Servidores protestam contra atraso do salário e ameaçam greve na saúde de Dourados

Manifesto iniciou na manhã desta quinta-feira (11) em frente ao Hospital da Vida

Por: Vinicios Araújo - 11/01/2018 09h16

Os profissionais denunciam a falta de diálogo. (Foto: Hédio Fazan) Os profissionais denunciam a falta de diálogo. (Foto: Hédio Fazan)

Servidores da Funsaud (Fundação dos Serviços de Saúde de Dourados) estão em protesto nesta quinta-feira (11) e ameaçam greve após atraso no pagamento da folha salarial de dezembro. Após três meses de salários escalonados, os trabalhadores cobram posicionamento da fundação e da Prefeitura Municipal.

Com proposta de greve a ser confirmada até o final do dia, cerca de 600 profissionais entre enfermeiros, técnicos de enfermagem e administrativo se mobilizaram e apenas 50% do corpo de profissionais do Hospital da Vida e UPA (Unidade de Pronto Atendimento) estão atuando.

Segundo o presidente da Comissão de Funcionários da Funsaud, Robson Adriana Dauzaker, os trabalhadores estão aguardando o retorno da fundação em relação ao protesto. Ele contou ao O PROGRESSO que alguns funcionários teriam recebido parte do salário, mas a maioria está sem receber o pagamento referente à folha de dezembro.

Segundo ele, nota divulgada pelo presidente da Funsaud afirma que o pagamento será feito após o dia 16 pois o plano orçamentário de 2018 seria liberado apenas no dia 15. Robson questionou a nota dizendo que não há coesão com a justificativa levando em consideração que o atraso é referente ao salário de dezembro, ou seja, ligada ao plano orçamentário de 2017.

A servidora Telma Lima, técnica de enfermagem, contou que com o salário de R$1128,00 tem recebido suporte do esposo, mas apelou para que a situação seja resolvida. "Nós temos compromissos. Filhos, aluguel, água e luz. Eu ainda conto com o apoio do meu esposo mas e as minhas colegas que são solteiras?" afirmou. Outras servidoras que não quiseram ser identificadas questionaram a Prefeitura sobre como irão pagar o IPTU se o salário ainda não foi depositado.

O Sindicato dos Trabalhadores na Área de Enfermagem de Mato Grosso do Sul contou que vai recorrer ao Procurador do Trabalho no Ministério Público para intervenção na situação. Segundo sindicalista, o presidente da Funsaud teria afirmado liberar o pagamento à 0h desta quinta-feira, porém, trabalhadores negaram a informação. Os profissionais denunciam a falta de diálogo.

A reportagem tentou entrar em contato com a Funsaud porém as ligações não obtiveram sucesso. O mesmo aconteceu em contato com o secretário de saúde do município, Renato Vidigal.