Operação Echelon cumpre mandados de prisão em 14 estados, inclusive no MS

Foram expedidos 75 mandados de prisão e 59 de busca e apreensão contra a facção criminosa PCC

Por: Ana Ostapenko - 14/06/2018 10h06

Movimentação de policiais no pátio do Garras (Foto: Geisy Garnes) Movimentação de policiais no pátio do Garras (Foto: Geisy Garnes)

Mato Grosso do Sul é alvo da operação Echelon, deflagrada na manhã desta quinta-feira (14), que cumpre 75 mandados de prisão e 59 de busca e apreensão contra a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), que age dentro e fora dos presídios. A operação é realizada em 14 estados e é resultado de uma parceria da polícia com o Ministério Público e a Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo, que atua em outros estados e países vizinhos. Echelon significa "atacar em ondas.

Segundo a Polícia Civil de São Paulo, as investigações começaram a partir de manuscritos encontrados nos esgotos do Presídio de Segurança Máxima de Presidente Venceslau por agentes penitenciários. A polícia identificou sete líderes e confirmou a existência de uma célula chamada "sintonia de outros estados e países".

Os criminosos teriam assumido as funções da "sintonia" quando os líderes da organização criminosa ficaram isoladas no RDD (Regime Disciplinar Diferenciado) em 2016, em decorrência da operação Ethos, que revelou esquema envolvendo advogados da facção. Fazem parte dessa célula 103 membros.

A operação cumpre mandados de prisão na Penitenciária Federal de Campo Grande, no Presídio de Segurança Máxima Jair Ferreira de Carvalho, no Centro Penal Agroindustrial da Gameleira, na PED (Penitenciária Estadual) em Dourados e na cadeia de Naviraí.

Segundo o delegado do Dise (Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes), Celso Marques Caldeira, em Mato Grosso do Sul, são cinco mandados de prisão e oito de busca e apreensão. Além de Campo Grande, Dourados e Naviraí, policiais do Dise e do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros) estão em Coronel Sapucaia e Nova Andradina.

Nesta manhã, no Bairro Dom Antônio Barbosa, região sul da Capital, uma mulher foi presa em flagrante com R$ 9 mil em dinheiro, revólver calibre 32 e porções de crack.

Em Dourados, foram presas três pessoas ligadas ao tráfico de drogas e encaminhados ao 1º Distrito Policial, segundo as autoridades, essas pessoas ocupam funções de líderes do PCC e foram conduzidas à delegacia para prestar depoimento.

Em Coronel Sapucaia, o alvo de mandado de busca e apreensão não foi localizado. A informação é de que ele está no Paraguai. Já em Nova Andradina, os policiais descobriram que o investigado já havia sido preso por tráfico de drogas e transferido para o Presídio de Segurança Máxima.

Conforme o delegado Fábio Peró do Garras, parte desses mandados de busca e apreensão atinge mulheres de presos que são conhecidas dentro da facção como "cunhadas". Ou mulheres que foram presas e acabaram batizadas pela facção. Os alvos que já estão presos serão ouvidos nas penitenciárias. No interior, já foram apreendidos vários objetos, entre eles aparelhos celulares.