Estátua de Manoel de Barros será instalada entre figueiras

Monumento perpetuará a obra e a figura singular de um ícone da literatura brasileira com reconhecimento mundial, que faleceu aos 97 anos. A entrega simbólica da obra, com a presença do seu autor, foi marcada por fortes emoções

19/04/2017 17h31

Escultura do artista plástico Ique Woitschach é rica em detalhes, desde o sorriso cativante do poeta Manoel de Barros, aos seus trajes simples, as pernas cruzadas, o tênis surrado Escultura do artista plástico Ique Woitschach é rica em detalhes, desde o sorriso cativante do poeta Manoel de Barros, aos seus trajes simples, as pernas cruzadas, o tênis surrado

De Campo Grande

Materializado em uma estátua em bronze de 400 quilos, sentado de forma despojada em seu velho sofá com um sorriso radiante, o poeta maior Manoel de Barros vive na obra do artista plástico campograndense Ique Woitschach, cujo projeto foi concluído e apresentado ao governador Reinaldo Azambuja, no Museu de Arte Contemporânea de Campo Grande (Marco). A próxima etapa será sua instalação, no canteiro da Avenida Afonso Pena, uma das principais vias da Capital.

Encomendado pelo governo do Estado para celebrar o centenário de nascimento do escritor pantaneiro e os 40 anos de criação de Mato Grosso do Sul, o monumento, perpetuará a obra e a figura singular de um ícone da literatura brasileira com reconhecimento mundial, que faleceu aos 97 anos. A entrega simbólica da obra, com a presença do seu autor, foi marcada por fortes emoções, principalmente, quando se revelou o resultado final de uma escultura rica em detalhes, desde o sorriso cativante do poeta, aos seus trajes simples, as pernas cruzadas, o tênis surrado, ao lado de caramujos e do ninho de pomba, com os quais dialogava e se inspirava entre imagens, lembranças e metáforas. "O poeta é promíscuo dos bichos, dos vegetais, das pedras", escreveu.

Na oportunidade, o artista plástico Ique Woitschach presenteou o governador com uma réplica do seu trabalho, também em bronze, pesando 8,5 quilos. O local para instalação da estátua de Manoel de Barros foi definido pelo seu autor e técnicos da secretaria estadual de Cultura e Cidadania e do Serviço Social do Comércio (Sesc), instituição que ficará responsável pelos cuidados da obra. O quintal do poeta ficará na Avenida Afonso Pena, entre as ruas 13 de Maio e Rui Barbosa, quase em frente ao antigo quartel do Comando Militar do Oeste (CMO). O monumento se abrigará entre duas árvores centenárias da espécie figueira.

Singularidades

Medindo 1,38 metro de altura (incluindo o pedestal de fixação da base de concreto) por 1,60 metro de largura, a escultura em tamanho real apresenta algumas características que somente vivenciará quem teve contatos mais próximos com o poeta. O premiado artista Ique Woitschach, que mora no Rio de Janeiro desde jovem e trabalhou para grandes grupos de comunicação, como Jornal do Brasil, rede Globo e O Estado de São Paulo, revelou detalhes, como o relógio no seu pulso, que marca o amanhecer e o anoitecer, e o dedo indicador torto da mão direita."Esse primeiro trabalho em minha terra também marca meus 40 anos de carreira e materializa toda a emoção que me acompanhou durante toda sua concepção", explicou o artista de 59 anos. Ele contou que, além de fotos e vídeos, buscou informações juntos aos familiares de Manoel de Barros e o contato com os objetos que o cercavam, como o sofá, e o ambiente do seu antigo apartamento no Rio de Janeiro, para captar suas energias. "Estive na casa dele, sentei nesse sofá, percebi sua presença."

"O Manoel detestava usar sapatos e gostava de meias finas, como está na obra pronta. Na realidade, não fiz seu retrato, mas a imagem de como ele era visto pelas pessoas", explica.