Dourados – MS domingo, 23 de setembro de 2018
São Bento Hectares Matérias
São Bento Hectares Mobile Matérias
Dia Nacional de Combate ao Fumo

8 Prejuízos que cigarro causa para o corpo, para o sistema de saúde e para a economia

29 Ago 2018 - 08h35Por da Redação com informações da ACT
Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas - Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas -

No Dia Nacional de Combate ao fumo, o Brasil pode comemorar uma diminuição de 33% no número de fumantes durante a última década, segundo dados do Ministério da Saúde. No entanto, 10,4% dos habitantes das grandes cidades são adeptos do tabagismo, um hábito associado a mais de 50 doenças e considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a principal causa evitável de morte no mundo.

E os malefícios do cigarro não se restringem a quem fuma. “O tabagismo tem um impacto social, pois afeta a família e demais indivíduo no entorno do fumante, e também econômico, pois gera gastos com tratamento de doenças, que podem provocar afastamentos e interrupções na vida profissional”, diz Monica Andreis, psicóloga e vice-diretora da aliança de Controle do Tabagismo (ACT).

Veja a seguir como o cigarro pode ser prejudicial de diferentes formas, não apenas para o corpo.

Provoca mais de 50 doenças

O cigarro contém cerca de 4720 substâncias tóxicas, das quais 50 são cancerígenas. “O tabagismo leva a aumento de diversas doenças como bronquite crônica, enfisema pulmonar, derrames e infartos. São pelo menos 50 doenças reconhecidas pela OMS”, diz o oncologista e coordenador do Hospital Integrado do Câncer Mater Dei, Enaldo Melo de Lima.

Aumenta o risco de câncer

O tabagismo é causa primária de 30% de todos os cânceres e responde por 22% das mortes causadas pela doença. Os tipos de câncer mais comuns entre os fumantes são pulmão, cabeça e pescoço, bexiga, rim, esôfago, pâncreas, cólon e reto e esôfago. Cerca de 20% dos fumantes desenvolvem câncer de pulmão, doença que tem alta letalidade e decorre do tabagismo em 90% dos casos.   “O risco relativo de câncer de pulmão em fumantes de 20 ou mais cigarros por dia é de 20 a 30 vezes maior, mais declina constantemente após a parada, para voltar ao patamar dos que nunca fumaram após 20 a 25 anos após a suspensão”, explica Lima.

Diminui a expectativa de vida

Cada cigarro consumido subtrai 11 minutos da vida do fumante, segundo estudo publicado em 2010 no British Medical Journal. “Além disso, 50% dos fumantes inveterados morrem prematuramente por causa do seu hábito, com redução média da vida de 20 a 25 anos”, acrescenta Lima.

Gera despesas evitáveis

O Brasil despende anualmente R$ 23 bilhões para tratar doenças e problemas de saúde associados ao cigarro, segundo estudo da ACT.  “Esse valor não inclui custos indiretos como aposentadorias e afastamentos decorrentes do tabagismo”, informa Andreis.

Tem impacto econômico negativo

Estimativas internacionais apontam que cada US$ 1,00 arrecadado com impostos gera gasto de outros US$ 3,00 com tratamento de doenças. No Brasil, o estudo da ACT comprovou essa proporção. Os R$ 23 bilhões despendidos anualmente com o tratamento de doenças superam em mais de três vezes os R$ 7 bilhões obtidos com impostos.

Faz mal até para quem não fuma

O fumo passivo aumenta em 25% os ricos de doenças cardíacas e eleva também o risco de desenvolver câncer, complicações respiratórias e outros problemas. Sintomas de curto prazo, como irritação nos olhos, tosse, coriza e náuseas também se manifestam. Todos esses problemas acarretam gastos para os pacientes e para o sistema de saúde.

Compromete a produtividade

No Brasil, a perda de produtividade associada ao tabagismo teve um custo de R$ 100 milhões por mil fumantes, como informa o Tobacco Atlas, publicação da World Lung Foundation (WLF), da American Cancer Society (ACS) e da Organização Mundial de Saúde (OMS),  . “O cigarro aumenta o risco de doenças graves e incapacitantes, que podem levar à interrupção ou ao encerramento precoce da vida profissional”, ressalta Monica Andreis. “A maioria desses problemas atinge pessoas entre 45 e 60 anos, em plena idade produtiva”.

Agride o meio ambiente

As pontas de cigarro são o resíduo mais descartado no mundo, segundo o Tobacco Atlas. Estima-se que 767 milhões de quilos delas tornem-se lixo tóxico. Quando descartadas incorretamente, levam até cinco anos pare se decompor. Por conter substâncias nocivas, podem prejudicar o solo, poluir rios e córregos e levar ao entupimento dos bueiros, dentre outros malefícios.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Dia da Árvore

Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios

21/09/2018 13:32
Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Centros de assistência de saúde mental ajudam na prevenção ao suicídio
Setembro Amarelo

Centros de assistência de saúde mental ajudam na prevenção ao suicídio

20/09/2018 14:45
Centros de assistência de saúde mental ajudam na prevenção ao suicídio
Arroz e feijão são os alimentos mais desperdiçados no Brasil
Desperdício

Arroz e feijão são os alimentos mais desperdiçados no Brasil

20/09/2018 13:22
Arroz e feijão são os alimentos mais desperdiçados no Brasil
Doenças ligadas à falta de saneamento geram custo de R$ 100 milhões ao SUS
DESCASO PÚBLICO

Doenças ligadas à falta de saneamento geram custo de R$ 100 milhões ao SUS

20/09/2018 11:00
Doenças ligadas à falta de saneamento geram custo de R$ 100 milhões ao SUS
Mega-Sena especial vai sortear hoje prêmio de R$ 17 milhões
GRANA

Mega-Sena especial vai sortear hoje prêmio de R$ 17 milhões

20/09/2018 08:30
Mega-Sena especial vai sortear hoje prêmio de R$ 17 milhões
Últimas Notícias