Rodovias são liberadas em MS após vitória dos indígenas sobre marco temporal

Sete trechos do estado foram interditados

16/08/2017 15h48

Os trechos bloqueados nas rodovias federais e estadual de Mato Grosso do Sul foram liberadas após parecer favorável do Superior Tribunal Federal (STF) aos indígenas diante da proposta de indenização ao estado de Mato Grosso e a possibilidade de discussão do Marco Temporal, em que determina a posse de terra às etnias somente as que estavam atribuídas até a criação da Constituição Federal de 1988.

Em MS, sete trechos foram interrompidos, sendo eles em Rio Brilhante, no KM-304 e KM-307 da BR-163, onde 50 índios da etnia Kaiowá estiveram desde às 5h. No KM-307 índios divergentes montaram bloqueio em que o fluxo ficou totalmente interditado.

Já em Mundo Novo, no KM 26 da BR-163, c erca de 80 manifestantes se reuniram desde às 7h. Pista era liberada a cada 30 minutos. Em Miranda, no KM 541 da BR-262, aproximadamente 150 índios estiveram desde às 7h50. No local, a pista era liberada por cinco minutos a cada uma hora.

Em Nioaque, no KM 526 da BR-060, aproximadamente 100 índios se aglomeraram a partir das 8h com pista sendo liberada por períodos. Em Caarapó, no KM-215 da BR-163, aproximadamente 50 índios manifestaram a partir das 8h30 e a pista era liberada periodicamente. Em Itaquiraí, no KM-60 da BR-163, cerca de 20 manifestantes estiveram desde 9h30.

Por 7 a 0, a corte do STF determinou que a propriedade de toda área que compõe o território do Parque do Xingú é pertencente aos povos originários, não tendo então a necessidade de pagamento de indenização ao estado de Mato Grosso. A decisão abrange também as Reservas Indígenas Nambikwára e Parecis.