Revitalização da 14 de Julho vai transformar centro da Capital

Região receberá intervenções do projeto Reviva Campo Grande com melhorias que transformarão o centro em um shopping a céu aberto

Por: Elvio Lopes - 16/05/2018 11h49

 
Rua 14 de Julho, com visão a partir da esquina com Antonio Maria Coelho, vai receber intervenções e melhorias - MARLON GANASSIN

Rua 14 de Julho, com visão a partir da esquina com Antonio Maria Coelho, vai receber intervenções e melhorias - MARLON GANASSIN

Uma das obras aguardadas há mais de 10 anos da elaboração de seu projeto original – a revitalização do centro da Capital, com prioridade para a requalificação da Rua 14 de Julho, no trecho entre as avenidas Fernando Corrêa da Costa e Mato Grosso – foi oficialmente lançada na manhã de ontem pelo prefeito Marcos Marcello Trad, que anunciou para os próximos dias o início das obras. Também participaram do ato lideranças empresariais, políticas e do Estado, que destacaram a importância do projeto Reviva Campo Grande para a melhoria do centro da cidade.

Marquinhos Trad lembrou que a obra – que tem como responsável a empresa Engepar – Engenharia e Participações Ltda., vai proporcionar uma "cara nova" para a Rua 14 de Julho, tirando do papel um dos projetos mais emblemáticos dos últimos anos em Campo Grande. "Esse projeto é furto de quase uma década de trabalho, mas não sairia do papel sem o empenho da bancada sul-mato-grossense em Brasília e de nossa equipe técnica", destacou.

Segundo o prefeito, o ato foi muito mais que um simples lançamento, mas uma série de agradecimentos a atores e atrizes que tiveram participação fundamental para sua concretização, como os ex-gestores, os profissionais que trabalharam nos levantamentos do projeto, os esforços dos senadores Pedro Chaves, Waldemir Moka e Simone Tebet; dos deputados federais e do ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República.

"Todos foram importantes para que este momento acontecesse e destaco aqui o trabalho da diretora-executiva de Planejamento e Gestão Estratéica, Catiana Sabadin, que encantou a todos do BID (Banco Interamericano do Desenvolvimento) – que financia o projeto - e foi graças a vontade de Deus e ao empenho e dedicação dela, que essa manhã acontece", ressaltou Trad.

Ele também enumerou algumas das ações que serão realizadas pelo projeto, como o embutimento dos fios, acabar com a poluição visual, uso de tecnologia, diminuição das faixas de rolamentos para veículos, alargamento das calçadas, design, que traduziu como modernidades que transformarão a região central em um shopping a céu aberto.

O senador Pedro Chaves dos Santos Filho, relator do projeto, destacou a destinação de US$ 56 milhões – atuais R$ 205,5 milhões – para que o prefeito possa revitalizar totalmente o centro, transformar a região em um verdadeiro centro de gastronomia e cultura e fazer aquilo que o campo-grandense precisa. "O prefeito é dinâmico e um ótimo gestor e vai revitalizar o centro de nossa Capital", afirmou.

O secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, representando o governador Reinaldo Azambuja, destacou que a população será a maior beneficiada com o projeto. "O comerciante está motivado, porque vai levar mais pessoas para o centro e agora, com esse projeto, a Prefeitura traz a população de volta para a região central e com certeza outros investidores virão. Com isso, traz uma nova vida para Campo Grande", destacou.

MOVIMENTO

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), João Carlos Polidoro disse que a obra é esperada há décadas, e a expectativa é que as melhorias movimentem novamente a Rua 14 de Julho. "A via está muito degradada e essa obra vai trazer uma renovada para a 14 de Julho, vai trazer mais conforto e as lojas se posicionarão melhor, com mais espaço para o pedestre e se transformar em uma rua que realmente atraia o consumidor", afirmou.

ECONOMIA

O quadrilátero que compreende as ruas Calógeras, Padre João Crippa, Fernando Corrêa da Costa e Mato Grosso, entre a Rua 14 de Julho, são cerca de 5,2 mil CNPJs cadastrados na Câmara de Dirigentes Lojistas e, para o presidente da CDL, Adelaido Villa, o momento é de felicidade, após anos de espera. "A gente fica feliz de ver essa obra finalmente sair do papel. Isso significa modernização do centro e que coloca Campo Grande em outro patamar, enquanto Capital", destacou.

O PROJETO

Além da 14 de Julho, o Programa Reviva Campo Grande prevê intervenções em várias vias do Centro da cidade, adjacentes à Rua 14 de Julho, inseridas no quadrilátero central. Todas receberão melhoria na infraestrutura, acessibilidade dos passeios públicos, arborização, iluminação e sinalização.

As obras devem durar cerca de 20 meses e as lojas do comércio não vão fechar. A programação prevê que cada quadra ficará dois meses em obras. A coordenação do Programa está estudando, junto à Agetran, uma nova rota para os coletivos, que hoje circulam pela Rua 14 de Julho, causando o mínimo de impacto possível no cotidiano dos usuários, que são em torno de 350 mil que circulam diariamente pelo centro, conforme dados da ACICG.