11/11/2011 17h03 - Atualizado em 11/11/2011 17h03

Estudantes pesquisam monumetos

Constam do levantamento, Monumento ao Colono, o Brasil 500 Anos, o busto de Weimar Torres e outros

 
Do Progresso

DOURADOS – Saber a história dos monumentos de Dourados foi fundamental para os alunos do 8o A, da Escola Municipal Professora Efantina de Quadros. O estudo foi direcionado para os monumentos ao Colono, Brasil 500 anos, Busto Weimar Torres, Monumento à Bandeira, réplica da carroça da época da colonização e Monumento à Getulio Vargas.

Após visitas com registros fotográficos, os estudantes encontraram informações no O PROGRESSO e na internet. O debate em aula gerou as produções de cartazes, maquetes e textos dissertativos, que foram apresentados numa feira cultural realizada na escola.

Para a professora de História do 8o A, Vera Dourado, o estudo forneceu significados que os alunos não tinham sobre os monumentos. “Um exemplo disso é o nome pelo qual o Monumento ao Colono é reconhecido: “A Mão do Braz”. E também é assim que a maioria das pessoas o conhecem. É preciso resgatar a história dos monumentos. Foi isso que pensamos ao trabalhar o projeto”, esclarece a educadora.

Para a estudante Catarine Peixoto, “é importante saber que ninguém constroi um monumento, apenas por construir. Tem algo por trás. Foi isso que aprendemos”, avalia Catarine.

Monumento ao Colono

É mais conhecido como “mão do Braz”, foi criado pelo arquiteto Luiz Carlos Ribeiro, na administração do ex-prefeito Antônio G. Braz Melo, pelo arquiteto Luiz Carlos Ribeiro. Está situado na saída para Campo Grande, próximo aos bairros Santa Maria e Parque das Nações. A criação do Monumento foi em homenagem aos colonos da Colônia Agrícola Nacional de Dourados (CAND).

O marco (obelisco) representa o desenvolvimento de Dourados e região, impactado com a vinda dos colonos. O aterro com várias floreiras, simboliza o mapa da Colônia, com os distritos de Panambi, São Pedro, Vila Vargas, Indápolis, e ainda as seguintes cidades: Fátima do Sul, Dourados, Glória de Dourados, Deodápolis, Vicentina, Jateí e Douradina com seu distrito Cruzaltina. As mãos espalmadas no Monumento representam a principal ferramenta de trabalho que o colono dispunha para desbravar nosso sertão.

Brasil 500 anos

No ano 2000 o Brasil comemorou 500 anos do seu “descobrimento”, quando passa a ser explorado pelos portugueses, econômica e politicamente, deixando marcas profundas na sua população.

O Monumento Brasil 500 Anos, localizado na rotatória entre Avenida Marcelino Pires e Rua Ediberto Celestino, lembra este momento que apesar das grandes contribuições deixada pelos portugueses, também lembra a exploração dos brasileiros habitantes naturais da colônia – os indígenas. A Cruz de Malta simboliza as velas das Caravelas usadas por Pedro Álvares Cabral. As caravelas retratam a chegada dos portugueses ao Brasil.

Busto de Weimar

Weimar Gonçalves Torres nasceu na cidade de Ponta Porã, em 6 de dezembro de 1922. Foi poeta, político, advogado e jornalista. Casado com Adiles do Amaral, fundador do Jornal O PROGRESSO lançou a primeira edição em 21 de abril de 1951. Na época, o jornal era semanário. Em 1967, elegeu-se deputado federal.

Foi uma das figuras de grande influência na política regional. O busto do Deputado Weimar Gonçalves Torres, está localizado entre a Avenida Weimar Gonçalves Torres e Rua Hayel Bon Faker. Representa a figura de um dos pioneiros de nossa cidade, político, empresário de grande visão de empreendedorismo.

Monumento à Bandeira

Uma das maiores bandeiras nacionais do Estado sinaliza o marco de entrada no Mercosul, que é um acordo econômico que reúne o Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina. Está localizada na Rua Hayel Bon Faker.

Dourados tem um papel importante, pois tem uma localização estratégica em relação a grandes mercadores, consumidores nacionais e internacionais referentes as áreas abrangidas pelo Mercosul.

Réplica da carroça

A carroça ou carro-de-boi localizado na Avenida Marcelino Pires com a Rua Melvin Jones é uma homenagem aos trabalhadores rurais que muito colaboraram para o desenvolvimento da cidade. Representa o meio de transporte mais utilizado pelos pioneiros da cidade de Dourados e simboliza o período marcante da colonização do município, realizada por famílias vindas do Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e por imigrantes japoneses, paraguaios e libaneses, que hoje compartilham a terra com os índios Kaiowá, Guarani e Terena.

Foi doado em sete de setembro de 2002 pela pioneira Jahyr Martins Ferreira. A doação foi feita com o intuito de mostrar a importância desse meio de transporte e a história dos antepassados para nossa cidade e região. Getulio Vargas

Getulio Vargas favoreceu a colonização e desenvolvimento de Dourados através da política de colonização adotada em seu governo. Em 1991, um monumento foi erguido para homenageá-lo. Está localizado na esquina da Rua Presidente Vargas com a Rua Joaquim Teixeira Alves.



Comentários

 
 
 
 
 
 
 
Imóveis Apartamentos Veículos e Utilitários Importados Motos Diversos Telefones Empregos e Oportunidades