Eike começa a pagar fiança e vai seguir em prisão domiciliar, decide juiz

Marcelo Bretas suspendeu efeitos da decisão de volta à cadeia caso R$ 52 milhões não fossem pagos - valor depositado não foi divulgado. Prazo terminaria à 0h de quinta-feira

Por: G1 - 17/05/2017 17h34

O empresário Eike Batista começou a pagar a fiança de R$ 52 milhões nesta quarta-feira (16) e, com isso, ganhou o direito de permanecer em prisão domiciliar enquanto deposita o restante do montante – os valores não foram divulgados.

Com a confirmação do início do pagamento, o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, suspendeu os efeitos da decisão de que Eike teria que voltar à cadeia caso a fiança não fosse paga até a meia-noite desta quarta.

"Suspendo os efeitos da decisão até a integralização do valor da fiança", escreveu o magistrado, sem determinar um prazo.

O advogado de Eike, Fernando Martins, informou na terça-feira que tentava reverter na Justiça o bloqueio de contas do empresário, que chegava a cerca de R$ 900 milhões. Segundo o advogado, com essa verba bloqueada, não seria possível pagar a fiança. Nesta quarta, o G1 não conseguiu contato com Martins para obter mais detalhes.

Prisão e soltura

Eike é réu no processo da Operação Eficiência (desdobramento da Lava Jato), da 7ª Vara Federal Criminal. O empresário é acusado de pagar US$ 16,5 milhões em propina ao ex-governador do Rio, Sérgio Cabral.

O empresário chegou a ser preso preventivamente em janeiro. Ele ficou no Presídio Bandeira Stampa, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Recebeu a o benefício de prisão domicilar no fim do mês passado, por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF).