Santa Casa manda informações de nosso tempo para 2067

Campo Grande - 09/10/2017 14h09

 
Marco Comemorativo do I Centenário da Santa Casa de Campo Grande (Foto: divulgação) Marco Comemorativo do I Centenário da Santa Casa de Campo Grande (Foto: divulgação)

Mantendo uma tradição centenária, a Associação Beneficente de Campo Grande - Santa Casa emitiu na manhã de sexta-feira (6), mais uma cápsula do tempo em direção ao futuro. Notícias, documentos, imagens, moeda corrente e demais informações de nosso tempo foram depositadas em uma Cápsula do Tempo que foi enterrada em um ponto marcado na frente do hospital, com sugestão de abertura para daqui a 50 anos.Estavam presentes os membros da diretoria executiva, do conselho de administração, do conselho fiscal, associados, funcionários, demais cidadãos e imprensa.

A última Cápsula do Tempo foi desenterrada em 2012 e havia sido enterrada em setembro de 1941. Em um terreno do bairro Santa Luzia, um desconhecido encontrou uma caixa de concreto gravada com a data de 21 de setembro de 1941. Tratava-se da pedra fundamental de inauguração de um dos pavilhões do maior hospital do Estado. Dentro da caixa constavam a ata com assinatura dos presentes, estatuto do hospital, cópias dos jornais da época, além de dinheiro imagens e telegramas.

A mesma trouxe a nossos dias um farto acervo com informações diversas sobre o contexto da época em que foi depositada. O objetivo de tais atos é aproveitar a perenidade de instituições longevas como a Santa Casa a fim de servir gerações futuras com informações reais sobre tempos distantes.

Nesta sexta-feira, a Santa Casa repetiu o ato de registrar sua história e de sua comunidade, lançando a nova Cápsula do Tempo para ser reaberta em 18 de agosto de 2067. O presidente da Santa Casa, Dr. Esacheu Nascimento, disse aos presentes que a solenidade faz parte das comemorações do centenário da instituição e afirmou que a cápsula é de extrema importância por levar a história do hospital com fidelidade. "O jardim da Santa Casa foi escolhido para enterrar a Cápsula do Tempo por ser um local onde as pessoas podem visitar e não corre risco de acontecer o extravio do material como o que houve em 2012. Esta cápsula carrega fatos históricos do nosso tempo e daqui a 50 anos os gestores deste hospital saberão do nosso trabalho e da vida de nossa comunidade em nossos dias".

O idealizador da ideia de dar sequência na tradição da Cápsula do Tempo foi o ouvidor geral da Santa Casa, Gilton Almeida, que explicou que o hospital precisava marcar para as gerações futuras o que significa a instituição para a história de Mato Grosso do Sul. "A cápsula foi a melhor opção para que pudesse perpetuar, levar adiante a história deste hospital. Precisávamos levar adiante o trabalho dos 100 anos de Santa Casa para que os nossos sucessores possam avaliar e valorizar esse trabalho que nasceu no século passado", disse.

O conteúdo depositado recebeu tratamento adequado para garantir sua duração e foi depositado em recipiente impermeabilizado e com tratamento para combater a corrosão. Além disto, o recipiente foi depositado em um local construído em concreto e com isolamento para não haver contato entre a cápsula e a alvenaria, evitando que condense água e prejudique o intento.

