Católicos celebram Dia da Imaculada Conceição; 50 anos de bênçãos do céu

Programação vêm acontecendo desde o dia 28 de novembro e encerram amanhã com vários momentos de fé

Por: Da Redação - 07/12/2017 09h24

(Foto: Arquivo/O PROGRESSO) (Foto: Arquivo/O PROGRESSO)

A comunidade católica em Dourados comemora o Dia da Padroeira, Imaculada Conceição. A programação é vasta e envolve todas as paróquias e capelas da cidade - responsáveis em conduzir as celebrações que ocorrerão todas as noites na Catedral. A Grande Festa, dia de Imaculada, é celebrado neste dia 8 de dezembro.

Sob tema "Imaculada Conceição: 50 anos de bênçãos do Céu" está sendo realizado novenário. Todas as novenas contarão com exposição de 50 quadros de Maria, de diferentes Estados e países.

De acordo com o padre Crispim Guimarães, pároco da Catedral, neste 8 de dezembro, Dia de Imaculada Conceição, será comemorado em grande estilo. Às 5h, todas as igrejas tocarão os sinos e, às 6h30, haverá café comunitário (partilhado) na praça Antônio João, em frente à Catedral. Ainda no período da manhã haverá programação Mariana, com oração do Rosário por grupos da Pastoral da Liturgia, Apostolado, Legião de Maria e Meces.

A programação se estende no período da manhã e da tarde com o envolvimento de todas as comunidades. Às 17h30 terá missa campal, com procissão e coroação de Nossa Senhora e bênção. Às 19h30 haverá Bolo da Padroeira. São estimados produção de 130 a 140 quilos, que serão vendidos em fatias.

Histórico da Paróquia

Neste ano de 2017 a Igreja celebra o Ano Mariano recordando os 300 anos de Aparecida, os 100 anos de Nossa Senhora de Fátima, quando a Virgem apareceu aos pastorinhos. Já em Dourados, 92 anos da chegada da Imagem da Imaculada Conceição, vinda da França, e 50 anos de feriado municipal promulgado pelo então prefeito João da Câmara (Totó) em 8 de dezembro de 1967, mas foi o Prefeito Napoleão que decretou em 1966 o feriado Municipal de 8 de dezembro, como festa da Imaculada Conceição, Padroeira de Dourados.

O padre Crispim Guimarães fez um levantamento de informações sobre a história da Paróquia Imaculada Conceição em Dourados. A pesquisa consta que, o primeiro Terço rezado no povoado, hoje Dourados, foi rezado na casa de João Zeferino, em 8 de dezembro de 1912. O município só foi emancipado em 1935.

No ano de 1909, surgiu a ideia de fundar o Patrimônio das Três Padroeiras, nome inspirado na existência de três cruzeiros: o de Santa Rita de Cássia (Rua Coronel Ponciano - hoje Paróquia Nossa Senhora de Fátima); o de Santa Catarina de Sena (Rua Cuiabá) e o da Imaculada Conceição (Avenida Marcelino Pires – atual Paróquia São José.

No ano seguinte, Marcelino Pires, um dos primeiros moradores do município, conseguiu, não obstante a oposição da Companhia Mate Laranjeira, registrar as duas terras, doando quase quatro mil hectares para a formação do Patrimônio, em que Januário Pereira de Araújo construiu, em 1911, a primeira casa.

O povoado que surgiu já foi denominado: São João Batista de Dourados, Vila das Três Marias e Alvorada. Em 1913, passou a Distrito de Paz com o nome de Dourados, figurando na divisão territorial como pertencente a Ponta Porã. Em 20 de dezembro de 1935, foi desmembrado de Ponta Porã, tornando-se Dourados um município autônomo.

A construção da primeira capela foi iniciada em junho de 1925. A comissão da construção era constituída por São Januário Pereira de Araújo, presidente; João Rosa Góes, tesoureiro; D. Sofia de Castro Batista, secretária; D. Genoveva Capilé, conselheira auxiliar e D. Antônia Capilé, 2° secretária. A imagem de Nossa Senhora Imaculada Conceição (trazida da França), foi doada pelo Major Afonso de Oliveira Mello. No entanto, antes de ser levada para a Capela, a imagem ficou por alguns meses, na casa do Major Manoel Pompeu Capilé, até que fosse inaugurada a Capela.

