24/05/2013 17h18 - Atualizado em 24/05/2013 17h18

UEMS representa a Grande Dourados na Semana dos Alimentos Orgânicos

No dia 29 a UEMS realiza palestra na cidade de Glória de Dourados

 
Brasiluza Neves
Do Progresso

O Ministério da Agricultura instituiu nacionalmente a Semana dos Alimentos Orgânicos, que acontece neste ano, em sua nona edição, de 26 de maio a 2 de junho, promovendo programações específicas em cada Estado para as discussões das particularidades regionais.

Compondo com várias instituições, a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, unidade de Glória de Dourados, será a articuladora de uma atividade para toda a Região da Grande Dourados, oferecendo no dia 29 de maio uma palestra no anfiteatro da unidade, às 9h, sobre a importância do alimento orgânico, responsabilidade do curso de Agroecologia.

Outras instituições como a Embrapa, a Associação Brasileira de Produtores Orgânicos (ABPO), A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), o Sebrae, a Divisão de Política, Produção e Desenvolvimento Agropecuário (DPDAG/MS) desenvolverão atividades nas outras regiões.

O curso de Agroecologia tem sido um dos principais incentivadores da produção orgânica em MS. Livres de agrotóxicos e materiais sintéticos, os alimentos orgânicos contribuem para a saúde do consumidor e para a sobrevivência do planeta, já que preserva a qualidade da água e a biodiversidade.

Por que aderir aos orgânicos?

Dados de 2012 indicavam em MS uma área de 24.316,99 hectares destinados à agricultura orgânica, sendo apontados o café, a criação bovina, produção de mel e hortaliças como as principais áreas de atuação. E essa produção precisa aumentar, pois relatórios da Anvisa e veículos nacionais de comunicação (como o UOL) anunciam que um terço dos alimentos consumidos pelos brasileiros está contaminado por agrotóxicos, sendo que, segundo o dossiê da Anvisa, a soja foi o cultivo que mais demandou agrotóxico - 40% do volume total de herbicidas, inseticidas, fungicidas e acaricidas.

Esses dados são preocupantes. Pesquisas têm relacionado o alto consumo de agrotóxico com o desenvolvimento de células cancerígenas. Também já se tem rastros desses venenos, inclusive no leite materno, podendo causar danos para todo o processo de desenvolvimento do bebê. São informações que ainda vêm sendo pesquisadas, mas que já devem colocar-nos em alerta.

No processo de plantio orgânico algumas outras práticas são comuns para garantir a qualidade do alimento sem os agrotóxicos. São aplicadas nas lavouras, por exemplo, cordões de contorno com plantas diversas que ajudam a proteger a plantação contra pragas e doenças, servindo ainda como quebra-vento e protegendo o solo contra a erosão.




 
 
 
 
Imóveis Apartamentos Veículos e Utilitários Importados Motos Diversos Telefones Empregos e Oportunidades