O projeto do local é de autoria do departamento de arquitetura da Santa Casa, arquitetas Thays Freitas de Andrade, Isabela Pinto Saldanda e Vanessa Cavalcanti, e sua concretização foi realizada sob a orientação do engenheiro civil, Bráz de Arruda Torrezan. A mesma contém os seguintes documentos: relação da atual diretoria e conselheiros da ABCG-Santa Casa, relação de todos os associados da ABCG-Santa Casa, totalizando 1076 associados até a presente data, cópia do 1º estatuto datado de 1919, registro da Cápsula do Tempo de 1941, que foi encontrada circunstancialmente em 2012, cópia do estatuto atual da ABCG-Santa Casa, cópia do organograma da ABCG-Santa Casa, relatório de atividades do ano de 2016, convite para a solenidade de comemoração do centenário em 18 de agosto de 2017, um exemplar da medalha dos 100 anos, um exemplar do Certificado de Homenagem e de Agradecimento conferido no evento de comemoração dos 100 anos, uma cópia do discurso do presidente Esacheu Nascimento em 18 de agosto de 2017, uma cópia do discurso da neta caçula do Dr. Arthur D’Ávila Filho, Ana Luiza D’Ávila Stuhrk, quando da solenidade de descerramento da placa que denomina o edifício do hospital, em 27 de janeiro de 2017, relação de autoridades homenageadas no evento de comemoração dos 100 anos, um exemplar do livro "Santa Casa – patrimônio de Mato Grosso do Sul 1917-2017", uma cópia do capítulo extraído do livro "O Império Marítimo Português" de Charles R. Boxer, Cia das Letras, 2002 (um relato histórico), selo comemorativo do centenário, que foi lançado com a cerimônia de obliteração no dia 31 de março de 2017, em evento comemorativo ao centenário, Revista Bem Santa Casa – três edições, convite para a solenidade de lançamento da Cápsula do Tempo em 6 de outubro de 2017, ata da solenidade de lançamento da Cápsula do Tempo, lista de presença na solenidade de lançamento da Cápsula do Tempo, exemplares de jornais locais e nacionais do dia do lançamento da cápsula, fotos do evento de comemoração dos 100 anos e do evento de lançamento da cápsula do tempo em mídias digitais de dois formatos com material digital de nossa época.

Veja a mensagem gravada no totensobre a cápsula para as gerações futuras:

MENSAGEM PARA O FUTURO

Marco Comemorativo do I Centenário da Santa Casa de Campo Grande

‘Para falar ao vento bastam palavras, para falar ao coração são necessárias obras’. Pe. Antônio Vieira

Este singelo monumento foi idealizado e erguido por ocasião das celebrações do I Centenário da ABCG-Santa Casa e guarda em seu interior, com firme propósito de permanência no tempo e sob a guarda dos sucessores da instituição, importantes registros dos fatos iniciados em 18 de agosto de 1917, quando um grupo de cidadãos, sob a liderança do tabelião Eduardo Santos Pereira, do comerciante Bernardo Franco Baís e do médico militar Eusébio Teixeira, se reuniu para criar a Sociedade Beneficente de Campo Grande, provedora do Hospital Santa Casa,.

Na Campo Grande que somava apenas cinco mil habitantes, a iniciativa fez nascer o primeiro pavilhão de hospital civil em 1928. Já na década de 1970, sob a liderança de Arthur D’Ávila Filho, outro grupo de audazes gestores e associados empreendeu a construção do atual prédio principal, com seus 43 mil metros quadrados e capacidade para 750 leitos, dotando a nossa cidade, hoje com 870 mil habitantes, deste belíssimo equipamento hospitalar que atende pacientes oriundos de todo o Estado e de estados e países vizinhos. Coube aos atuais gestores recuperar as edificações e dotá-las da modernidade tecnológica que o nosso tempo disponibiliza.

É o registro da saga de muitas gerações e que se apresenta ao futuro, de um período de realizações no tempo e para o tempo, ao lado de tantas outras Santas Casas espalhadas pelo mundo pelo povo de origem portuguesa, desde o ano de 1498.

Confiamos ao Brasil e às gerações futuras a continuidade desta importante obra social e sugerimos a abertura desta cápsula na ocasião da celebração dos 150 anos da ABCG-Santa Casa para, nesse ato, incluir os registros dos fatos do período e fazer nova remessa ao futuro nessa longa viagem temporal pela solidariedade aos necessitados de saúde e dignidade na assistência e nos cuidados.

Que Deus nos proteja.

Campo Grande, MS, 18 de agosto de 2017 ABCG - Associação Beneficente de Campo Grande