Trabalhadores em educação suspendem greve

Categorias voltam às aulas hoje, mas vão manter mobilizações da greve contra Reforma da Previdência

19/03/2017 18h53

Trabalhadores em educação votam para suspender a Greve Nacional, mas mantém mobilização contra a Reforma da Previdência Trabalhadores em educação votam para suspender a Greve Nacional, mas mantém mobilização contra a Reforma da Previdência

De Dourados

Em Assembleia Geral da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems), na tarde de sábado passado, os trabalhadores em educação optaram por suspender o estado de paralisação, voltar às aulas nesta segunda-feira, mas manter as mobilizações da Greve Nacional contra a Reforma da Previdência em todo o Estado.

De acordo com o presidente da Federação, Roberto Magno Botareli Cesar, a decisão da Assembleia é soberana e a continuidade da paralisação das escolas não seria possível depois dos depoimentos dos trabalhadores durante a discussão. "Dos 79 municípios de MS, apenas 12 disseram que davam conta de permanecer paralisados e alguns parcialmente ainda, portanto nós enquanto Federação temos que ter a responsabilidade e o entendimento que greve não é de sindicato e sim da base, agora temos a obrigação de darmos continuidade à luta contra a Reforma da Previdência e isso nós faremos, continuaremos mobilizados, com ações no Estado todo e finalizar a conversa com os parlamentares federais sobre o assunto", disse.

Segundo a vice-presidenta da Fetems, Sueli Veiga Melo, a Greve cumpriu e muito bem o seu papel em MS. "Foi uma agenda intensa, com união da classe trabalhadora do campo e da cidade, que conseguiu fazer com que os deputados colocassem seus posicionamentos contrários ao texto da Reforma, os diálogos se abriram e nós conseguimos mostrar para a sociedade de MS que a sua previdência corre sérios riscos", conclui.

Neste domingo pela manhã as agendas de mobilização da Greve Nacional prosseguiram, houve reunião com a deputada Tereza Cristina (PSB) pela manhã, a mesma afirmou que não é a favor de vários pontos do texto e que na próxima sexta-feira irá estudar com cuidado o relatório que será apresentado pela Comissão que está analisando o projeto na Câmara Federal. Também houve uma grande panfletagem no centro de Campo Grande, na Av. Afonso Pena com a Rua 14 de Julho. Na próxima semana começam os Seminários Regionais da Fetems, serão cerca 12 ao total, nas principais cidades do Estado, com o intuito de debater a Reforma da Previdência com toda a classe trabalhadora, não só com a educação pública, mas com todos e todas que quiserem participar. A primeira atividade será em Jardim, na terça-feira (21).