No dia 8 de dezembro de 1925, a Capela foi inaugurada com uma procissão em que se levou a artística imagem de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Em 6 de junho de 1926, por ocasião da visita Pastoral, o Padre Salesiano, João Giardelli, (visitador Diocesano), abençoou a nova Capela e lançou oficialmente também a pedra fundamental.

Fundação da Paróquia

Em 03 de outubro de 1935, o bispo de Corumbá, Dom Vicente B. Maria Priante, fundou a Paróquia da Imaculada Conceição de Dourados, desmembrando-a da Paróquia São José de Ponta Porã. No entanto, permaneceu anexada a de Ponta Porã, porque o Bispo não tinha padre para colocar na nova Paróquia. Mas foi somente no dia 10 de junho de 1936, que o povo de Dourados ficou sabendo da criação da Paróquia. Então, o Padre Amado Decleene, missionário apostólico e vigário de Ponta Porã, publicou o decreto do Bispo.

Os padres de Ponta Porã, Amado Decleene e João Sobel, continuaram a visitar, algumas vezes por ano, a paróquia de Dourados, até que ela foi confiada aos Franciscanos em 1938. O primeiro vigário desta Paróquia foi Frei Antonino Schwenger, que tomou posse em 6 de fevereiro de 1938, tendo como coadjutor o Frei Francisco Brugger. Os dois padres, durante dois anos, visitaram regularmente a Paróquia de Dourados, tendo eles residência em Rio Brilhante, ficando sempre satisfeito com o espírito religioso do povo.

O primeiro vigário residente em Dourados, Frei Higino Latteck, tomou moradia provisória na sacristia da pequena Igreja, mas já em 1941 pôs-se a construir ao lado da igreja uma pequena casa paroquial, de madeira, a qual acrescentou um espaçoso salão. Na época, a paróquia de Dourados, abrangia todo o território do então Município de Dourados, calculando-se a sua superfície em cerca de 20.000 km², com 15.000 habitantes, aumentando e formaram-se novas povoações que se desenvolveram rapidamente. A Paróquia Nossa Senhora da Conceição é a quarta paróquia criada no atual território da Diocese de Dourados.

Foram surgindo novas comunidades que se tornaram Paróquias, desmembrando-se da antiga Paróquia Imaculada Conceição. Foram as seguintes: São Pedro Apóstolo (03-11-54); São José de Itaporã (21-04-56); Bom Jesus de Caarapó (01-01-64). E, na própria Dourados, surgiram as Paróquias Nossa Senhora de Fátima da Cabeceira Alegre (04-03-73); São José Operário (01-05-74); Bom Jesus (13-04-80); São João Batista (13-04-81), Santa Terezinha (30-12-95), São Carlos (07/11/2004) e ultimamente Santo André (30/11/2013).

Algumas dessas paróquias, por sua vez, deram origem a outras paróquias, basta citar as paróquias de Nossa Senhora de Glória de Dourados (22-05-55); Nossa Senhora da Fátima do Sul, de Fátima do Sul (01-01-63); Rainha dos Apóstolos de Vicentina (31/08/1963); São Paulo Apóstolo de Ivinhema (07-03-70); Nossa Senhora de Fátima de Naviraí (26-03-72); Nossa Senhora Aparecida de Douradina (12-10-72); São Pedro Apóstolo – Angélica (25/03/1979); N. Sra. Aparecida de Deodápolis (30/04/1985); Rainha dos Apóstolos (06/11/2004), Nossa Sra. Auxiliadora de Indápolis (12/02/2005); Paróquia São Pedro de Jatei (01/01/2006); N. Sra. Aparecida de Dourados (20/02/2008); Paróquia Santa Luzia de Juti (17/08/2008); Sagrado Coração de Jesus (24/04/2011); N. Sra. do Carmo; Santo Elias (22/11/2014); São Francisco (01/12/2013); Paroquia Nossa Senhora das Graças de Naviraí (12/03/2014); Paróquia São Francisco, Caarapó (16/10/2105). São 29 paróquias oriundas da Imaculada.

Assim, no território da antiga Paróquia da Imaculada Conceição de Dourados, floresceram inúmeras paróquias. Em janeiro de 1996, os padres franciscanos devolveram a Paróquia aos cuidados do Bispo Diocesano. Já em 06 de janeiro de 1996, assumiu provisoriamente a Paróquia Imaculada Conceição de Dourados, o Padre Diocesano, José Marcos Carpes Vargas, que foi empossado como pároco dia 04/02/96.