Calouros de Nutrição da Unigran são recepcionados com "Caça ao Tesouro"

Dourados - 09/02/2018 10h37

 
Brincadeira de “caça ao tesouro” promove interação entre calouros e veteranos (Foto: divulgação) Brincadeira de “caça ao tesouro” promove interação entre calouros e veteranos (Foto: divulgação)

Os calouros do curso de Nutrição da Unigran foram recepcionados na noite desta terça-feira, 6, de maneira irreverente. Voltando à infância, eles participaram, auxiliados pelos veteranos, de uma caça ao tesouro.

O intuito da atividade, de acordo com a coordenadora do curso Aline Victório Faustino Onishi, foi promover a interação entre os alunos, além de apresentar a Instituição de Ensino onde eles devem permanecer durante o período acadêmico, boa parte dos dias.

"O ponto de partida foi do bloco 2, as pistas estavam escondidas em diversos pontos, como biblioteca, laboratórios, cozinha e até mesmo na nossa praça de alimentação. O importante foi fazer com que cada aluno, conheça e reconheça a Unigran de forma divertida", salienta.

Stephanie Pinheiro, 22, acadêmica do 3ª semestre e líder de turma que acompanhou toda a animada movimentação, disse que essa foi uma atividade importante, ainda mais por proporcionar conhecer novos amigos e futuros colegas de profissão.

"Nós estamos aqui, estudamos juntos e, ao sair da faculdade, muitos de nós continuaremos mantendo contato.Então, essas atividades são importantes porque é também o começo de nossas vidas profissionais", menciona a futura nutricionista.

Adote um Calouro

Ainda com a intenção de proporcionar interação entre os acadêmicos do curso, o projeto "Adote um Calouro" surgiu da necessidade de ‘abraçar’ os recém-ingressos da faculdade. A ideia é do acadêmico José Eduardo Cruz de Almeida, 24, do 3º semestre de Nutrição.

"Eu percebi ano passado, que os veteranos estavam muito distantes dos calouros e eu era um deles, me sentia um pouco perdido. A partir disso, a ideia do projeto foi surgindo e, agora, vamos colocá-lo em prática. Tem tudo para dar certo", afirma.

Ainda de acordo com Almeida, cada veterano poderá ‘adotar’ até três calouros. Estes serão acompanhados durante a rotina acadêmica, desde apresentados aos lugares mais legais de fazer um lanche em torno da universidade, por exemplo, até locais onde comprar livros com valores mais em conta.