O jogo político continua pós eleição
Por: Cícero Faria - 16/12/2016 16h27

Os meios políticos douradenses estão em ebulição com a eleição da nova Mesa Diretora da Câmara no dia 1º de janeiro, logo após a posse dos 19 vereadores. Dois grupos estão na disputa: um aliado da futura prefeita Délia Razuk (PR) e outro liderado pelo vereador eleito Marçal Filho (PSDB). O lado "delista" já conseguiu apoios fora da sua bancada – formada por sete vereadores eleitos pela coligação, enquanto Marçal tenha ‘costurar’ acordos para ser o presidente. Do outro lado, estão Braz Melo (PSC) e Silas Zanatta (PPS), dois nomes citados para disputar a presidência da Câmara. O assunto ainda vai render muito até o dia da eleição.

Bingo!

O jornalista José Henrique Marques, diretor da Folha de Dourados, fez artigo escrevendo, em outras palavras, o que o "Informe C" tem citado aqui: "Se realmente for pra valer a decisão do Diretório Regional do PT e do candidato do partido ao Governo do Estado, Delcídio do Amaral de coligar com o PSDB, o prefeito Murilo Zauith (PSB) ficou isolado no processo eleitoral e provavelmente terá que recuar na disposição de renunciar à Prefeitura de Dourados até o dia 4 de abril. Embora haja espaço para construir uma terceira via a fim de contrapor a histórica rivalidade entre PT e PMDB em Mato Grosso do Sul, Murilo terá dificuldade de construir uma aliança que lhe permita uma boa logística no Estado, além de tempo razoável no horário eleitoral gratuito de rádio e TV."

Mosqueteiros

Integrantes da bancada de Mato Grosso do Sul no Congresso reuniram-se na quarta-feira no Senado, com o prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP). Estiveram presentes os senadores Waldemir Moka (PMDB), Delcídio Amaral (PT) e Ruben Figueiró (PSDB) e os deputados federais Geraldo Resende, Fábio Trad e Akira Otsubo (PMDB), Vander Loubet (PT) e Reinaldo Azambuja (PSDB). Eles se comprometeram a direcionar emendas parlamentares, e lutar por mais recursos para Campo Grande.

É útil

Não pensem que o ex-prefeito Alcides Bernal (PP) está morto politicamente. A sua cassação não foi engolida por parte expressiva dos eleitores, principalmente os mais humildes, que pouco entendem do processo de impeachment. Por isso, vai ter candidato que vai querer o seu apoio nesta eleição. E Bernal não está deixando a bola cair: veicula mensagem local na TV Morena falando do seu possível retorno ao cargo.

Amarrando

"Se eu fosse ele, escolheria uma mulher de Dourados para ser vice". O palpite foi dado pelo governador André Puccinelli ao seu pupilo e candidato a sucessor, Nelsinho Trad ( PMDB). Esperto politicamente como ele só, André não dá nó sem ponta e pode buscar mesmo por aqui a sua ( ou seu) companheira(o) de chapa. Ainda mais que sabe do peso eleitoral do município e seu bairrismo. Daqui já saíram como vice, Takimoto, Marçal e Murilo.

Tesouro

Dourados já conta com 146.218 eleitores para a eleição deste ano. Na última, em 2012, foram registrados pouco mais de 142 mil eleitores, ou seja, aumento de quatro mil novos votantes. O número de sessões subiu para 436 este ano com 76 locais de votação, noticiou o Douradosagora.

Falta mais

Apesar dos douradenses estarem reclamando da chuvarada dos últimos dias, na estação da Embrapa Agropecuária Oeste foram registrados 69,8 milímetros até ontem cedo. A média histórica para março é de 139,5 mm, ou seja, praticamente choveu apenas a metade prevista para esse mês.

BATE REBATE

O corretor de imóveis, Rafael dos Santos, 35 anos, foi preso no fim da tarde de anteontem na região de Bella Vista Norte, no Paraguai. Ele é apontado como assassino da ex-esposa, a médica Nislaine Colman Benites, 31 anos. Ela era filha do vereador reeleito em Ponta Porã, Marquinhos Benites (PSDB).

A Câmara dos Deputados incluiu estudos de Filosofia e Sociologia no ensino médio, dentro da reforma proposta pelo governo. Os alunos já "tropeçam" hoje na Língua Portuguesa e na Matemática calculem, então, ‘filosofando’...

O projeto de abuso de autoridade, de autoria do senador Renan Calheiros (PMDB) não foi votado em plenário e agora volta à Comissão de Constituição e Justiça. A proposta será discutida depois do recesso.

O governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB) recebeu o seu colega tucano Reinaldo Azambuja. "Estamos empenhados no ajuste fiscal em nossos Estados, focados na geração de emprego e na recuperação da economia", disse Alckmin.

INFORME CURURU

Tá desse jeito: você enche os meus ouvidos com palavras vazias.