenas tenham mais atenção das autoridades
INCLUSÃO

ONU apela para que indígenas tenham mais atenção das autoridades

20/09/2018 09:00
ONU apela para que indígenas tenham mais atenção das autoridades
Horóscopo do Dia
VARIEDADES

Horóscopo do Dia

20/09/2018 07:40
Horóscopo do Dia
Coca-Cola estuda entrar no mercado das infusões à base de maconha
Coca Cola

Coca-Cola estuda entrar no mercado das infusões à base de maconha

18/09/2018 14:00
Coca-Cola estuda entrar no mercado das infusões à base de maconha
Tempo muda e meteorologia prevê temporais com granizo na região Sul de MS
Mudou o Tempo!

Tempo muda e meteorologia prevê temporais com granizo na região Sul de MS

14/09/2018 08:21
Tempo muda e meteorologia prevê temporais com granizo na região Sul de MS
Últimas Notícias